Publicidade

Correio Braziliense

SPFW: tudo o que você precisa saber sobre o primeiro dia de desfiles no Ibi

Marcas apresentaram propostas de inverno reinventando clássicos. Os contrastes de Reinaldo Lourenço, a atualização do estilo boho da Bobstore e a força feminina nos designs de Lilly Sarti foram destaques do dia


postado em 16/10/2019 17:34 / atualizado em 16/10/2019 18:07

(foto: fotosite/divulgação)
(foto: fotosite/divulgação)

 
Os desfiles desta terça-feira (15) trouxeram para as passarelas do São Paulo Fashion Week número 48 propostas de inverno revisitando clássicos com um toque de contemporaneidade. Confira os destaques que marcaram as passarelas no primeiro dia da edição de volta ao Pavilhão das Culturas Brasileiras no Parque Ibirapuera. 

Boho contemporâneo

(foto: fotosite/divulgação)
(foto: fotosite/divulgação)

 

As icônicas paredes de tijolinhos da Pinacoteca de São Paulo serviram de plano de fundo para o desfile de Outono Inverno 2020 da Bobstore. Inspirado na arte abstrata de Hilma Af Clint — daí a locação do desfile, onde a artista expôs pela primeira vez solo na América Latina —, Emma Kunz e Agnes Martin, as criações de André Boffano, diretor criativo da marca, trouxeram para as passarelas um mood boho com um perfume dos anos 70.
 

 
A modelagem oversized agrega conforto e atualidade à coleção, assim como os comprimentos mini e midi, que contrastam com as botas com amassadura. Em destaque, as mangas compridas e em texturas e padronagens inusitadas. O misticismo característico da obra das artistas foi representado na paleta de tons terrosos, beges e com pontos de luz em cores mais vivas como o laranja, o roxo e o azul.
 
(foto: fotosite/divulgação)
(foto: fotosite/divulgação)
 

O contraste entre peças em tricô, alfaiataria, couro e seda trouxe mais contemporaneidade às modelagens clássicas e tradicionais da marca. A beleza, assinada por Daniel Hernandez, foi definida por Boffano como “uma referência às bruxas do sul estadunidense” — a trança baixa e os fios soltos na parte da frente ornaram com chapéus em uma pegada western. 

Contrastes em harmonia

(foto: fotosite/divulgação)
(foto: fotosite/divulgação)

 

O inverno de Reinaldo Lourenço é rocker com nuances de romance e pontos de luz em cores fortes. Para o desfile, a marca trouxe um encontro entre o requinte da realeza e a radicalidade dos punks. 
 
A coleção Softpunk, da marca homônima, mistura em um mesmo look elementos industriais e românticos que conversam em harmonia. Para compor os contrastes, estampas florais, bordado inglês, fivelas, saias plissadas, vestes e jaquetas compõem silhuetas e shapes únicos. 

A paleta de cores, composta por uma série de peças em total black, convive com o frescor dos tons de rosa, off white e azul claro. Botas com tachas em modelos mais imponentes e sapatos masculinos riscaram as passarelas. 

Fluidez bucólica

(foto: fotosite/divulgação)
(foto: fotosite/divulgação)

 

Na voz da top internacional Bárbara Fialho, a canção “Casa no Campo” embalou o desfile da estilista mineira Fabiana Milazzo. A coleção de mesmo nome imprimiu às peças fluidas o bucolismo e o frescor da vida tranquila no campo. Conhecida pelos bordados, desta vez a estilista trouxe a leveza dos florais em novas propostas. A composições harmonizam com as jóias da designer brasiliense Miranda Castro. 
 
(foto: fotosite/divulgação)
(foto: fotosite/divulgação)

 
As peças de joalheria são da coleção Jardins de Monet, inspirada em uma viagem de Miranda à capital francesa. O convite para participar do desfile veio há cerca de um mês. “Estávamos construindo coleções paralelamente que conversavam perfeitamente entre si”, explica a designer. 

À convite da designer brasiliense, a primeira-dama do Distrito Federal, Mayara Noronha, aterrissou em São Paulo, porém não chegou a tempo de conferir o desfile. Ela seguiu para o coquetel na loja e retornou à capital federal no mesmo dia. Para Mayara, foi uma ótima oportunidade para conhecer um evento de tamanha magnitude e buscar alternativas para criar um evento singular e que fomente a moda em território brasiliense. “Estamos com um projeto de reativar o mundo da moda em Brasília, eu estou aqui para conhecer de perto os bastidores para um futuro evento como esse na capital”, defende a primeira-dama do DF. 

Para as composições, a estilista optou por modelagens confortáveis e tecidos agradáveis ao tato — chiffon de seda, viscoses e tecidos acetinados são alguns exemplos. Com um olhar sustentável que dialoga com a proposta da coleção e é característico do DNA da marca, tecidos como algodão e seda orgânicos foram utilizados na produção das peças. 

A paleta de cores segue a linha natural e conta com tons terrosos, amarelo açafrão, verde floresta, neo-mint, variações de rosa e os tradicionais off-white e preto. Nos pés, as galochas da marca catarinense Késttou agregam ao ar campestre. 
 

Feminilidade e força

 

 

 

As irmãs Lilly e Renata provaram que revisitar o baú não significa trazer modelagens antiquadas para as passarelas. Para a coleção Lady, referências conhecidas retornam em novas abordagens, com ares de contemporaneidade — e, mais uma vez, observamos a influência dos anos 70 nos designs. 

A marca se conecta com todas as gerações, criando misturas utilitárias e ultrafemininas em perfeita harmonia. Com proposta atemporal, as estilistas promovem peças que dialogam com todas as gerações em uma cartela de cores sólidas e com brilho, ora de forma sutil, ora em abundância. 

Alfaiataria desconstruída

(foto: fotosite/divulgação)
(foto: fotosite/divulgação)
 

 

A Modem trouxe novos olhares, proporções e silhuetas para a passarela. O estilista André Boffano, que apresentou a proposta boho contemporânea para a Bobstore na manhã desta terça-feira, incorporou o experimentalismo para montar uma coleção que propõe um novo olhar sobre as próprias criações e implementa formatos e posturas fora do convencional. 
 

Comprimentos midi e sobreposições em lãs tradicionalmente masculinas e tricôs elaborados. Nos acessórios especialidade da marca, a inovação fica por conta do novo modelo de bolsa — com detalhes que fazem referência à camera bag e os calçados em couro, que pela primeira vez poderão ser adquiridos em pedidos especiais na semana posterior ao desfile. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade