Publicidade

Correio Braziliense BEM-ESTAR

Meditação: saiba como praticar em casa

Quer dar uma pausa na correria do dia a dia? Reservar uns minutos do dia para se reconectar pode ser uma ótima alternativa


postado em 11/11/2018 08:00 / atualizado em 09/11/2018 18:02

Amilcar Prado medita 10 minutos por dia com auxílio de aplicativos (foto: Marilia Lima/CB/D.A Press)
Amilcar Prado medita 10 minutos por dia com auxílio de aplicativos (foto: Marilia Lima/CB/D.A Press)
Em meio à correria, ao barulho da cidade e aos compromissos do dia a dia, uma pausa. Desacelerar, parar e, nem que seja por alguns minutos, colocar o foco no presente. Assim, muitas pessoas estão aderindo às técnicas de meditação. Para isso, basta um lugar tranquilo e algum tempo disponível.

Segundo a professora de meditação transcendental Juliana Brescovici, do Instituto Nacional de Meditação, o simples fato de sentar, fechar os olhos e observar o momento presente já é uma forma de meditar. “As pessoas acreditam que para ter paz interior e meditar é necessário cessar a mente dos pensamentos, o que acaba tornando o processo difícil e nada prazeroso”, destaca.

O estudante Amilcar Prado, 20 anos, afirma que hoje entende que meditar é mais simples do que muitos imaginam. Ele conta que não é necessário muita coisa e nenhum lugar específico. O jovem começou a prática com o objetivo de melhorar a produtividade. “Entrei na empresa júnior da faculdade e comecei a ficar desesperado com a quantidade de coisas que tinha para fazer, então busquei na internet formas de como poderia começar a meditar”, comenta.

Com auxílio de vídeos e aplicativos, Amilcar iniciou a técnica e em pouco tempo já começou a sentir a diferença no humor. O estudante medita 10 minutos por dia, assim que acorda. “Consegui melhorar meu foco nas provas e fiquei bem mais tranquilo”, garante.

Segundo o psicólogo Vitor Friary, especialista em meditação mindfulness, a prática de meditar traz inúmeros benefícios. Entre eles, melhoria na qualidade do sono, aumento da tranquilidade, da autoconfiança e da concentração.  “A gente começa a ter uma relação mais suave com a vida. Estudos reportam mudanças significativas na estrutura do cérebro”, explica Vitor.

No início, Ingrid França Soares meditava cinco minutos por dia. Hoje chega a 30 minutos
No início, Ingrid França Soares meditava cinco minutos por dia. Hoje chega a 30 minutos
A meditação também foi a solução encontrada pela estudante Ingrid França Soares, 20, para aliviar o estresse com a rotina pesada de estudos. A jovem começou a prática há cerca de três anos, quando ainda estava no ensino médio. “Medito na minha própria casa e, às vezes, embaixo do prédio, todos os dias, pela manhã e depois que chego em casa do crossfit”, diz.

A estudante começou meditando cinco minutos por dia e, atualmente, chega a 30 minutos. De acordo com Juliana, o ideal é que as pessoas tirem cerca de 20 minutos, mas, para início, cinco minutos já são suficientes, assim a pessoa poderá ir aumentando gradualmente. Já para o psicólogo Vitor, mais importante que a duração da meditação é a frequência com que ela ocorre.

A professora Juliana Brescovici acredita que, para começar, basta ter força de vontade. De acordo com ela, é preciso ter comprometimento para reservar um tempo para a prática todos os dias. “Uma dica é abrir mão de alguns minutos gastos com mídias sociais para incorporar a meditação na rotina. Fazer disso um ritual diário ajuda a criar o hábito e a sentir rapidamente os efeitos na qualidade de vida”, aconselha.

Quando, onde e como


Juliana ainda afirma que não há um momento ideal, porém o mais indicado é ao acordar, como uma preparação para o dia, e ao chegar em casa do trabalho, para uma limpeza da mente. Quanto ao local, a dica é procurar um lugar calmo, sem muito fluxo de pessoas.

Sobre as posições, Juliana aconselha uma que seja confortável. “Melhor não inventar moda e seguir o seu conforto. A prática precisa ser prazerosa e não uma tortura”, ensina.

Dependendo da técnica de meditação escolhida, a respiração também se torna algo importante. A professora afirma que há formatos que usam a observação ou o controle da respiração, assim como há outros em que a respiração é livre e natural. “De qualquer maneira, existem técnicas, chamadas pranayamas, que ajudam a preparar o corpo e a mente para entrar no estado meditativo mais rápido. Nesse caso, a respiração se torna mais lenta e o fluxo dos pensamentos acompanha este ritmo, facilitando o contemplar da mente”, explica.

Concentração


É comum pessoas afirmarem que não são capazes de meditar por não conseguirem controlar os pensamentos nem se concentrar. De acordo com Juliana, esse é um grande erro de quem busca a prática. Ela destaca que não é necessário esvaziar a mente e muito menos controlá-la.

“Os pensamentos são a natureza da mente e você nunca vai conseguir ficar com a mente vazia. Deixe os pensamentos fluírem, aceite-os e tente não se fixar em nenhum deles. Eles vêm e vão. Não se apegue a nenhum deles”, enfatiza. Ela ainda ressalta que, aos poucos, os pensamentos se tornam vagos, como uma música de fundo, e não atrapalham.

O psicólogo Vitor complementa que a distração é natural. “A atenção é como se fosse um cavalo selvagem. Quando eu sento para meditar, a atenção não deixa. Isso é natural. O objetivo da meditação a longo prazo é dar ao meditante mais confiança em trazer a atenção de volta para o foco”, expõe.

Segundo Vitor, a meditação só não é recomendada para quem tem crises psicóticas ou sintomas graves de depressão. “Essas pessoas têm uma reatividade muito grande e precisam de apoio multidisciplinar, atendimento médico e psicoterapia. A meditação sozinha não é capaz de ajudá-las.”

Aplicativos que podem ajudar

Insight Timer
Lojong
Headspace
Vivo Meditação
Sattva
Breathe
Deep Relax
Zen

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade