Publicidade

Correio Braziliense BICHOS

Período de cio das cadelas demanda cuidados especiais

Se a ideia é não ter filhotes, especialistas aconselham a castração


postado em 17/02/2019 08:00 / atualizado em 17/02/2019 15:24

Melina Amorim cuida de 14 cachorros: machos e fêmeas ficam separados no período fértil(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Melina Amorim cuida de 14 cachorros: machos e fêmeas ficam separados no período fértil (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Quem tem uma cadela não castrada sabe que, ao menos a cada seis meses, elas passam por um momento não muito fácil. Complicado não só para os pets, mas também para os tutores, o cio exige cuidados também com os machos que estão por perto, principalmente se filhotinhos não estiverem nos planos da família.

A turismóloga Melina Amorim, 43 anos, é protetora independente e convive diariamente com 14 cachorros dentro de casa. Entre eles, 10 são fêmeas e apenas duas, castradas. Melina já se acostumou e, sempre que uma delas entra no cio, separa os machos. Uns ficam na parte da frente da casa e outros, nos fundos. Ela garante que os animais nunca conseguiram cruzar, mesmo com a grande quantidade de bichos na residência.

Melina afirma que nem sempre os machos são o problema. Segundo ela, quem dá trabalho mesmo são as outras cadelas. “O cachorro geralmente fica cheirando, incomodando a fêmea, mas as outras brigam, não podem ficar juntas”, comenta.

De acordo com especialistas, é comum as cadelas ficarem mais carentes e irritadas nesse período. Além das alterações no comportamento, o corpo dá sinais de que a pet está prestes a ovular. A vulva, região da vagina, fica inchada e algumas cadelas podem apresentar sangramentos e secreção de um líquido transparente. O sangramento dura, em média, nove dias e é nessa fase que as fêmeas começam a ficar atraentes.

De acordo com a veterinária Renata Araújo, os cachorros são atraídos pelo cheiro, mas não cruzam, porque a cadela não permite. “Depois dos nove dias, ela vai começar a aceitar a cruza. É quando, geralmente o sangramento para e vem a secreção transparente”, detalha.

A veterinária Kassia Vieira complementa que a secreção deve terminar em até três semanas. Se passar disso, é preciso procurar um médico. O aspecto do líquido também é importante. “Se ficar viscoso ou esbranquiçado com cheiro ruim não é normal”, alerta.

A idade com que a cadela entra no primeiro cio varia, mas, em média, ocorre aos 6 meses de vida. O período fértil delas também é variável, geralmente, uma vez por semestre, caso não tenha sido castrada.

Evitando filhotes


Pink só entrou no cio uma vez e logo foi castrada(foto: Arquivo pessoal)
Pink só entrou no cio uma vez e logo foi castrada (foto: Arquivo pessoal)
A secretária Mariana Leal, 24, tem um casal de cachorros em casa, Pink e Totó. Durante o primeiro cio da cadela, Mariana ficou na dúvida se eles cruzariam ou não. “Ela é maior que o cachorro, eu não sabia se eles conseguiriam. Eles ficam dentro de casa, então, pedi ajuda, porque não sabia se eu precisava separar logo ou depois”, lembra. A jovem decidiu não arriscar. E, assim que Pink começou a sangrar, já separou os dois.

A situação não chegou a se repetir. A cadela só teve um cio na vida. Contemplada por um programa de castração pública, os dois cães foram castrados. Mariana conta que o procedimento sempre esteve nos planos dela. Além de não precisar mais se preocupar com o período fértil de Pink, a cirurgia evita algumas doenças. Durante a castração são retirados o ovário e o útero, o que reduz problemas hormonais e diminui as chances de ter câncer de mama e tumor de ovários. Nos machos, entre os benefícios do procedimento, está a prevenção do câncer de próstata.

De acordo com a veterinária Kassia, as cadelas não precisam passar pelo primeiro cio para procurarem a cirurgia. “A castração precoce é melhor porque ela tem um maior efeito protetor”, destaca. Para aqueles animais não castrados, o ideal é separar o macho da fêmea assim que a cadela apresentar sinais de que está entrando no cio.

A veterinária Renata frisa que os tutores jamais devem dar anticoncepcional para as cadelas, como uma forma de evitar filhotes, devido aos efeitos prejudiciais aos animais. Caso os bichos cheguem a cruzar, os donos também não devem tentar separar os dois durante o ato. “Já vi gente machucar cachorro tentando separar pets que já estão grudados”, adverte.

O ciclo reprodutivo da cadela

• Proestro: período no qual a cadela começa a atrair o macho, mas ainda não cruza. Apresentam sangramento e ficam mais carentes e estressada.
• Estro: quando ela está ovulando.
• Diestro: quando ela não aceita mais o macho. Se tiver cruzado, a cadela vai começar a gestação
• Anestro: período em que a cadela não tem interesses reprodutivos. Dura em média seis meses.
Fonte: Veterinária Kássia Vieira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade