Publicidade

Correio Braziliense

Sem salão: como cuidar dos cabelos em casa?

Nesta temporada longe dos cabeleireiros é importante fazer sua própria rotina de cuidados com os fios, seguindo os conselhos de profissionais


postado em 28/04/2020 16:50 / atualizado em 28/04/2020 16:48

Neta Lacerda aconselha:
Neta Lacerda aconselha: "chegou da rua, tome banho lavando todo o cabelo" (foto: Arquivo pessoal)



Separar algumas horas na semana para cuidar da saúde dos fios é importante, principalmente neste período de reclusão, quando ir aos salões de beleza se tornou uma tarefa inviável. Com as dicas corretas, esses momentos também podem se transformar em atividades divertidas de reproduzir em casa.

Segundo a cabeleireira Neta Lacerda, escolher produtos para o seu tipo de cabelo é essencial para alcançar o resultado desejado. “Quem tem o cabelo ressecado ou com mechas, deve usar shampoo e condicionador para cabelos secos, pois eles também hidratam. Quem tem cabelo oleoso pode procurar por produtos para esse tipo e sempre passar condicionador, nem que seja só nas pontas. Ele é necessário para fechar as cutículas que o shampoo abriu”, aconselha.

No geral, o indicado é lavar os cabelos em um dia, pular o seguinte e lavar novamente apenas no terceiro dia, quando completadas as 48 horas de intervalo. Porém, a cabeleireira indica lavagem diária para quem faz exercícios, uma vez que o sal do suor não faz bem para os fios nem para o couro cabeludo, e para quem tem que sair de casa todo dia e deseja se proteger do coronavírus. “Chegou da rua, tome banho lavando todo o cabelo”, orienta Neta.

Além da higiene frequente, a outra principal dica dela é manter as madeixas hidratadas. As máscaras também devem seguir a necessidade de cada tipo de cabelo e serem aplicadas semanalmente, no caso dos cabelos grossos e secos, e a cada 15 dias nos cabelos mais oleosos.

A dermatologista Luciana Garbelini dá instruções extras se o foco for algo mais potente: adicionar ingredientes fáceis de encontrar em casa, como amido de milho, leite, açúcar ou mel na máscara capilar. “Ajuda bastante na hidratação e no brilho”. Ela ressalta que existem várias opções de ampolas ou óleos que intensificam a hidratação sem pesar o cabelo.

Além da hidratação, a reconstrução e nutrição são passos importantes para a saúde capilar. “Se o foco for nutrição, escolha por lipídeos como ceramidas e óleos vegetais de coco, argan, oliva, manteigas de Karité, cacau e cupuaçu. Dê preferência por proteínas, colágeno, aminoácidos, elastina e queratina se o objetivo for reconstrução”, esclarece a dermatologista.

Na hora da finalização, o gosto pessoal tem mais espaço. Para Luciana, o período de isolamento pode ser uma boa oportunidade para deixar o cabelo descansar do uso de aparelhos com fonte de calor, evitando a quebra e tração dos fios.

Já a cabeleireira Neta acredita que passar um protetor térmico e tirar o excesso de água com o secador é uma boa opção para quem não está satisfeita com as madeixas em casa, pois o calor sela as cutículas e deixa a aparência um pouco mais próxima dos resultados de salão.

Retoque dos brancos

Quando temos processos químicos incluídos, como na hora de pintar os cabelos, o melhor é sempre deixar a tarefa nas mãos dos profissionais. No entanto, se você respeita o isolamento, mas chegou ao limite e deseja se livrar dos fios brancos, siga os cuidados básicos pontuados por Neta Lacerda.

* Cor: “não aplique qualquer tinta sem a instrução de um colorista. Procure um profissional para se certificar da cor e da tinta”.

* Para não manchar a pele:
“é sempre bom usar creme hidratante ou pomada, para não deixar a testa manchada, e luvas para proteger as mãos”.

* Na hora de pintar: “quem não tem experiência pode começar pela frente, dividindo o cabelo em 4 partes, e passar a tinta da testa para a nuca e depois de orelha a orelha, com auxílio de pente de cabo fino e um pincel”.

* Pós: “Depois dos 40 minutos, é importante lavar o cabelo com shampoo de pós-coloração, para a cor durar mais”.

Transição capilar

* O cronograma de cuidados, que intercala hidratação (reposição de água), nutrição (recupera os óleos naturais do cabelo) e reconstrução (reposição de aminoácidos e proteínas) é essencial para os fios também nesse caso.

* Para a dermatologista Andréa Frange, quem está na transição capilar pode hidratar o cabelo duas vezes por semana, nutrir a cada 7 dias e fazer a etapa de reconstrução a cada 15 dias ou apenas 1 vez por mês. “O excesso dessas proteínas pode causar o efeito rebote e deixar os fios rígidos e quebradiços”, observa.

* Na hora de escolher os produtos, opte pelos sem silicones, parabenos ou sulfatos na composição. “Isso porque produtos com fórmulas leves tratam os fios sem tirar sua proteção natural ou ressecá-los, principalmente para as cacheadas, deixando-os saudáveis durante todas as fases”, explica Andrea, que é parceira da marca Ricca.

*Estagiária sob supervisão de Taís Braga

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade