Publicidade

Correio Braziliense OBESIDADE

Especialista ensina como não cair em armadilhas para emagrecer

Especialistas alertam para os perigos que rondam a indústria do emagrecimento a qualquer custo


postado em 07/07/2019 08:00 / atualizado em 12/07/2019 13:46

Para Rick Sá, é fundamental entender a obesidade como um aspecto que envolve corpo, mente e espírito(foto: Rick Sá/Divulgação)
Para Rick Sá, é fundamental entender a obesidade como um aspecto que envolve corpo, mente e espírito (foto: Rick Sá/Divulgação)
Mais da metade da população brasileira está obesa. E, por questões de saúde ou por motivos estéticos, muita gente estabelece a perda de peso como meta, tornando o mercado do emagrecimento extremamente promissor. Não é difícil encontrar produtos que prometem soluções milagrosas. Seja em formato de cápsulas, shakes, medicamentos, seja por dietas restritivas, sempre tem alguém tentando oferecer a fórmula para alcançar resultados rápidos e sem esforço.

No entanto, vários estudos comprovam que promessas assim não surtem efeito. É isso que o especialista Rick Sá se propõe a questionar no livro O dinheiro do mundo que não emagrece, lançado no mês passado. “É um esforço para que o leitor enxergue os efeitos da indústria do emagrecimento na vida de todos nós. Existem múltiplos negócios estrategicamente posicionados para gerar lucros e fazer com que as pessoas se sintam seduzidas para consumir produtos que não têm nenhuma efetividade no emagrecimento”, justifica o personal trainer.

A prova disso, para ele, é que os índices de obesidade no Brasil e no mundo estão em aumento constante. “Os esforços e medicamentos estão se multiplicando, porém as taxas da doença crescem todos os dias. A conta não fecha”, pondera. Segundo a última pesquisa do Ministério da Saúde, realizada com base em entrevistas por telefone, em 2017, 53% dos brasileiros estavam com excesso de peso e 45,8% praticavam atividade física insuficiente.

Na obra, o autor retrata algumas das “armadilhas do emagrecimento”, como ele nomeia as técnicas do mercado que pretendem vender produtos sem compromisso com a veracidade dos resultados. “Alguns remédios para emagrecer, por exemplo, são prescritos sem cuidado e atenção de que primeiro deve haver mudanças comportamentais e atendimento especializado”, exemplifica o especialista.

A nutricionista funcional e especialista em obesidade Gladia Bernardi concorda com Rick Sá. “As empresas se aproveitam de um público que prefere os caminhos mais fáceis. As pessoas pagam para reduzir seus esforços e preferem descobrir na prática porque acreditam ter resultados mais rápidos”, considera.

O poder da mente


Gladia Bernardi, que também é autora do livro O código secreto do emagrecimento, explica que emagrecer extrapola as questões puramente físicas do corpo humano. “Precisamos entender que a nossa mente comanda ações e condutas e que, muito mais do que cuidar dos aspectos físicos, é essencial compreender os fatores emocionais que disparam aquele comportamento”, explica. Ela promove uma técnica que busca tratar a forma de pensar da pessoa com excesso de peso para alcançar resultados duradouros.

Já o nutricionista Omar de Faria Neto usa o exemplo dos atletas fisiculturistas para que as pessoas que querem emagrecer compreendam melhor a importância da reeducação alimentar e do exercício físico. “Se esses atletas precisam ralar se exercitando e tendo uma alimentação regrada para obter aquele físico, como as pessoas que têm uma vida comum ou sedentária esperam alcançar os objetivos apenas com remédios milagrosos?”

Para Omar, é perigoso que tantos profissionais prometam esse tipo de resultado aos pacientes, criando uma expectativa que não será atendida, causando ainda mais danos a quem busca o emagrecimento. O nutricionista acrescenta que muitas dessas pessoas acabam desenvolvendo depressão ou transtornos de autoimagem por não conseguir atingir o objetivo que almejam e que foi prometido a eles por profissionais irresponsáveis que buscam apenas o lucro.

Omar explica ainda que, por mais que existam medicamentos que auxiliam e são indicados para pacientes em casos mais extremos, eles sempre precisam estar aliados à reeducação alimentar e ao exercício físico. Para o nutricionista, antes de buscar um profissional ou personal trainer, é importante avaliar se ele oferece “atalhos” para o alcance do objetivo. “Ao ter contato com esse tipo de profissional, sugiro que a pessoa corra, pois ele está mais interessado em se beneficiar colocando em risco a saúde do paciente ou cliente.”
 

Serviço
O dinheiro do mundo que não emagrece
Autor: Rick Sá
Editora: Polo Printer
Preço: R$ 59,90
Vendas pelo site da editora Polo Printer (www.livrariapolobooks.com.br) e pelo Instagram do autor (@rick_sa) 


*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade