Publicidade

Correio Braziliense BELEZA

Na textura certa: aprenda a não errar na make

Com a promessa de mais durabilidade e de proporcionar efeito matte, as makes em pó têm feito sucesso. Mas, para especialistas, é preciso escolher o produto que melhor se adapte ao seu tipo de pele


postado em 02/09/2019 07:00

Quando se fala de maquiagem, produtos em pó têm lugar bem definido. E não é de hoje. A sombra, o blush, o pó bronzeador são itens comuns na nécessaire dos brasileiros, frequentemente em acabamentos compactos. Hoje, até o batom pode ser encontrado na versão em pó. A textura é ideal para segurar a oleosidade causada pelas altas temperaturas do país.

No entanto, antes de adquirir a make do momento, é preciso atenção. Diante da atual diversidade de texturas e acabamentos — brilhoso, acetinado, matte etc. — disponíveis no mercado, o gerente de Desenvolvimento de Produtos do grupo O Boticário, Gustavo Dieamant, destaca que a consciência do tipo de pele pode ajudar na hora de fazer uma compra inteligente.

“Cada pele é única e precisa de um cuidado especial. Por isso, às vezes, um produto que funciona para uma pele mais seca talvez não ofereça o melhor resultado se usado em uma pele oleosa. Normalmente, peles secas tendem a se adaptar melhor com produtos cremosos, de cobertura mais natural a média. Nesse tipo de pele, por exemplo, uma base matte pode acabar ressecando e entregando um efeito que não é o ideal.”

A maquiadora Brigitte Calegari, 27 anos, reforça que os acabamentos em pó não são os mais indicados para peles secas ou maduras. “Nesse caso, não gosto de usar, particularmente, o pó facial no rosto todo. Aplico de forma mais pontual, para tirar o brilho dos locais onde não é legal ter brilho, como nas laterais do nariz, entre o nariz e a maçã do rosto, no queixo e na testa.”

Se a dúvida entre texturas cremosas, pó compacto ou solto persistir — principalmente nos donos de pele mista e sem fortes linhas de expressão —, Gustavo indica outros pontos para analisar antes de adquirir o item. E ainda dá dicas para resultados melhores. “Os produtos compactos costumam ter uma pigmentação um pouco inferior aos soltos, mas nada que cause grande diferença e não seja corrigido com um pincel molhado ou outra técnica de maquiagem. Uma base, por exemplo, se for em pó, terá um acabamento mais leve e natural, enquanto se for líquida, poderá ter uma cobertura de média a alta. Já as sombras cremosas tendem a ser mais pigmentadas do que as em pó, e também tendem a durar mais nos olhos.”

Os profissionais ressaltam que a escolha de um produto está atrelada ao gosto pessoal do cliente, basta tomar pequenos cuidados para favorecer seu tipo de pele e procurar o que melhor proporciona o acabamento desejado.

*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte


Lábios borrados


Que os produtos em pó alcançaram todos os segmentos de maquiagem, seja por oferecerem um resultado duradouro, seja pelo amado efeito matte, já sabemos, mas o que parecia distante à imaginação é que a textura chegaria ao batom. Savana Sá, maquiadora e vencedora da categoria Publicidade Prêmio Avon de Maquiagem, explica que o pincel do novo batom em pó da marca facilita no momento de uso do produto. “A aplicação do batom em pó é extremamente fácil. O pincel aplicador esfuma e, ao mesmo tempo, dá mais controle e precisão onde aplicamos o produto.”

A era dos lábios bem desenhados e extremamente definidos deu espaço para um novo estilo no meio da beleza. O blurred lips (lábios borrados) oferece um efeito esfumado nos limites da boca e uma concentração maior de pigmento no centro. Para resultados como esse, Savana afirma que as opções de batons em pó favorecem na hora de obter algo mais natural e prático.

Para produtos com outras texturas, ela dá dicas de aplicação. “O batom líquido tem o aplicador mais firme, porém não permite esfumar com o próprio pincel, então aconselho, primeiro, fazer o contorno no lábio e, depois, preencher com o batom. Ao mesmo tempo em que o batom em barra talvez seja o mais prático de aplicar, é o mais difícil de conseguir o acabamento perfeito, exigindo, na maioria das vezes, o uso de um pincel para contorno”, explica.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade