Publicidade

Correio Braziliense BELEZA

Cuidados preciosos com a pele negra

Pela concentração de melanina, a pele negra exige atenção específica


postado em 10/11/2019 07:00 / atualizado em 07/11/2019 13:42

(foto: Anthenor Neto/Divulgação )
(foto: Anthenor Neto/Divulgação )
Muitos são os mitos e verdades relacionados à pele negra. Protetor solar é realmente necessário? Por conta da melanina, é possível que a derme seja mais sensível? Toda pele negra é oleosa? Independentemente dos itens que compõem a rotina de pele, a orientação quanto ao cuidado diário é universal: limpar, hidratar e proteger o maior — e mais sensível — órgão do corpo humano.

Os cuidados específicos para a pele negra devem ser levados em consideração especialmente na hora de escolher os produtos e os tratamentos estéticos adequados, respeitando as características de cada tipo de cútis. Cotovelos e joelhos, por exemplo, tendem a apresentar marcas de tecido ressecado e exigem uma hidratação mais potente.

“Normalmente, as glândulas do rosto produzem mais oleosidade, por isso os cuidados devem ser diários, com uso de produtos sem óleo na composição, preferencialmente, e protetor solar facial para evitar manchas”, orienta a biomédica esteta Luciana Travassos.

E quando se trata de tratamentos estéticos, os cuidados devem ser redobrados  —  principalmente por conta dos ativos que incluem. O uso de alguns ácidos e peelings químicos em quantidade errada pode causar opacidade na pele, manchas e até queimaduras e cicatrizes.

Outro tratamento contraindicado é a fotodepilação. “Esse procedimento funciona pela atração de melanina, então em peles negras pode levar a manchas e queimaduras”, explica a especialista. Muitas pessoas temem tratamentos com lasers ou outros tipos de máquinas por receio de danificar a derme. Mas o mercado da estética já conta com tecnologias benéficas para esses casos. “A radiofrequência é indicada para tratamento de rugas, flacidez, celulites, assim como a carboxiterapia, que induz a produção de colágeno. Hoje também dispomos de lasers que não oferecem riscos à pele negra.”
 

Proteção sempre


A melanina funciona como um filtro solar natural, protegendo a pele dos raios solares nocivos, que culminam com a produção do envelhecimento da pele. Assim sendo, os indivíduos com pele mais escura apresentam danos menores quando expostos ao sol e, consequentemente, há menor formação de rugas. “A pele negra é mais espessa, e a densidade das fibras de colágeno é maior, o que lhe confere menor incidência de flacidez ao longo da vida”, explica a dermatologista Cristiane Dal Magro.

Entretanto, há maior propensão à formação de manchas, como o temido melasma. As manchas escuras tendem a aparecer de forma mais intensa após algum dano prévio, como tratamentos incorretos, alterações hormonais e exposição excessiva ao sol sem proteção.

Para a médica, é necessário frisar a importância do uso contínuo do filtro solar — especialmente para desmistificar que a pele negra está isenta da aplicação.  “O uso regular do protetor vai prevenir o surgimento das manchas, e é essencial durante e depois do tratamento. No caso de pacientes com melasma, optamos sempre por filtros solares com pigmentos, com efeito de base. Além de reforçar a proteção, eles ajudam a camuflar as manchas enquanto a pele é tratada, evitando o uso de bases e maquiagens”, explica.

Os sabonetes de limpeza adequados também não podem faltar na nécessaire. Isso porque a pele negra tende a ser oleosa e possui poros mais abertos, especialmente na face. E, por conta da maior quantidade de melanina, as lesões em fase de cicatrização podem deixar manchas escuras — e indesejáveis.

“Em casos mais resistentes aos tratamentos tópicos, a isotretinoína oral é de grande ajuda, pois reduz o tamanho dos poros e das glândulas sebáceas, regulariza a produção de cravinhos e desinflama as lesões de acne. E como consequência dessa melhora global, as manchas surgidas por causa da acne também desaparecem”, detalha Cristiane.

No verão
 

Na estação mais quente do ano, os cuidados devem ser redobrados. As principais dicas de Luciana são protetor solar com fator de proteção 30 ou mais e retocado duas vezes durante o dia.
 
Caso sua pele do rosto tenha as características tradicionais negras de produzir oleosidade no centro, o melhor é lavar a face logo pela manhã e à noite, usando o sabonete específico recomendado pela dermatologista.
A ingestão de água também deve ser potencializada, sendo a quantidade mínima diária de dois litros.
 

*Estagiárias sob supervisão de Sibele Negromonte
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade