Publicidade

Correio Braziliense MODA

Confira o resumo dos principais desfiles do Brasília Trends

Com o intuito de reacender o polo fashion da capital, o Brasília Trends reuniu moda e design em uma programação extensa de quatro dias


postado em 02/12/2018 08:00 / atualizado em 30/11/2018 17:16

O cenário da moda e do design local, que andava morno desde o encerramento do Capital Fashion Week em 2015, voltou a ser sacudido. Com timidez, mas potencial, o Brasília Trends — Design Fashion Week debutou, na semana passada, no Millennial Convention Center, no clube da Ascade.

No evento, que também englobou fotografia, gastronomia e design, diversas marcas da cidade puderam expor seus produtos para possíveis compradores e empresários. A programação ainda não se estabeleceu como uma nova semana de moda em Brasília, mas abriu portas para novos talentos brasilienses exporem seus trabalhos.

Os desfiles tiveram uma programação à parte. Estilistas da cidade — em maioria ex-alunos de moda do Iesb e talentos premiados do Capital Fashion Week — desfilaram coleções ao lado de designers convidados de outras regiões, como Marcos Queyroz, de Goiás, e Rodrigo Fraga, de Minas Gerais. Confira os principais desfiles. 

Clássico moderno

Telmo Ximenes/Divulgação
Telmo Ximenes/Divulgação
O estilista goiano Marcos Queyroz, da grife Crioulo, apresentou o desfile mais profissional do evento. As peças têm um ar clássico, mas o corte reto, a modelagem ampla e a estampa tie-dye conferiram um toque contemporâneo. O neon, variação de cor que é uma tendência forte para a próxima temporada, trouxe vida às criações sóbrias. O laranja e o amarelo vibrante apareceram nos cintos, nas faixas e nos acessórios utilitários. O desfile da Crioulo foi coerente do começo ao fim, e ficou evidente um trabalho apurado de styling nas produções.


Frescor

(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
Leve e suave: o verão da marca brasiliense Guilda vai além da região Centro-Oeste e se encaixa em qualquer temperatura fresca do planeta. Conhecida por suas criações em seda pura, a marca trouxe como referências o provençal, o tropicalismo e o estilo campesino, em uma ode ao movimento, com nuances estruturais e fluidas extremamente femininas. As estampas de figo representaram uma memória familiar da estilista Meire Morais. “O início de cada coleção sempre vem do interno, do meu passado. As peças dessa, por assim dizer, são como frutos da centenária figueira que ficava em frente à casa da minha avó e que foi cenário de momentos muito felizes do meu tempo de criança.”


Inspiração londrina 

(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
O mineiro Rodrigo Fraga escolheu Brasília para retornar às passarelas. O estilista lançou a marca de alfaiataria masculina no fim dos anos 1990 e, atualmente, se dedica à criação de peças sob medida. A coleção The Kings of Regent Street foi inspirada nas ruas de Londres, onde Rodrigo se formou e morou durante oito anos com o irmão mais velho e também estilista, Ronaldo Fraga. “Londres vai ser parte de todas as minhas coleções, é impossível, para mim, criar sem me inspirar nessa cidade”, afirmou em backstage. Os contrastes entre o antigo e o moderno, constantes na capital londrina, ficaram evidentes no desfile. A trilha sonora foi escolhida por Rodrigo e tocou apenas clássicos ingleses. “São as músicas que escuto quando estou em casa.” Os ternos bem cortados eram dupla face e revelavam estampas modernas e ousadas. As coroas de papelão da Mobri, feitas por Gustavo Nebias, deram um toque divertido à coleção.


Artesanal

(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
O processo de construção artesanal e o reaproveitamento de resíduos têxteis direcionaram as linhas e formas das roupas do mineiro Ronaldo Silvestre. Sob a ótica do design, surgiu uma coleção atemporal, com peças que transcendem o tempo e inspiração nas memórias afetivas do estilista. O ponto alto da construção das peças ficou por conta do trabalho de re-tecido, feito por meio de tiras de viés jeans da Capricórnio Têxtil. Na elaboração, texturas e formas foram criadas, dando uma identidade única a cada peça produzida pelas mãos das mulheres da ONG Instituto Tecendo Itabira.

Minimalista

(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
A ítalo-brasileira Flavia Laboissiere, diretora-criativa da marca que leva seu sobrenome, desfilou pura e fielmente uma estética contemporânea, minimalista e inovadora. A referência oitentista, com ombros marcados e peças contrastantes, dialogou com a mulher que Laboissiere alcança: forte, independente e cosmopolita.


Do cerrado

(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
A Oui Mimi apresentou uma coleção toda feita a partir de garrafas Pet e fios reciclados de tecidos reaproveitados, além de cores inspiradas no cerrado. Com modelagens perfeitas para o clima de Brasília e tons claros, a marca desfilou looks com a identidade brasiliense. Antenada no slow fashion e na produção consciente, mostra-se como uma escolha para o público jovem.


Western 

(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
Reconhecido por vestir a cantora IZA e o DJ Alok, o jovem brasiliense Bernardo Rostand desfilou uma coleção coerente, atual e desejável. Escolheu a tendência western — que promete pautar as próximas temporadas — para começar o primeiro bloco de looks. Em seguida, bordados e vestido de festa e de noivas ocuparam o espaço com acabamentos caprichados e caimento impecável.


Projeto Síntese 

(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
(foto: Telmo Ximenes/Divulgação)
O desfile do projeto reuniu a identidade de marca dos estilistas brasilienses Sandra Lima, Viviane Kulczynski e Romildo Nascimento, revelados como novos talentos do extinto Capital Fashion Week. A coleção de verão de Viviane Kulczynski foi inspirada na literatura de cordel e trouxe texturas inusitadas, como o neoprene, em uma paleta de tons terrosos. Sandra Lima construiu peças em modelagem tridimensional, e Romildo Nascimento optou pela tendência das semanas de moda mundo afora: peças oversized — especialmente para o público masculino.

*Estagiárias sob supervisão de Sibele Negromonte

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade