Publicidade

Correio Braziliense

No coração do lar

Ponto de encontro da família, a cozinha deve ser muito bem pensada. É preciso aproveitar cada pedacinho do espaço e garantir a segurança do cozinheiro


postado em 26/05/2019 04:10 / atualizado em 01/06/2019 19:32

As cozinhas integradas são muito pedidas, e a arquiteta Cláudia Alionis alerta para a importância do exaustor(foto: Rafael Renzo/Divulgação)
As cozinhas integradas são muito pedidas, e a arquiteta Cláudia Alionis alerta para a importância do exaustor (foto: Rafael Renzo/Divulgação)








A cozinha é considerada, por muitos, o coração da casa. O lugar onde as refeições são preparadas e consumidas é também um espaço de convivência familiar e entre amigos. Por isso, é fundamental planejar bem esse ambiente para ter melhor aproveitamento e poder cozinhar com segurança.

A arquiteta Adriana Pestana destaca que, ao montar uma cozinha, é importante considerar o espaço e como ele será usado. “Na hora de escolher o material para a bancada, é preciso pensar na resistência ao calor, ao impacto e a possíveis riscos. Ele também deve ser fácil de higienizar”, pondera Adriana.

Cláudia Alionis, também arquiteta, ressalta que existem algumas opções disponíveis no mercado. “O granito é uma alternativa natural boa. Já o mármore não é indicado, por ser muito poroso e mole”, exemplifica. Entre as opções sintéticas, existem o corian e neolith — o último muito resistente ao calor, esclarece Adriana.

Na hora de montar uma cozinha, também é necessário pensar no propósito e no dia a dia da família. “Em algumas casas, optam por uma cozinha gourmet, para ser usada em ocasiões especiais, e uma mais funcional”, comenta Cláudia. Adriana também aconselha pensar nos materiais usados e em seu propósito. “Para usar maçarico, por exemplo, é preciso um material de altíssima resistência.”

Adriana lembra que as cozinhas integradas, com bancada americana, são as mais pedidas. “São ótimas para você receber os amigos enquanto cozinha”, justifica. No entanto, a arquiteta alerta quanto à circulação pelo ambiente. “Cozinhas retangulares, por exemplo, não funcionam com ilhas no meio.” Cláudia Alionis aponta ainda a importância do exaustor para não deixar a casa engordurada.

* Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade