Publicidade

Correio Braziliense

Campanha "minha mãe é...": leitores fazem homenagens de Dia das Mães

A Revista lançou a campanha "minha mãe é..." para que leitores pudessem usar o espaço para declarações a sua amada.


postado em 10/05/2020 10:20 / atualizado em 10/05/2020 10:15

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
“Minha mãe é uma das mães mais lindas, jovens e extraordinárias que já conheci. Te amo!”
De Thiago Cleyton Alves da Silva

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é uma Coroa Show.”
De Silvia Penha 

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é a mão que nunca solta a minha; é o oração na hora que eu mais preciso; é o olhar que me entende sem que eu precise dizer uma palavra; é o conselho que nunca erra; é tudo quando eu nada tenho; é o meu agradecimento e minha prece diários a Deus; é o abraço do qual eu mais sinto falta nessa quarentena e, sem dúvida, o abraço mais apertado que eu quero dar quando tudo isso acabar! Se cuida, minha vida! Feliz Dia das Mães!”
De Rosimara Eva Ferreira Almeida Camêlo

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é a minha motivação diária para dar o meu melhor em tudo o que faço, de onde tiro todas as minhas forças para enfrentar as batalhas da vida com mais vontade de vencer e de crescer, o ar que eu respiro, o sangue que corre pelo meu corpo bombeando em meu coração todo o amor que sinto por ela e que parece ser maior que o infinito!!!
Uma singela homenagem àquela que foi meu pai e minha mãe em uma só, a quem devo tudo que tenho e, principalmente, tudo que sou, Edite Santos da Aparecida, minha rainha!”
De Alessandra Santos Meireles

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é Espedita Oliveira de Azevedo, nordestina, nasceu na cidade pacata de Picuí – PB. Aos dezoito anos se apaixona por um belo e galanteador rapaz, José Donato. Após oficializar a relação, resolvem vir para a capital federal — Brasília, a fim de juntos construírem um futuro, uma linda família. Não foram dias fáceis, se estabelecer numa cidade nova, o medo do desconhecido, a busca por uma profissão, uma moradia... Muitas foram às provações, mas com fé, coragem e dedicação as coisas foram tomando uma direção. Frutos dessa relação, três belas meninas, Ana Lúcia, Eliane e Joyce. Minha mãe então iniciou a sua maior missão: exercer o amor incondicional!
Minha mãe é dona do lar, a melhor professora, conselheira e amiga, com muito zelo vive sempre em função de cuidar dos três filhas. Minha mãe é uma mulher de fibra, companheira, dedicada, protetora, de um coração gigante, caridosa, amorosa, que nunca mediu esforços para nos apoiar. Minha mãe é aquela que acolhe, alegre, divertida, sempre tem uma palavra de alento para nos levantar. Nesse dia das mães e em todos os dias peço a Deus que me dê força e sapiência para valorizar a minha mãe, para retribuir todo carinho e amor àquela que me deu a vida; e que Deus dispense a minha mãe e a todas as outras mães chuvas de bênçãos, saúde, paz e alegrias! Minha mãe é sem dúvida o mais valioso tesouro, é a flor mais encantadora e cheirosa, a risada mais gostosa, é o remédio que cura a dor, é a maior graça divina de nosso Deus criador!”
De Ana Lúcia Oliveira de Carvalho

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é a flor mais linda e preciosa do meu jardim, por isso chama-se Margarida.”
Dos filhos: Ieda, Rosana, Belquisse, Hidelbrando e Lígia.

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é minha rainha por ser o meu maior exemplo de pessoa humilde, batalhadora e guerreira. Te amo, mãe (minha dona Maria)!
De Antônio Lucas 

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

"Minha mãe é um exemplo de mulher, do alto dos seus 86 aninhos, continua evoluindo e distribuindo amor por onde passa."
De Fernanda da Costa Leite Moraes

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é... imperfeita.
Eu caí muitas vezes e ela não me levantou.
Eu chorei sem que ela pudesse ver.
Eu sofri bullying na escola, mas ela nunca soube.
Eu me senti sozinha e ela não estava lá.
Eu acreditei que ela jamais mentia, e isso era uma mentira.
Eu queria um colo, um abraço, mas ela não me deu muitos.
Eu queria ouvir um “eu te amo”, mas ela não disse.
Então eu a culpei por todos os meus fracassos.
E um dia, eu me tornei mãe...
E eu não pude evitar que meu filho caísse e se machucasse.
Ele sofreu na escola e eu não estava lá.
Eu o vi chorar e se sentir sozinho.
Eu nem consigo contar quantas vezes menti pra ele.
E muitas vezes deixei faltar os abraços e o colo que antes cobrava da minha mãe.
E ele também me culpou...
E então eu desci do pedestal, reconheci os meus erros...
Mas eu não me culpei...eu aprendi.
Eu aprendi que ser mãe é um aprendizado constante.
Que ser mãe é falhar e tentar de novo, é ouvir um “eu te odeio” e ser forte para devolver um “eu te amo” (ainda que não seja verbal).
Ser mãe é abrir mão de viver seus próprios sonhos, para viver o dos filhos e rezar baixinho pelos cantos para que eles nunca fracassem.
Ser mãe é torcer pela felicidade dos filhos, ainda que isso custe sua própria felicidade.
E ela foi tudo isso... ela sempre esteve lá, nunca na plateia, sempre nos bastidores...
Ela me ensinou a me levantar sozinha e seguir mais forte, a dominar minhas emoções, a conviver comigo mesma, me ensinou que tudo passa, e que eu também posso errar.
E hoje sei que toda vez que eu precisar de colo ela sempre estará lá, não importa se fui ingrata, não importa se eu a culpei, ela estará lá.
Aprendi que existem muitas maneiras de dizer “eu te amo” e minha mãe soube dizer de várias formas...
Minha mãe continua me ensinando sobre a vida, e me fazendo crescer a cada dia, e não existe uma forma de agradecê-la por tudo o que ela é para mim.
Hoje tenho a convicção de três coisas: que eu a amo, que eu não quero perdê-la, e que ser mãe é ser imperfeita.
De Clediane Silva Santos

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é a personificação do amor divino; é porto seguro em tempos de tempestade, e cúmplice em qualquer hora”.
De Larissa Reis

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha Mãe é sinônimo de companheirismo e lealdade, pois, teus braços sempre se abrem quando preciso de um abraço. Teu coração sabe compreender quando preciso de uma amiga. Teus olhos sensíveis se endurecem quando preciso de uma lição. Tua força e teu amor me dirigiram pela vida e me deram as asas que precisava para voar, para que hoje (10/05) possamos comemorar juntos o meu aniversário e o dia das mães. Te amo!”
De Tiago Braga 

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é a calmaria do meu coração, a serenidade de minha alma e a motivação da minha existência. 
Te amo, mãe!”
De Adriana Lopes

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é rocha, doçura, fé e amor! Deus te abençoe sempre! Te amo! Feliz Dia das Mães!”
De Fabíola Caixeta

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é... o melhor abraço, o melhor carinho, é a melhor pessoa, é bondosa e sempre pensa no próximo. Minha mãe é minha rainha, meu mundo, meu tudo. Te amo dona Juju, Feliz dia das mães!”
De Luciana Cardoso

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é meu universo de amor. Quem me ouve mesmo em silêncio, me acalma nas horas difíceis, sorri comigo nas vitórias e me abraça nas conquistas. Companheira de vida, sem ela eu nada seria. Aquela que me preparou para o mundo e agora vamos conhecê-lo juntas.  Obrigada por tanto!”
De Isabela Hamu

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é fantástica, única como ela... tanto por dentro quanto por fora, é simplesmente bela.”
De Flávia S. Correia Guimarãe, Rafael e Luciana  S. Guimarães

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

“Minha mãe é doce como chocolate (às vezes amargo)
Tem no peito um amor gigante. Vê detalhes em tudo, e tem um sexto sentido que só quem é mãe sabe. Cuida, zela, e ama com uma intensidade que é somente dela. Ela é a flor perfeita, em um mundo de tantas imperfeições, é a poesia dos dias ensolarados  e é acalanto nos meus dias agitados. Mulher igual a essa não tem não, essa é minha mãe. Em homenagem a minha doce mãe, Maria José.”
De Carine Lima 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade