Publicidade

Correio Braziliense NEURÔNIOS EM DIA

Saciedade sem comer? A força do pensamento pode fazer isso


postado em 01/04/2019 16:30

Você está comendo um alimento saboroso, só na imaginação, 33 vezes seguidas. Após esse exercício, o alimento é oferecido ao vivo e em cores e você estará apenas com a metade do apetite de quem que fez outro exercício de imaginação, como manipular moedas. Isso foi testado com confeitos M&M e com pedacinhos de queijo, mas quando o experimento era com queijinhos, o apetite por chocolate não diminuía, e vice-versa. A saciedade não era transferível para outro tipo de alimento. Essas experiências foram publicadas pela revista Science e abriram discussões calorosas sobre o poder da mente no controle de peso. 
 
Essa saciedade mental pode ser explicada pelo efeito de habituação. Estímulos repetitivos passam a não ter mais ou mesmo impacto depois de um tempo. A primeira mordida costuma ser a mais gostosa. Entretanto, a última mordida também tem seu valor. Se sobrarem dois biscoitos em uma lata, eles serão considerados mais gostosos do que quando a lata está cheia.
 
O banquete mental teve seus efeitos colaterais. A vontade de comer outras comidas que combinavam com o alimento teste aumentou. Quem imaginou a degustação de queijinhos comeu menos queijo depois, mas comeu mais pão.
 
O poder da mente é realmente incrível. Este mês, pesquisadores canadenses mostraram que, só o fato de sermos confrontados com mensagens subliminares que nos lembram do café, já faz com que fiquemos mais alertas, mesmo sem chegarmos perto de uma xícara.
.
*Dr. Ricardo Teixeira é neurologista e Diretor Clínico do Instituto do Cérebro de Brasília  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade