Publicidade

Correio Braziliense

O prazer de cozinhar

Ex-estudante de direito, professor de jiu-jítsu e com espírito empreendedor, jovem começou a preparar comidinhas para os amigos e hoje comanda um café no Noroeste


postado em 08/09/2019 04:21 / atualizado em 09/09/2019 14:56

"Eu adoro cozinhar, principalmente para os amigos. Também amo comer e preparar as coisas de que eu gosto. Mas a rotina enlouquecedora e repetitiva de uma cozinha de restaurante é algo que não me agrad" Victor Bastos, 27 anos (foto: Sibele Negromonte/CB/D.A Press)

Cansado de comer comida congelada sempre que passava os fins de semana com os amigos, Victor Bastos, 27 anos, decidiu se arriscar no fogão. As pizzas e lasanhas compradas prontas logo foram substituídas por pratos frescos e deliciosos. O sucesso foi tanto que o então estudante de direito recém-saído da adolescência se tornou o cozinheiro oficial da galera. Naquele época, ele nem imaginava que a gastronomia seria, futuramente, seu ganha-pão.

E esse caminho começou a ser traçado ainda muito cedo. Victor estava cursando direito quando um amigo lhe propôs sociedade em um bar. Administrador, o futuro sócio ficaria responsável pelo gerenciamento do negócio, e Victor, pela cozinha. Diante da proposta, ele decidiu largar a advocacia e ingressar na faculdade de gastronomia, no Iesb. “Acabou que nem chegamos a abrir o bar”, recorda-se.

Mas o espírito empreendedor falou mais alto, e ele acabou entrando em um novo negócio com outro amigo, também no ramo da gastronomia. O Be Healthy fornecia comida saudável congelada, via delivery, com cardápio elaborado e executado por Victor.

A pegada saudável, que incluía comida caseira, caldos e sucos, tinha razão de ser. O rapaz, praticante de jiu-jítsu, sempre foi amante dos esportes. A empresa funcionou por todo o ano de 2016, até que o sócio decidiu viajar pelo mundo. Ainda cursando gastronomia, Victor não quis tocar o negócio sozinho. Desistiu da Be Healthy, mas não do empreendedorismo.

No ano seguinte, arrendou a lanchonete do Kale, espaço que reúne atividades de bem-estar e saúde e funciona dentro do Porto Vittoria. “Uma colega de faculdade estava vendendo o espaço e decidi comprar”, lembra. Mais uma vez, Victor seguia a linha da gastronomia saudável, com tapiocas, omeletes, sanduíches, sucos e vitaminas.

Em fevereiro de 2018, Victor, porém, decidiu vender a lanchonete, porque pretendia estudar para o concurso da Polícia Militar. “Meu grande sonho sempre foi ser policial. E ainda é. Mas, por questões pessoais, acabei não me preparando tanto quanto deveria, e não passei.”

Do jiu-jítsu para o café

Na mesma época, o lutador de jiu-jítsu começou a dar aula em uma academia no Noroeste. Um dia, ao fim do treino, Victor saiu para tomar um caldo com uns amigos. Durante o bate-papo, acabaram descobrindo algo em comum: queriam abrir um negócio no ramo de gastronomia. “Quando um falou nisso, nós nos entreolhamos e, de cara, decidimos virar sócios.” Daquele encontro até a abertura do Cafeína & Co, foram apenas 50 dias.

O trio saiu dali decidido a encontrar um ponto comercial — de preferência, no Noroeste, onde uma das sócias mora, e onde ainda há pouco serviço à disposição dos moradores. Uma delas, arquiteta, cuidou da reforma da loja; a outra, apaixonada por café, ficou responsável pela seleção dos grãos e dos baristas; e Victor, claro, pelo cardápio.

A cafeteira abriu no fim de junho, com foco nos cafés especiais e um menu enxuto, pensado sob medida para combinar com a bebida carro-chefe. São tapiocas, sanduíches e tostados, como o de vinagrete de abacate, cuja receita Victor compartilha com os leitores da coluna. Simples e fácil de fazer.

O chef garante que a aceitação dos moradores do Noroeste — e até de fora de lá — foi a melhor possível. “Principalmente, no café da manhã nos fins de semana, o movimento tem sido muito bom.” São apenas 28 lugares distribuídos em um lugar charmoso e aconchegante. “Muitos clientes já estão se tornando amigos.”

Os planos de Victor em ser policial não foram abandonados. “Eu adoro cozinhar, principalmente para os amigos. Também amo comer e preparar as coisas de que eu gosto. Mas a rotina enlouquecedora e repetitiva de uma cozinha de restaurante é algo que não me agrada”, justifica. Mas, enquanto não realiza o sonho principal, Victor continua a dividir os dotes culinários, inclusive com os desconhecidos.

Toast de vinagrete de abacate

Ingredientes
  • 800g de abacate
  • 480g de tomate italiano
  • 120g de cebola roxa
  • Suco de 1 e 1/2 limão
  • Sal a gosto

Modo de fazer
  • Corte o tomate e a cebola em cubinhos e, por último o abacate (para que não escureça). Acrescente o suco do limão e o sal.
  • Sirva sobre pão. No Cafeína, eles usam um pão de forma brioche de fermentação natural.

Serviço
Cafeína e Co
CLNW 10/11, Bloco K, Loja 5
Instagram: @cafeinaeco
Abre de terça a sexta-feira, das 10h às 20h, e sábado e domingo, das 8h às 19h.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade