Publicidade

Correio Braziliense PERFIL

Conheça Nathália Abi-Ackel, designer brasiliense que é sucesso país afora

Nathália traduz força feminina com criação de bijuterias cheias de personalidade e inspiração nas mulheres


postado em 16/12/2018 07:00 / atualizado em 18/12/2018 20:11

(foto: Abi-Project/Divulgação)
(foto: Abi-Project/Divulgação)

Em 2017, Brasília recebeu da Unesco o honroso título de cidade criativa em design. Não à toa, o trabalho das inventivas mentes brasilienses tem conquistado espaço país afora. Quando o assunto são acessórios, o nome de Nathália Abi-Ackel, 29 anos, é referência. As peças cheias de personalidade da Abi-Project se tornaram itens de desejo entre mulheres modernas de Brasília e do Brasil.

 

“Sempre vivi rodeada de mulheres de muita personalidade, originalidade e estilo. Com isso, criei o meu. Sempre ousei muito em relação a estampas, acessórios, sem medo de ser feliz!”, explica. A influência da mãe, Valéria Leão, renomada decoradora de eventos em Brasília, e da avó Moema Leão foram muito fortes na formação desse estilo.

 

Com a avó materna, ela aprendeu que o cafona é uma questão de ponto de vista, e que o importante é se divertir. Da mãe, ela herdou o processo criativo — Nathália defende que as flores, elemento presente em todas as coleções, vêm das festas floridas que Valéria organiza.

 

O estilo das peças da marca não é resultado de uma formação acadêmica na área. Nathália nunca fez faculdade de design. Cursou direito por três anos e foi morar fora. Fez cursos de moda em Paris e trabalhou na Brazil Foundation, em Nova York. De volta a Brasília, começou a cursar publicidade, mas trancou quando engravidou da primeira filha, Maria. “Meu sonho sempre foi fazer Belas Artes ou fashion business. Espero um dia conseguir realizá-lo.”

(foto: Abi-Project/Divulgação)
(foto: Abi-Project/Divulgação)

Atualmente, Nathália mora em Belo Horizonte — cidade onde o pai, o deputado Paulo Abi-Ackel, nasceu. Apesar da origem mineira, as raízes dela estão em Brasília. A avó materna, Moema Leão, empresária e idealizadora da CasaCor Brasília, foi uma figura importantíssima na história da jovem como designer.

 

“Aos 15 anos, eu comecei a fazer alguns colares e chaveiros por diversão. A brincadeira foi incentivada por minha avó. Comecei vendendo na escola, mas fui recebendo muitos pedidos e acabei convidada por Cleuza Ferreira para fazer um lançamento na Magrella.”

Paixão por moda

Nathália afirma que sempre foi apaixonada por bijuterias e sentia falta de uma marca brasileira com personalidade, tamanhos maiores e originalidade. Apesar dessa percepção, antes de se entregar ao universo dos acessórios, ela trabalhou como buyer da Maison Ana Paula, relações públicas em outras marcas e teve um brechó, o OMG, com a amiga Barbara Faria. “Sabia que queria mexer com moda, mas ainda não sabia onde.”

 

Até o dia em que a madrasta, Janaina Ortiga, a convidou para desenvolver uma coleção de acessórios para a loja Ortiga. Ao longo do processo criativo, a designer de coração foi se apaixonando e resolveu assumir esse amor e montar marca própria. “Comecei sem investimento e sem grandes expectativas”, conta. Para sua surpresa, na segunda coleção, já estava recebendo pedido do Brasil inteiro.

 

A inspiração por trás da Abi-Project são mulheres muito fortes e autênticas. “Sempre quis que meus acessórios empoderassem tanto minhas clientes quanto outras mulheres, por meio de histórias, colaborações e ações sociais.” A designer acredita que as peças da Abi não têm idade. Podem ser usadas por uma menina de 17 anos ou uma mulher de 80. Nathália ressalta que não cria modismos, por isso a marca acaba tendo um estilo próprio, com peças maxi e um ar vintage.

 

Sobre a recepção no mercado brasiliense, a jovem garante que não tem do que reclamar. A Abi foi muito bem recebida pela cidade. Por essa razão, mesmo com o escritório da marca localizado na capital mineira, ela sempre opta por lançar as coleções na capital. “São para as mulheres com quem eu cresci ao redor e me inspirei. Minhas amigas, as amigas da minha mãe... Faço questão de prestigiar quem sempre me prestigiou, e quem fez a Abi virar o que virou!”, enaltece.

 

A talentosa brasiliense conta que ainda pretende voltar a morar na capital. Ela sente muita falta da família e das amigas. A cidade natal também é motivo de saudade. “O lago, o verde, o bem-estar... Não existe cidade como Brasília.”

 

A Abi Project já ganhou destaques em grandes veículos de moda do país, está à venda em sete grandes multimarcas brasileiras e se prepara para lançar o e-commerce próprio ainda este ano. Aqui na capital, pode ser encontrada na Artefacto e na Q.U.A.D.R.A — ambas localizadas no Lago Sul. Em 18 de dezembro, será lançada a coleção de verão da marca, Daughter of Water.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade