Publicidade

Correio Braziliense

Coronavírus: alimentos naturais ajudam a manter a imunidade alta

Dieta e imunidade estão diretamente ligadas. Por isso, especialistas sugerem investir em um alimentação equilibrada, fundamental em tempos de Covid-19


postado em 16/04/2020 15:00 / atualizado em 15/04/2020 14:45

(foto: Freeletics/Divulgação)
(foto: Freeletics/Divulgação)
A receita é certeira. Quando a imunidade está baixa, o corpo enfraquece, o que abre caminho para que infecções se instalem, e pior, com sintomas muito mais acentuados. Esse cenário se configura, pois o sistema imunológico é responsável por atuar na defesa do organismo e depende de bons hábitos alimentares, de sono e exercício para se fortalecer. 

Marcella Garcez Duarte, médica nutróloga especialista em fitoterapia explica que  “um estilo de vida saudável, uma boa alimentação e uso de substâncias indicadas por um profissional de saúde para melhorar a imunidade são muito bem-vindos para que os anticorpos estejam mais preparados no combate a todos os tipos de infecções”. O que inclui a Covid-19, declarada uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), no início de março.

Apesar de não prevenir o tipo de coronavírus que circula, o papel da alimentação equilibrada é fazer com que o corpo tenha mais força para combater a infecção, diminuindo a debilitação que o vírus possa causar no organismo. Alguns nutrientes, por exemplo, são responsáveis pela formação dos glóbulos brancos, as células protetoras, como é o caso do ácido fólico encontrado em folhagens verdes escuras. 

Para nutricionista Tayse Corrêa, a dieta deve se basear principalmente em frutas e verduras, que devem ser consumidas diariamente. Quanto mais colorido o prato, melhor. “A absorção dos nutrientes deve ser feita preferencialmente por meio de ingestão de alimentos. A suplementação vitamínica deve ser uma opção apenas quando houver deficiências neste processo. Quem come pouco e, por isso, tende a não consumir uma quantidade razoável de alimentos, pode optar pelos sucos”, recomenda. (ver sucos poderosos). 

Quanto às restrições, Tayse Corrêa recomenda evitar os alimentos processados e com alta concentração de gorduras, que favorecem os processos inflamatórios. Gorduras boas presentes em oleaginosas são uma substituição bem-vinda, garante a nutricionista. 

Outros aliados


Além dos alimentos, é importante manter uma rotina de exercícios, que ajudam a fortalecer o corpo, são boas formas de aliviar o estresse e melhorar o humor e a disposição. A médica nutróloga Cristiane Molon aponta a importância do consumo de água em livre demanda. Quem não é adepto ao líquido, pode alternar com chás, limonada e sucos de acerola ou abacaxi com hortelã. “Sucos industrializados e refrigerantes não possuem quase nenhum nutriente e devem ser evitados se o objetivo é fortalecer a saúde”, salienta.
nutróloga Cristiane Molon (foto: Cristiane Molon/Divulgação)
nutróloga Cristiane Molon (foto: Cristiane Molon/Divulgação)

Como a orientação é ficar o máximo de tempo em casa, a especialista recomenda aproveitar o momento para conquistar mais qualidade de sono. “Agora, é a hora de estabelecer uma boa rotina e dormir um pouco mais cedo. Deixar o quarto escuro, evitar assistir incessantemente os noticiários ou usar redes sociais — que causam preocupação devido à pandemia —, auxiliam a desintoxicar a mente antes de dormir”, afirma.

Ela assegura que é possível estabelecer um ritual matinal. Entre as atividades, acordar mais cedo, fazer alongamentos e exercícios físicos em casa deixam o dia mais leve. Apesar da insegurança, estar em constante estado de agitação prejudica não só a mente, mas o funcionamento do organismo, ressalta Cristiane.

Três pregunta para o especialista


Uma mudança na dieta pode ter efeito rápido no aumento da imunidade?

Estudos mostram que cinco dias depois de uma mudança na dieta já há melhora na habilidade orgânica de produzir proteínas. O que prova isso é um exame chamado pré-albumina.

Quais alimentos ajudam a aumentar as defesas do organismo?

A proteína é o fator mais associado à melhora da imunidade. Para pessoas desnutridas ou pacientes convalescentes (em recuperação) sempre indicamos uma maior ingestão de proteínas. Elas estão relacionadas com a produção das células de defesa: glóbulos brancos e anticorpos. Além disso, você também tem que aumentar a ingestão de oligoelementos, vitaminas e minerais relacionados com essa produção: zinco, selênio, magnésio, cálcio e vitaminas A, B e C. As frutas são as melhores fontes desses nutrientes.

Pode ser qualquer tipo de proteína ou tem que ser proteína animal? 

Qualquer tipo, proteína animal, whey protein, o que quiser. A proteína animal tem um coeficiente maior, um índice, chamado QR, que mede a capacidade do alimento ingerido, depois da digestão, de produzir proteína no nosso organismo. A melhor proteína vegetal é a soja, que tem o perfil de aminoácidos mais parecido com o da proteína animal. 

Se você não come carne, pode comer ovo, se não come nem carne nem ovo, tome leite. Se não ingere nada disso, ou é um vegetariano estrito, isso não quer dizer que vai ter imunidade zero, mas tem que se concentrar nos vegetais com bastante proteína: trigo, ervilha, soja e leguminosas de uma forma geral. Quanto mais in natura o vegetal, maior seu aporte de proteínas e minerais. Brócolis cozido tem menos propriedades do que brócolis fresco na salada.

Nutrólogo Daniel Magnoni, chefe de nutrologia do Instituto Dante Pazzanese, do HCor e coordenador científico da Iniciativa Nutrientes para a Vida


Consuma mais 

 

  • Couve, Cenoura, Tomate: O betacaroteno, antioxidante presente nesses alimentos, combate infecções e estimula as células imunológicas.
  • Gengibre: É imunoestimulante, possui ação expectorante, reduz a inflamação e a dor. Com a raiz, fazem-se os chás. Já o pó pode ser adicionado em sucos e receitas diversas.
  • Mel: Ação bactericida e antisséptica. É um bom coadjuvante no tratamento de problemas pulmonares e da garganta. Contém substâncias que agem como antibióticos naturais. Não deve ser fervido para não perder suas propriedades. Pode ser consumido puro ou para adoçar o chá.
  • Cacau: Fonte de zinco, nutriente crucial para a o bom funcionamento do sistema imunológico.
  • Acerola: A acerola, também com alto teor de vitamina C e minerais, é usada como suplemento vitamínico para fortalecimento do sistema imunológico e é ideal para cuidados com a pele. Uma sugestão é adicionar ao suco verde para dar à bebida um toque cítrico.
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

Sucos poderosos


Ingredientes
1 beterraba
1 maçã
2 cenouras
1 limão
Água

Modo de preparo:
Corte a beterraba em rodelas e bata no liquidificador com um pouco de água. Misture bem. Para aproveitar melhor as fibras dos alimentos, não use a peneira. Separe e guarde na geladeira enquanto bate no liquidificador, com água, o limão, as cenouras e a maçã. Misture tudo. O ideal é tomar meia hora antes do café da manhã, em jejum.

Suchá com gengibre

(foto: Mundo Verde/Divulgação )
(foto: Mundo Verde/Divulgação )

Ingredientes
150 ml de água
1 colher de chá branco
1/2 cenoura
Suco de 1 laranja
1/2 mamão papaia
1 colher (chá) de gengibre em pó

Modo de preparo
Leve 150 ml de água ao fogo. Antes de levantar fervura, desligue e acrescente 1 colher (chá) de chá branco. No liquidificador, bata 1/2 cenoura, suco de 1 laranja, 1/2 mamão papaia e 1 colher (chá) de gengibre em pó. Após formar um líquido homogêneo, adicione o chá branco gelado, bata novamente e sirva.
 
*Estagiária sob supervisão de Taís Braga

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade