Publicidade

Correio Braziliense FITNESS E NUTRIÇÃO

Crie uma rotina de exercícios durante as férias

Se não der para ir à academia, aproveite os atrativos da cidade em que está para se manter em forma


postado em 06/01/2019 07:00

Frequentadora assídua de academia, Fernanda Miranda pretende correr na praia durante as férias(foto: Marilia Lima/Esp. CB/D.A Press)
Frequentadora assídua de academia, Fernanda Miranda pretende correr na praia durante as férias (foto: Marilia Lima/Esp. CB/D.A Press)

As tão esperadas férias chegaram acompanhadas de horários mais flexíveis. Por isso, as obrigações devem ser adaptadas à leveza do período — incluindo os exercícios físicos. Para Leonardo Rocha de Moura, educador físico da academia Bodytech, a falta de rotina é o maior empecilho para manter a malhação em dia.

 

Assim como outras atividades são adaptadas, a dica para driblar a vontade de deixar os exercícios de lado é trocar o horário e estabelecer um momento mais adequado para cumprir a rotina. “Se você costuma malhar de manhã cedo, mude durante as férias e frequente a academia durante a tarde, para evitar que você durma muito e não acorde para cumprir as atividades”, orienta.

 

Katlhen Moreira, educadora física da FitOne, completa: “Quanto mais tempo livre a pessoa tem, maior a chance de postergar as atividades. O pensamento de deixar para mais tarde acaba resultando em não realizar a prática de forma alguma”.

 

Além de considerar a importância da prática de exercícios para a saúde, o prazer deve vir em primeiro lugar. A orientação da educadora é procurar atividades agradáveis e diferentes, dentro e fora da academia. “As aulas coletivas são mais dinâmicas e motivadoras, já que o professor está acompanhando de perto e incentivando os alunos”, sugere.

 

Kangoo jump, danças, aulas funcionais, aqua zumba e beach tennis são algumas alternativas dinâmicas para quem quer fugir da tradicional musculação.

Em outra cidade

Procurar prazer na atividade física é uma premissa importante, especialmente para quem está longe de casa — e é mais fácil do que se imagina. Por exemplo, deixar o táxi de lado e optar por fazer o percurso a pé ou de bicicleta é uma alternativa interessante, não só para ficar em dia com os exercícios, mas também para conhecer melhor a cidade.

 

Outra dica é, antes mesmo de viajar, se programar e conversar com algum educador físico que possa dar orientações de práticas ao ar livre — algumas cidades têm postos de exercícios com barras na rua, especialmente na praia.

 

Aproveite também o que a região tem a oferecer: corridas na praia, futebol de areia, surf, stand up paddle e remo são exemplos. Mas quem não vai visitar o litoral pode aproveitar as ladeiras, subir e descer escadas e visitar parques locais.

 

Fernanda Carla Miranda, 43 anos, vai visitar a família no Recife este fim de ano e aproveitar para realizar uma atividade física de que gosta muito. “Não costumo ficar parada — como vou ficar menos de um mês e não tenho a intenção de procurar uma academia, vou correr na praia bem cedinho, que é algo de que eu gosto de fazer há anos.”

 

O hábito de frequentar a academia perdura há 11 anos, e ela acredita que é fundamental não perder o ritmo para se manter focada na meta. “Eu quero adquirir massa muscular, então ficar parada por muito tempo pode me prejudicar e atrasar meu plano. É importante dar uma corrida, fazer abdominais e não deixar a saúde de lado”, acredita.

 

A maior dificuldade, para ela, é lidar com o horário. “Nossa rotina fica desregulada. Não temos hora certa para acordar nem para comer, e tudo é postergado”, relata. Mas, mantendo o ritmo, a possibilidade de sucesso é maior.

 

Como explica a professora de educação física Kathlen, os efeitos negativos de parar de vez com os exercícios dependem da duração do período. “Ganho de peso, diminuição da massa muscular, redução do condicionamento físico e da resistência são alguns dos problemas. Quando você se acostuma a não praticar, retornar é uma dificuldade, você tende a sempre adiar esse retorno”, diz.

Xô, sedentarismo

Para Cláudia Fernandes, 40 anos, a distância da academia não é desculpa para sedentarismo. A consultora de política está acostumada a se exercitar três vezes por semana, e na viagem ao Rio de Janeiro, este ano, não foi diferente.

 

“Para mim, é uma questão de saúde. Vejo como algo necessário e os benefícios são a longo prazo, como longevidade, vitalidade e redução de risco de doenças ligadas ao sedentarismo”, afirma a consultora. Ela preza por atividades que podem ser realizadas em qualquer lugar, como caminhada, alongamentos e exercícios isométricos.

Cláudia Fernandes não deixou de se exercitar mesmo quando estava viajando (foto: Arquivo pessoal)
Cláudia Fernandes não deixou de se exercitar mesmo quando estava viajando (foto: Arquivo pessoal)

“Como o corpo se habitua a se exercitar, com um pouco de foco, isso se torna rotina e será como escovar os dentes. O importante é que os exercícios devem ser uma atividade prazerosa”, garante o educador físico e nutricionista Leonardo Rocha de Moura. “Tomar cuidado com a hidratação, ingerir líquidos e frutas em geral também deve ser uma preocupação. É um período de maior liberdade, mas em que não devemos negligenciar completamente a saúde”, completa.

 

*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade