Publicidade

Correio Braziliense

Especialistas dão dicas para você cumprir as resoluções de ano-novo

Com a chegada de um novo ano, surge a vontade de mudar uma série de coisas na vida e realizar um tanto de outras. Especialistas mostram que, com planejamento, é possível concretizar os objetivos idealizados


postado em 29/12/2019 15:08 / atualizado em 29/12/2019 15:11

Victoria Franco teve um 2019 de grandes conquistas: ''Parei de dizer que não tenho tempo para realizar''(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Victoria Franco teve um 2019 de grandes conquistas: ''Parei de dizer que não tenho tempo para realizar'' (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Fim de ano é época de refletir. O que mudou? O que permaneceu igual? O que deveria ou não ter mudado? Não é à toa que se faz tanta promessa: as famosas resoluções de ano-novo. Mas as do ano anterior foram alcançadas? Para a coach Kátia Lima, o réveillon é apenas um marco cronológico, que faz as pessoas almejarem coisas diferentes, mas elas precisam ter consciência de que mudanças podem ser feitas em qualquer momento. “Quando não se está satisfeito com algo, qualquer segundo é uma oportunidade de seguir outro caminho”, afirma.

Mas não significa que seja fácil. Kátia recomenda, primeiro, estipular as metas e passá-las para o papel de forma clara. Depois, é hora de elaborar o plano, organizar o que será feito para conseguir aquilo, e traçar minimetas, que devem ser celebradas sempre que alcançadas. Além disso, tudo deve ter prazo. “Para toda mudança, é preciso esforço. É preciso sair da zona de conforto e tomar atitudes difíceis para chegar aos objetivos. Com o tempo, elas se tornam hábitos, e isso fica mais fácil”, alerta a profissional.

A terapeuta holística e escritora Cátia Dezzan explica que, muitas vezes, as resoluções de ano-novo não se concretizam porque as pessoas pensam em ter uma realidade diferente, mas, ao mesmo tempo, esquecem que quem as levou para a vida atual foram elas mesmas. “Quem vai te levar para o próximo nível não é a mesma pessoa. Nós não podemos levar o velho eu para o ano-novo. Temos que parar para ver quem nós temos que ser para alcançar o que queremos.”

Conheça a história de pessoas que tiveram coragem para dar essa guinada e, com planejamento e disciplina, tomaram as rédeas da própria vida. Para se inspirar!

Prazos e categorias

“Sempre fiz metas, mas nunca conseguia tirar do papel. Este ano, para fazer diferente, dividi por categorias e, ao longo dos meses, destrinchei cada etapa necessária para cumprir a meta.” A publicitária Victoria Franco, 23 anos, conta como descobriu sua ‘receita de bolo’ para alcançar objetivos.

Seu planner 2019 — com uma capa de brilhos — foi o primeiro passo nesse caminho e se tornou quase um melhor amigo. As páginas ganharam adesivos, lembretes e riscos de canetas coloridas, cada cor responsável por uma categoria.

Os objetivos acadêmicos, profissionais, intelectuais, financeiros, de produtividade, beleza e saúde não foram selecionados à toa. “Eu sentia que estava virando adulta e, se não começasse agora a criar os hábitos que gostaria de levar para o resto da vida, não conseguiria tê-los depois”, avalia a publicitária. Com a preocupação de revisitar as metas do ano todo mês, ela conseguiu se manter produtiva e conquistar pequenas vitórias ao longo de todo o ano.

Motivações adicionais

Uma dessas foi perda de gordura corporal e ganho de massa magra, que estava na sessão de saúde. Mas esse êxito guarda uma provocação especial. “Um conhecido disse que seria difícil para mim correr 5km sem condicionamento físico. Fiquei indignada, em um primeiro momento, e ainda mais motivada a fazer atividade física. Comecei caminhando no parque, depois fui à academia e, agora, em outubro, participei de uma corrida de 5km com amigas”, relembra, aos risos.

Além do hábito de se exercitar semanalmente, Victoria fez e apresentou o TCC, formou-se, fez cursos em sua área ao longo do ano, economizou dinheiro e, com ele, pagou uma viagem para a Califórnia, nos Estados Unidos, sozinha. Começou ainda a se aventurar no universo dos investimentos e criou uma reserva para emergências. “Parei de dizer que não tenho tempo para realizar. Todo mundo tem as mesmas 24 horas, então tempo é uma coisa que você escolhe como usar. Ter metas definidas me ajudou a perceber que, quando tenho que escolher entre uma coisa do agora ou algo que já vinha me planejando, seguirei firme no que quero faz tempo”, afirma.

A felicidade diante do balanço anual recheado de resultados positivos é perceptível no rosto de Victoria, que ainda conserva com uma pretensão de quem já entendeu como se organizar. “Quero colocar algumas metas de manutenção no ano que vem para não perder meu avanço.”

Gabriela Motta se tornou mais organizada com a ajuda de um aplicativo: ''Mudou a minha vida''(foto: Vinicius Cardoso/Esp. CB/D.A Press)
Gabriela Motta se tornou mais organizada com a ajuda de um aplicativo: ''Mudou a minha vida'' (foto: Vinicius Cardoso/Esp. CB/D.A Press)

Aprendendo a se organizar

No início de 2019, Gabriela Motta, recém-formanda em direito, resolveu experimentar as tradicionais resoluções para o novo-ano. “Nunca fui de fazer metas, mas havia comprado um planner e queria me tornar uma pessoa organizada. Então, tracei objetivos para saúde, finanças, vida pessoal, trabalho e estudo.”

O maior desafio foi a resolução de vida pessoal: ser organizada. Logo nos primeiros meses, Gabriela sentia dificuldades para utilizar o planner e mantê-lo atualizado. “Em abril, durante uma conversa com minha psicóloga, disse que o planner estava parado, e ela sugeriu testar o aplicativo Google Agenda. De cara, achei que não fosse dar certo, pois sou uma pessoa que gosta de escrever no papel.”

Mas ela foi convencida a baixar e experimentar o aplicativo. “Mudou a minha vida! Eu anoto tudo, consigo visualizar tudo o que tenho que fazer no dia e hoje posso dizer que sou uma pessoa mais organizada”, afirma.

Graças ao encontro com o método que mais se adequou a ela, Gabriela passou a riscar do caderninho metas de academia, saúde, trabalho e tantas outras. Mas ainda havia outro detalhe para cumprir no ano. “Achava que seria impossível criar uma rotina de estudos, mas eu precisava. Entrei em uma pós-graduação voltada para concurso público e tinha bastante material para ler”, explica.

Para evitar as distrações de casa, Gabriela passou a estudar em bibliotecas e achou mais um uso importante para sua agenda on-line. “Todos os dias da semana, eu ia para a biblioteca e estudava o que tinha separado para aquele dia. Descobri que as metas diárias de estudo funcionam melhor para mim e, desse jeito, consegui vencer os conteúdos.”

Dois mil e vinte nem começou, mas ela já definiu um objetivo para o novo-ano: “Agora, quero aprender a cozinhar!”.

Técnica de gestão do tempo

Muito usada por quem está estudando, consiste em dividir e controlar o tempo. O nome vem daqueles cronômetros de cozinha, muitos em formato de tomate (pomodoro, porque foi criado por um italiano). Segundo a técnica, você marca um tempo e começa uma atividade. Quando o alarme tocar, faz um intervalo. Isso, inúmeras vezes, até todas as tarefas estarem prontas. É bastante útil para fazer o tempo render, pois você coloca o foco todo na execução do que tem que ser feito, sabendo que, em breve, terá um intervalo para cuidar das demais coisas da vida. Dessa forma, não deixa que as distrações e as interrupções aconteçam e lhe tirem do foco.

*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade