Publicidade

Correio Braziliense SAúDE

Dicas para curtir a folia com segurança e evitar doenças pós-carnaval

Aglomeração de pessoa, ingestão de álcool, poucas horas de sono. Características do carnaval são propícias à proliferação de viroses, mas é possível se resguardar


postado em 18/02/2020 12:15 / atualizado em 18/02/2020 12:21

Aglomeração de pessoas favorece a transmissão de doenças por vias aéreas(foto: Crédito: Ed Alves/CB/D.A. Press)
Aglomeração de pessoas favorece a transmissão de doenças por vias aéreas (foto: Crédito: Ed Alves/CB/D.A. Press)
Apesar de apreciada por milhares de brasileiros, a maratona de quatro dias de folia custa muito à saúde. Durante esse período, é comum o aparecimento de surtos de viroses, conjuntivites e infecções gastrointestinais. E, apesar das inúmeras receitas sobre como fortalecer o corpo e a imunidade para que ele resista ao período, há pouco o que fazer para se proteger.

O infectologista Alexandre Cunha diz que é comum as pessoas relacionarem o aparecimento de doenças pós-carnaval à baixa imunidade, porém o termo não é correto. “Não existe isso de pegar uma doença porque seu sistema está ‘baixo’, o que ocorre são doenças que podem afetar esse sistema de defesa e fazer com que a resposta dele às infecções não seja tão eficiente. A imunidade não é um escudo protetor, mas, sim, a forma como o corpo combate um agente infeccioso”, explica.

Seguindo essa lógica, os únicos pacientes que contam, de fato, com a imunidade baixa são aqueles que apresentam alguma deficiência genética ou que têm Aids, algum tipo de câncer ou sejam transplantados — condições que impedem o corpo de responder de maneira adequada ao contágio de vírus, fungos e bactérias.

A resposta para tantas doenças no período do carnaval é a maior predisposição ao contágio de doenças, em especial, as transmitidas por vias aéreas — viroses, gripes e afins. “Um sistema imunológico eficiente está ligado a bons hábitos, tudo o que não se tem no carnaval. Nesta época, é comum o corpo ficar debilitado, não por uma baixa na imunidade, mas, sim, porque as pessoas tendem a se privar do sono, abusar do álcool e, principalmente, estar em um aglomerado de gente, facilitando o contágio”, explica Luciana Medeiros, infectologista do Hospital Santa Helena

Ou seja, a receita para curtir o carnaval com saúde está na moderação e no equilíbrio. Não há remédios, vitaminas ou qualquer outra coisa que possa aumentar a eficiência do sistema imunológico. Na verdade, apenas bons hábitos, como alimentação balanceada, exercícios físicos e boas horas de sono podem ajudar a fortalecer esse sistema, aponta o especialista Alexandre Cunha.

doenças transmissíveis, como herpes, sífilis e Aids, podem ser prevenidas com o uso de preservativos. “Outros contágios comuns são a mononucleose — a doença do beijo —, que pode ser contraída por tosse, espirro e objetos levados à boca, como copos. Para evitá-la, o ideal é cuidar da higiene e evitar sair beijando todo mundo sem achar que isso não poderá trazer consequências”, aponta Luciana.

Palavra do especialista 


1- Por que é comum que as pessoas adoeçam após o carnaval?

É comum as pessoas ficarem doentes pois elas costumam não respeitam o tempo de sono, se expõem a muita bebida alcóolica e estresse físico, fatores que enfraquecem a saúde do corpo e tornam a resposta imunológica menos efetiva. 
 
2- Como fortalecer a imunidade e evitar ficar doente durante a época de folia?

As medidas são manter-se bem alimentado, se hidratar bastante e evitar exposições extremas ao sol e a chuva. É possível se fortalecer com vitaminas, apesar de não haver comprovação científica de que há efeito direto na imunidade, há benefícios a saúde do corpo.

3- Quais são as doenças mais comuns nesse período?

As mais comuns são as doenças sexualmente transmissíveis como herpes, sífilis e hepatites, além de doenças de aglomeração —gripes,  resfriados e conjuntivites. 

Werciley Junior, infectologista. 
 
 
*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade