Publicidade

Correio Braziliense FITNESS & NUTRIçãO

A importância de respeitar os intervalos no treino para ganhos na academia

Dar uma pausa entre um exercício e outro é, sim, necessário para recuperar o corpo. Mas extrapolar esse tempinho compromete o rendimento na atividade


postado em 08/09/2019 07:00 / atualizado em 09/09/2019 11:57

Igor Lima conta com a ajuda do personal para conseguir manter o intervalo regular entre os treinos (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
Igor Lima conta com a ajuda do personal para conseguir manter o intervalo regular entre os treinos (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
Uma cena comum nas academias é ver praticantes de musculação dando voltas, papeando, os olhos caídos sobre as telas dos celulares. O que deveria ser uma pausa para preparar o corpo para o estímulo seguinte vira momento de recreação. Mas o efeito desse comportamento pode custar caro. Afinal, controlar o tempo de descanso durante o treino é determinante no resultado que se pretende atingir.

Segundo o professor de educação física Gustavo Botelho, respeitar esse intervalo é importante para a conscientização. “Para maximizar os ganhos, quem se exercita deve entender os motivos pelos quais realiza aquela sessão de treinamento. Ajuda muito.”

Nesse tempinho, o organismo também se recupera para a próxima série e evita o overtraining — o excesso de treino. Se o controle for adequado, a pessoa consegue realizar o mesmo trabalho, com a mesma carga e, com isso, evoluir no próprio tempo.

É fato: alguns adeptos da musculação acabam excedendo o tempo de pausa prescrito. No entanto, com algumas adaptações, é possível fazer a “social” e respirar um pouquinho sem que isso prejudique o treino.

Gustavo aconselha que ter uma boa noite de sono é primordial para ajudar no foco. A questão nutricional, com pré e pós treinos adaptados às necessidades de cada pessoa, também. E, porque não, moderar na conversa com os colegas. “É a história do acompanhamento multidisciplinar. Faz toda a diferença na autodisciplina e ajuda a atingir os melhores resultados”, sustenta.

É importante ressaltar que a orientação não é a mesma para todos. O tempo de descanso varia de acordo com o perfil e objetivo do praticante. O especialista em treinamento de força Luiz Schmit explica que, em regra, treinos com carga máxima pedem muito descanso. Se a carga for mediana, o descanso é menor.

Recuperação

“Quando a intenção é desenvolver força, a ideia é que a pessoa esteja recuperada do estímulo anterior para ter um bom rendimento no próximo. Nesse treino de musculação mais pesada, a ideia é esperar de três a cinco minutos até passar para o exercício seguinte. Se não esperar esse tempo mínimo, fica difícil realizar bem os movimentos e manter uma carga interessante”, explica. Já quando o objetivo é ganho de massa magra, o descanso varia de um a três minutos.

Mas ficar um diazinho sem treinar também pode fazer muito bem para a recuperação muscular. Basta organizar a rotina de exercícios. “Intercalar os dias de malhação passa a sensação de tranquilidade, ajuda nos aspectos cognitivos e na diminuição do nível de ansiedade, entre outros benefícios”, aponta Gustavo. Isso não quer dizer que está liberado furar o protocolo: estima-se que com 10 dias sem se exercitar o praticante começa a perder massa magra e o que mais foi conquistado.

Disciplina

A rotina pesada de Igor lima, 26 anos, não deixa tempo para a malhação diária que ele gostaria. Mesmo assim, o professor de biologia consegue manter o ritmo de três a quatro vezes na semana com musculação. O objetivo da atividade é alcançar um corpo mais malhado e com menos gordura. “A princípio, malho pela questão estética mesmo. Mas a saúde vem junto, dá para notar”, conta.

Na academia, Igor considera importante o tempo para recuperar o fôlego, mas diz que, se não fosse o apoio do personal, não conseguiria respeitar as pausas entre as séries de jeito nenhum. “Se eu descanso de menos, o corpo fica em estado de fadiga. Se descanso muito, fico em estado de relaxamento total, perco o pique. Então, ter alguém me orientando é importante.”

Buscando melhorar esse aspecto, Igor já tentou malhar com relógio para controlar o tempo ou contar os minutos nos aparelhos da academia, mas não deu certo. Para ele, a ajuda vem mesmo da instrução profissional. Ele conta que o professor monta uma sessão adaptada ao tipo de corpo dele, ao objetivo e ao tempo que tem disponível.

Com a agenda apertada, respeitar as pausas para descanso otimiza muito o tempo que o professor de biologia passa na academia, além, claro, de melhorar a potência dos exercícios que executa. “Quando faço as coisas no tempo certo, consigo concluir o treino com sensação de dever cumprido”, acredita.
 
*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade