Publicidade

Correio Braziliense

Publicar fotos com o parceiro faz bem, mas o espaço individual importa

Pesquisadores das Universidades de Kansas e Pittsburgh, nos EUA, publicaram estudos sobre o impacto de publicações online comparando postagens de experiências com e sem o parceiro


postado em 05/03/2019 14:23

(foto: Reprodução da internet)
(foto: Reprodução da internet)

 
Passado o carnaval, muitas fotos e muito o que compartilhar nas redes sociais. Se você tem uma parceria romântica, na hora de publicar seus posts nas redes sociais, é melhor que ela também apareça. Parece só uma questão de bom senso, não é?
 
Para muitos, a exposição de nossos sentimentos e experiências do dia a dia nas redes sociais é hoje uma das principais formas de se manter em contato com a família e os amigos. Não há dúvida que essa mudança cultural de menos encontros pessoais e telefonemas e mais posts afeta nossos relacionamentos e estamos só começando a entender a dinâmica dessa transição. Estudos têm mostrado que esse compartilhamento de experiências pessoais tem impacto mais positivo do que negativo, e explica parcialmente porque essa prática é tão disseminada. Mas é sempre rico ter um olhar 360º para esse fenômeno.   

Quando olhamos para os efeitos de nossas postagens de experiências pessoais na cabeça de nosso par romântico, é melhor que ele também apareça. Pesquisadores das Universidades de Kansas e Pittsburgh, nos EUA, acabam de publicar cinco estudos mostrando o impacto dessas publicações, em contextos online e off-line, comparando postagens de experiências com ou sem o par. 

Publicações de experiências pessoais que não incluem o outro têm impacto negativo, gerando insatisfação e sensação de menor intimidade na relação. O outro pode se sentir menos especial. Ao contrário, quando incluímos o outro, o efeito é positivo. É uma forma de confirmação que a relação do casal é importante. 

Calma lá! Continuemos com nosso olhar 360. Uma relação saudável passa pelo respeito ao espaço individual de cada um e experiências pessoais devem ser entendidas como uma gasolina premium para a qualidade e a longevidade dessa relação. Não deixem de publicar os posts da pescaria com os amigos em que ela não foi convidada ou da viagem de bicicleta com as amigas em que ele não foi convidado. E mais: não queira ser convidado para tudo que o outro faz. 

* Dr. Ricardo Teixeira é neurologista e Diretor Clínico do Instituto do Cérebro de Brasília

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade