Publicidade

Correio Braziliense

Profissionais da moda criam produções únicas baseadas em mães da ficção

Quatro profissionais da moda inspiraram-se em mães da ficção para criar produções estilosas e cheias de personalidade


postado em 13/05/2020 16:50 / atualizado em 13/05/2020 17:09

Não é raro escutarmos que a ficção se mistura com a realidade, ainda mais quando nos deparamos com personagens tão impactantes, que conseguem transmitir uma mensagem, ensinar algo, ou aqueles que nos identificamos tanto a ponto de nos enxergarmos em sua história.

As mães das telinhas são parte desses personagens marcantes e têm o grande papel de emocionar os telespectadores com seu amor inesgotável pelos filhos e determinação. Por várias vezes, elas também são fontes de inspiração no que diz respeito ao estilo e composições que vestem. 

Neste dia das mães, convidamos quatro profissionais da moda do cenário brasiliense para compartilharem conosco uma mamãe da ficção que gostem e uma produção inspirada nessa personagem — sem deixar de lado, claro, o estilo próprio de cada uma. Confira!
 

Valéria Lessa + Dona Hermínia

Dona Hermínia (foto: Reproducao Facebook)
Dona Hermínia (foto: Reproducao Facebook)

Dona Hermínia é uma das grandes mães produzidas pelo cinema nacional. Também com  personalidade forte, daquelas que não levam desaforo para casa, a mãe de Marcelina, Juliano e Garib faz de tudo para defender os filhos -— e arranca boas risadas dos telespectadores da trilogia Minha mãe é uma peça.  

Não por acaso, essa personagem foi a escolha da consultora de moda e imagem Valéria Lessa, 36, para inspiração. Assim como Hermínia, ela é mãe — do Miguel Jorge, 9, e da Maria Cecília, 4 — e se identifica em alguns pontos com a protagonista da trama. 

Entre os principais atributos da personagem, Valéria destaca: “O fato de ela representar a mulher brasileira em aspectos como força de vontade e dedicação aos filhos. A Dona Hermínia é uma mulher criativa e acredito que há muito dela em mim nesse sentido”. 

Se as personalidades têm atributos similares, os estilos mostram-se um pouco diferentes. Valéria explica que as roupas da protagonista imprimem uma imagem específica. “Ela é uma mulher de estilo conservador, mas que se mantém atual nos detalhes que escolhe vestir”. 

Lessa propôs-se ao desafio de adaptar as composições de Dona Hermínia à sua identidade sem tirar as marcas registradas da personagem, como: cores vibrantes, decote em V, cintura marcada e os comprimentos midi dos vestidos e saias — ela até lembrou dos famosos bobies de cabelo. 

Assim como a protagonista do filme, todas têm uma identidade de estilo própria e, para Valéria, compreender isso é um grande passo. “Trabalho nas redes sociais propondo às mulheres que descubram seu estilo próprio e aprofundem o conhecimento sobre como a roupa pode ser um fator importante para se sentir bem e com a autoestima nas alturas”, esclarece. 
Valéria Lessa se inspirou na Dona Hermínia(foto: Arquivo Pessoal )
Valéria Lessa se inspirou na Dona Hermínia (foto: Arquivo Pessoal )
 

Kelly Coimbra Rochelle Rock 

Rochelle Rock(foto: Reproducao Pinterest)
Rochelle Rock (foto: Reproducao Pinterest)

A personalidade forte de Rochelle Rock divertiu e inspirou muitos brasileiros. Mãe de três no seriado Todo mundo odeia o Chris (2005-2009), a personagem passou a ser conhecida pela determinação e por suas falas sem rodeios.

Porém, a influenciadora Kelly Coimbra, 34, explica que basta assistir a alguns episódios para perceber outras características de Rock. “Trata-se de uma mãe carinhosa e atenta às necessidades dos filhos. A série retrata muitas dificuldades, como financeira, o preconceito, falta de emprego, briga de gangues e outras coisas que cercam a periferia. Rochelle não mede esforços para cuidar do bem-estar da família e dos filhos, sendo uma mãe, por vezes, até feroz e barraqueira”.

Não se identificar com alguns traços de Rochelle é quase impossível, ainda mais para quem tem filhos, como Coimbra, que é mãe de Ana Júlia, 6, e Arthur, 11, e preza pela segurança, saúde e felicidade deles. 

O estilo da personagem é recheado de estamparias coloridas, tendência da época e peças retrôs. “Como a série se passa na década de 1980, ela usa o estilo típico da época: lenços no cabelo, roupas estampadas, calças mom jeans, chapéus extravagantes”, explica. 

Com algumas mudanças para atender a seu gosto pessoal e tornar o look mais atual, como a adição de uma camisa de modelagem moderna e o ponto de cor que fica por conta do lenço no cabelo, Kelly criou a perfeita releitura de Rochelle Rock para o ano de 2020. 

Além de moda, ela dialoga sobre outros tópicos com as mulheres nas redes sociais e busca empoderá-las. “Adoro falar sobre questões relacionadas ao empoderamento da mulher. Tenho um Instagram voltado para o público feminino, trazendo dicas incríveis de cuidados com o cabelo, maquiagem. Sou uma verdadeira camaleoa, adoro mudar de visual e contagiar meus seguidores”, conclui Kelly. 
Kelly criou a produção baseada em Rochelle, mãe do Chris (foto: Arquivo pessoal )
Kelly criou a produção baseada em Rochelle, mãe do Chris (foto: Arquivo pessoal )
 

Mari Costa Lorelai Gilmore 

Loerelai e Rory Gilmore(foto: Reproducao Pinterest )
Loerelai e Rory Gilmore (foto: Reproducao Pinterest )

Alguns personagens têm o poder de ultrapassar a barreira da televisão e se transformarem em verdadeiras companhias, como Lorelai Gilmore foi para a consultora de imagem Mariana Costa, 41. “Comecei a ver a série com 24 anos, grávida do meu primeiro filho, que hoje tem 15 anos. A Lorelai foi, por meses, uma das referências de maternidade”. 

A série Gilmore girls foi lançada em 2000 e abordou, em suas sete temporadas, assuntos relacionados à família e amizade, tendo como foco a relação de Lorelai com a filha, Rory Gilmore. 

O fato de a personagem ser jovem como Mari, trabalhar duro e ser uma grande parceira da filha era motivo de inspiração. “Lorelai representou com maestria todo esse sentimento agridoce da maternidade, que nos faz querer ver nossos filhos caminharem sozinhos, mas, ao mesmo tempo, desejar protegê-los de tudo que possa machucá-los”, avalia ela.

Mãe dedicada aos filhos Luís Antônio, 15, e Frederico, 11, a consultora também destina grande parte de seu tempo ao trabalho como consultora da equipe Resolva Meu Look. “Ajudo as mulheres a entenderem que estilo é o que dá forma ao pensamento e mostra ao mundo quem somos. Nossa imagem é porta-voz desse estilo”, explica.

Sobre o estilo da mãe Gilmore, ela enxerga dois tipos marcantes: o primeiro é clássico, visível em todas as suas produções com calças de corte reto, saias lápis e o arsenal de camisas de tecidos mais nobres. O segundo, mais romântico, está presente na última temporada e trouxe os vestidos arredondados, estampas mais suaves, tons pastéis e o cabelo com ondas definidas.

Segundo Mari, essa mudança na reta final da série teve um objetivo. “Foi pensada para demonstrar que ela amadureceu e consegue dar vida a esse romantismo sem parecer frágil”. Recorrendo às características da personagem, sem deixar de adaptar ao seu próprio estilo, ela criou um look que também expressa essa finalidade. 
Mari Costa, inspirada na viciada em café, Lorelai (foto: Arquivo pessoal)
Mari Costa, inspirada na viciada em café, Lorelai (foto: Arquivo pessoal)


Rafaelle Falcão Rebecca Pearson

Rebecca Pearson(foto: Reproducao Pinterest )
Rebecca Pearson (foto: Reproducao Pinterest )

“Ela é uma mulher muito forte e dedicada à união da família. Isso é uma das coisas com que mais me identifico e gosto na personagem”. Esse também foi um dos motivos da escolha da personagem Rebecca Pearson como inspiração para a consultora de imagem de estilo Rafaelle Falcão, 34, que é mãe de Beatriz, de 6 anos. 

Pearson é uma das protagonistas da série norte americana This is us, que estreou em 2016 e narra os dramas familiares que envolvem os núcleos dos personagens principais. “O que mais gosto na série é que é uma história muito real. A Rebecca é uma mãe que se entregou totalmente para a maternidade, que errou tentando acertar, pensando que estava fazendo o melhor para os filhos”, explica. 

Segundo Rafaelle, a personagem tem um estilo caracterizado pelas referências hippies e boho chic em sua fase mais jovial, antes da passagem de tempo da produção televisiva. Sua cartela de cores principais envolve majoritariamente tons terrosos e peças em azul, lilás ou roxo — as estampas florais e os vestidos midi incluem um pouco do estilo romântico na identidade de Rebecca.  

A consultora revela que também se identifica com o estilo boho, mas, que ele não predomina em seu armário. “Já tive uma fase que queria colocar mais dele no meu estilo, mas percebi que é uma coisa que acho bonito e quando colocava em mim, não me identificava tanto”, esclarece.

Hoje, ela entende que seu estilo tem mais do moderno e fez questão de levar isso para sua produção. “Eu poderia ter colocado uma bota marrom que ficaria até mais parecido, mas, com certeza a mule tom de pele, apesar de discreta, tem o toque da modernidade”.

A questão de conectar o interior com sua forma de vestir é um grande foco do trabalho de Rafaelle. Ela explica que buscar essas referências externas é um bom exercício para a criatividade e inspiração, mas nunca para replicação, uma vez que apenas as referências internas conseguirão transmitir a essência de cada um. 

Ela conclui dizendo que “é importante termos as inspirações principalmente internas, das nossas preferências, gostos pessoais, do nosso estilo, para não ficarmos consumindo coisas que achamos lindas, mas, que, muitas vezes, não nos proporcionam o sentimento que gostaríamos de ter com a própria imagem”.
 
Rafaelle Falcão, inspirada em Rebecca (foto: Arquivo pessoal)
Rafaelle Falcão, inspirada em Rebecca (foto: Arquivo pessoal)
 
 
*Estagiária sob supervisão de Taís Braga

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade