Publicidade

Correio Braziliense

SPFW: O que vem por aí!

Separamos as principais tendências desfiladas na São Paulo Fashion Week que devem ganhar as ruas. Para investir sem medo


postado em 27/10/2019 04:19 / atualizado em 28/10/2019 10:25

Basta chegar a época das temporadas de moda que todos os olhos se voltam para as tendências apresentadas nas passarelas da São Paulo Fashion Week. De volta ao Parque Ibirapuera, a última edição movimentou a capital paulista e encheu o Pavilhão de Culturas Brasileiras de referências fashionistas, entre 13 e 18 de outubro.


Os 26 desfiles da edição número 48 trouxeram opções de outono/inverno e alto verão vestidas por castings que transbordaram diversidade do primeiro ao último dia. Dentro e fora das passarelas, a acessibilidade foi um destaque: convidados realizaram audiodescrições durante as atividades do Projeto Estufa — plataforma que, por meio de desfiles, talks, iniciativas e apresentações, busca provocar diálogos e reflexões sobre os novos caminhos da indústria criativa.

O Distrito Federal marcou presença. Os modelos brasilienses Jhona Burjack, Kamila Souto e o primeiro modelo trans a participar do evento, Sam Porto, riscaram as passarelas da maior semana de moda do país. As joias de DNA brasiliense da designer Miranda Castro abrilhantaram a coleção Casa no Campo, da estilista mineira Fabiana Milazzo.

A Revista esteve no evento e mostra o que vem por aí nas próximas estações e o que você já pode adotar desde já: direto das passarelas para o guarda-roupa.

*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte

 
Drama nas mangas

Destaque e volume para elas: as mangas bufantes voltaram para dominar as modelagens. Em alta nas semanas de moda internacionais, na São Paulo Fashion Week não foi diferente. Em diversos formatos, elas ganharam protagonismo nas peças. Passeando por várias produções, desde a moda praia de Pat Bo à alfaiataria de João Pimenta, as mangas volumosas são alternativas incríveis para dar mais dramaticidade e atualizar as produções. Invista!

(foto: Fotos: Agência Fotosite/Divulgação)
(foto: Fotos: Agência Fotosite/Divulgação)

As mangas bufantes abrilhantaram a moda praia da marca PatBo
 
 
A proposta de mangas dramáticas da Aluf, do Projeto estufa

As cores do momento

O contrato das cores terrosas foi renovado para mais uma temporada. Dialogando com a pegada utilitarista, os tons de bege ganharam protagonismo nas composições. Deixe de lado o pretinho básico, porque as passarelas anunciam: a cor que você vai querer usar neste inverno é o bege. É hora de retirar de uma vez por todas da mente a ideia de que o inverno é feito de preto e cores sóbrias. Os tons de rosa — do pink ao pastel — coloriram as passarelas desta edição da SPFW em opções desde o look de trabalho às produções mais despojadas.


Durante o desfile da PatBo, as variações de rosa coloriram desde a passarela até as peças da coleção, em diferentes nuances da cor

Composição em diferentes tonalidades de bege, no desfile da Neriage

Contraste entre cores bege e preto para a coleção Conquista do planeta dos dragões, de Gloria Coelho

Para a coleção Lady, Lilly Sarti uniu diferentes tons de rosa e criou contrastes com estampas militares

As diferentes tonalidades da cor conferiram atualidade ao estilo boho tradicional da Bobstore
 

Escapismo

 A moda vai muito além de ditar tendências. Ela também é uma representação da sociedade no contexto na qual está inserida. Variações de tecidos, cores e até coleções foram inteiramente inspiradas na valorização das coisas simples e na fuga do cenário caótico das cidades. Tecidos leves, tonalidades naturais e modelagens confortáveis dão o tom de escapismo para as produções. A tendência é adequar conforto e praticidade ao estilo.


As estampas complementam a composição campestre da coleção Casa no Campo, da mineira Fabiana Milazzo

Proposta que une charme e conforto na coleção Lady, da Lilly Sarti

Conforto em tonalidades naturais, da Neriage


Novos recortes

As produções de Korshi, Angela Brito e João Pimenta propõem novos olhares para as modelagens. Em diferentes recortes, as peças dialogam com os conceitos de desconstrução de forma literal — pontas soltas, roupas que podem ser montadas de formas diversas e sobreposições são alguns exemplos. Esqueça também as silhuetas que moldam o corpo em construções de gênero.


A proposta de desconstrução de padrões de gênero de João Pimenta

Fernanda Yamamoto produziu uma coleção sob os moldes do upcycling, reaproveitando materiais de coleções dos 10 anos da marca

As novas silhuetas da marca Ão, do projeto estufa

Acessórios

Mais uma vez, os acessórios de cabeça roubaram a cena. O truque de styling é uma ótima alternativa para levantar qualquer produção e conferir mais personalidade ao look. Esta edição do SPFW trouxe opções para todos os estilos. Se você ainda não aceitou que a boina está de volta, Reinaldo Lourenço investiu em mais uma versão, com um toque rocker, para o adereço. No desfile da Bobstore, os chapéus de aba larga foram fundamentais para incrementar o mood místico que o diretor-criativo André Boffano quis trazer para as passarelas. A estilista Patrícia Bonaldi, da Pat Bo, resgatou as toucas de banho dos anos 1920 para incluir mais detalhes e complementar as produções da coleção com um toque vintage.


Os chapéus de abas largas foram fundamentais para complementar o estilo místico do desfile da Bobstore

As toucas de banho em pedrarias que fizeram a cabeça das modelos no desfile da PatBo

A volta das boinas no desfile de Reinaldo Lourenço ganhou um toque a mais: o charme das tachas

Utilitarismo

A tendência, que teve origem nos anos 1990, voltou com tudo, e a nova onda utilitária ganhou ares contemporâneos. Mais que calças e macacões cheios de bolsos, o utilitarismo dialoga com o consumo consciente e a desconstrução da ideia de que a moda é um incômodo. Para a trend, o importante é ser prático. Entre os 26 desfiles, nuances utilitárias pautaram as temáticas das peças, seja por meio das cores, seja por estampas e modelagens com pegada sustentável — roupas que podem ser usadas de diversas formas e que servem para facilitar a vida: muitos bolsos, tecidos que não amassam e cores que combinam com tudo. Korshi, João Pimenta, Ellus, Reinaldo Lourenço e Lucas Leão apostaram em cintos, bolsos, zíperes e fivelas nos looks.


O utilitarismo de Lucas Leão, do Projeto Estufa

A releitura jovial e utilitária da Ellus
  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade