Publicidade

Correio Braziliense CASA

Clima intimista: Chegada do outono pode deixar o ambiente mais aconchegante

Leve a estação para dentro do lar, saiba como usar os elementos característicos da meia-estação para deixar o espaço quentinho e confortável


postado em 14/04/2019 08:00

A varanda de estar projetada por Beatriz Teixeira oferece, sobretudo, graça e aconchego. Os troncos de árvore, inicialmente descartáveis, foram transformados em mesinhas de centro. O tom de verde remete à sensação de acolhimento(foto: Beatriz Teixeira/Divulgação)
A varanda de estar projetada por Beatriz Teixeira oferece, sobretudo, graça e aconchego. Os troncos de árvore, inicialmente descartáveis, foram transformados em mesinhas de centro. O tom de verde remete à sensação de acolhimento (foto: Beatriz Teixeira/Divulgação)

A chegada de uma nova estação é uma ótima oportunidade para renovar os ares. Muita madeira, tecidos mais pesados e tons sóbrios são a cara do outono e reforçam o clima intimista. “O outono retrata tempos de mudança. É a transição do verão, que é ‘extrovertido’, para o inverno, mais reservado. Por isso, remete à reflexão e a momentos mais íntimos, mais aconchegantes”, explica a arquiteta Beatriz Teixeira.

Para se adequar à temporada, ela afirma que a madeira é uma ótima opção. “É item fundamental para esquentar o ambiente, porque remete à natureza e traz acolhimento e aconchego.” Os porcelanatos que imitam madeira estão bastante em alta, tanto pela estética quanto pela qualidade e resistência, visto que pode ocupar até espaços molhados, como explica a arquiteta Natalia Noleto. Os bancos de madeira, seja para a área externa, seja para interiores, também ficam charmosos e têm tudo a ver com a decoração outonal.

Nesta época, os espaços com pouca incidência do sol tendem a ficar com temperatura mais amena, o que conversa bem com mantas, tapetes e cortinas. Natalia explica que ambientes com pisos frios, como os de cimento queimado e granito, feitos de pedras, pedem tapetes. Em contraposição com texturas e relevos, os tecidos quentes favorecem a sensação de acolhimento. Os tricôs, os pelos e o linho são boas ideias de materiais para a temporada.
 
A cozinha apresenta detalhes em cores e elementos que favorecem o espaço e %u201Cesquentam%u201D o ambiente. O projeto é de Beatriz Teixeira.(foto: Beatriz Teixeira/Divulgação)
A cozinha apresenta detalhes em cores e elementos que favorecem o espaço e %u201Cesquentam%u201D o ambiente. O projeto é de Beatriz Teixeira. (foto: Beatriz Teixeira/Divulgação)
 

A paleta que celebra a estação tem tons de vinho, cinza e laranja não tão vibrante. O creme cai melhor do que o branco; e o azul e o verde surgem em versões mais fechadas, a exemplo do azul-petróleo, do verde-musgo e do verde-militar. Natalia também propõe explorar, na decoração, tons terrosos, que lembrem a paisagem alaranjada associada ao outono. “Fica interessante misturar as cores da estação com peças em xadrez, geométricas ou com pied-de-poule — estampa clássica na moda que foi trazida para o design de interiores”, acrescenta.
 

Detalhes


Mesmo sem grandes reformas, é possível levar o outono para a decoração. Dá para investir nas paredes, com uma pintura diferente ou com a aplicação de papel de parede. Natalia explica que, hoje, o mercado apresenta opções que aceitam pintura mais de uma vez.

Outra ideia é apostar em sousplats (apoio para pratos), louças, toalhas e cobertores nos tons da estação. “Trocar as capas das almofadas é uma saída para quem desejar incrementar o espaço. Funciona para o outono e também para o inverno, por exemplo”, acrescenta Natalia Noleto. Nessa proposta, o toque amadeirado, versátil e atemporal fica por conta do uso de cores em detalhes na decoração e das molduras para quadros.

No outono, o sol ainda aparece, ocasião para aproveitar as varandas e os espaços ao ar livre. Ainda sem se valer de grandes mudanças, as velas e as claraboias são elegantes, fáceis de ambientar na decoração e contribuem para criar uma atmosfera outonal.

Mas integrar todos os elementos pode pesar o ambiente e acabar em exagero. É preciso prestar atenção ao excesso de cores terrosas, tons sóbrios, amadeirado e panos. Nesta época, os tons mais quentes realmente ajudam a reter o calor, mas deve haver equilíbrio. Beatriz esclarece que, quando se fala em “esquentar” o espaço com esses recursos, pode ser fácil desequilibrá-lo.

Mas o mais importante é ambientar os elementos da temporada de acordo com os gostos pessoais. Beatriz Teixeira destaca que, independentemente das tendências, personalizar o espaço com aquilo que realmente carrega um significado é o mais importante. Para compor o lar e ainda se manter atual na temporada, a arquiteta recomenda procurar objetos com valor pessoal e integrá-los ao projeto. “Um casal que gosta muito de viajar, por exemplo, pode e deve trazer os objetos que remetem à vida deles e o que já viveram para a casa”, complementa.

*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade