Publicidade

Correio Braziliense

Conheça pessoas com estilos bem definidos e aprenda a explorar o seu

Não precisa comprar um novo guarda-roupa: confira sugestões e particularidades de personalidades femininas


postado em 30/06/2020 08:00 / atualizado em 10/07/2020 18:39

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
Saber algumas dicas de moda para escolher aquela peça do guarda-roupa pode ajudar a criar novos visuais. Mas, antes de aprender com quem já tem um estilo definido, é necessário saber quais são os sete universais: casual, criativo, romântico, contemporâneo, dramático, sexy e clássico.

Segundo a consultora de imagem Brunella Sgaria, para ter roupas no estilo de vida, é necessário pensar na sua personalidade e nos valores que estão com você e na rotina diária. A Revista entrevistou quatro pessoas que podem inspirar uma mudança.

Love pink

Para a psicologia das cores, o rosa tem 50 tons, como rosa antigo, rosa bebê, rosa begônia, rosa choque, entre outros. Além de despertar boas sensações ao vê-la, como charme, sensibilidade, erotismo e sentimentalidade, o rosa pode ser uma cor específica para estilos, como patricinha.


Há pessoas que usam essa cor por amor e paixão. Esse é o caso da esteticista Janaína Lopes Felizola, 37 anos, que é apaixonada desde criança. Para ela, os tons devem estar em todos os lugares, como nos talheres, nas roupas, na clínica onde trabalha, na mesa posta do jantar e, é claro, em objetos como computador, mouse e cadernos. Também na roupinha e nos acessórios do amiguinho pet. “Eu amo essa cor e me identifico com o clima da patricinha, principalmente, a menininha que ele traz”, afirma.

A moradora de Águas Claras tem um mundo cor-de-rosa, no sentido literal, pois até o vestido de noiva que usou e os detalhes da árvore de Natal do ano passado são rosa. “Sempre que eu posso estou com essa cor no meu look. Seja para trabalhar, ir ao shopping ou ir à faculdade”, relata. Janaína queixa-se de ter dificuldade para achar roupas do modelo de que gostasse com a cor preferida. “Hoje, está tendo um modismo! Aí, é mais fácil de encontrar e criar combinações com o pink e acessórios para casa, por exemplo.”

A esteticista já ganhou vários apelidos sobre o amor dela pelo pink. “Ah, Penélope Charmosa, Barbie. Mas, no fundo, eu gosto tanto dessa cor que não tenho problemas com esses rótulos”, conta. “Se algum dia alguém disser algo que eu não goste, ainda assim, continuarei usando rosa”, diz, aos risos. Para a felicidade de Janaína e dos amantes dessa cor, a Feira Shop, espaco de compras, informou que a tendência para unhas de outono e inverno deste ano é os tom rosé, por transmitir elegância e leveza.

Afro retrô


A modelo e trancista Paula Renata da Silva, 26, posta em sua conta do Instagram (@missblackdivine) composições pautadas na cultura vintage negra. Ela tem como suas principais inspirações as artistas negras da década de 40 e 50 e as pin-ups negras da atualidade.
(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

Sobre a fusão de duas grandes referências que originaram seu estilo, denominado afro retrô, Paula explica: “Sigo o estilo pin-up, que segue as tendências principalmente da década de 40 e 50, mas tento colocar referências da cultura afro-brasileira, então gosto de dizer que meu estilo é afro retrô”. Ela acredita na importância de mostrar as influências e raízes de seu estilo na rede social. “Muitas pessoas têm a visão de que seguir um estilo obriga a seguir um padrão e muitas das vezes esse padrão é eurocêntrico. Então, é uma forma de mostrar mais a cultura negra no estilo”, avalia.

A maestria que tem em adaptar as características do estilo pin-up, conhecido pelas peças clássicas e glamurosas e penteados especiais, aos looks do dia a dia com itens da cultura afro-brasileira chama a atenção de diversos seguidores da modelo. “Sempre me pedem dicas de como fazer isso na correria em que vivemos. Fico muito feliz em saber que estou sendo uma inspiração, principalmente para as mulheres negras, pois, por muito tempo, não víamos referências parecidas com a gente”, afirma.

Suas composições são marcadas por calças de cintura alta, roupas que marquem bem a cintura, cintos, peças de tecido africano, turbantes e lenços. Com os turbantes, além de usá-los na cabeça, ela costuma fazer amarrações variadas com o tecido e transformá-lo em novas peças de roupa, como tops.

Junto com os looks, os penteados são assunto frequente. “Muitos acreditam que é mais difícil fazer penteados no cabelo crespo e cacheado, mas é bem mais fácil! Para os modelos vintages, precisa ter volume e estrutura e isso os crespos e cacheados têm naturalmente!” Paula acredita que eles são o que mais caracterizam a pegada retrô e uma de suas dicas principais para quem deseja aderir ao estilo!

Identidade fashionista


Desde muito nova, a acadêmica em direito e digital influencer Laryssa Schneider, 21, cultiva a paixão por moda. Na adolescência, lia revistas teens para se manter antenada e buscava fazer novas combinações. “Sou neta de costureira e sempre chegava na casa da minha avó com os olhos brilhando enquanto perguntava o que precisava para fazer tal peça”, relembra.
(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

No Intagram (@laryssaschneider) criou seu espaço para falar sobre essa paixão, beleza e rotinas de autocuidado. “No começo tinha receio de dar dicas de moda, achava que não estava capacitada para falar sobre e que deveria me ater ao que tinha mais experiência, como beleza, transição capilar e afins. Mas, com a busca por essa capacitação, me vi apaixonada e na responsabilidade de trazer uma visão da moda democratizada, com lojas que todxs pudessem ter acesso e preços variados”.

Com o trabalho na plataforma, Laryssa assumiu a identidade de fashionista e passou a usar composições nunca antes pensadas. Quando se deu conta, já havia seguidores pedindo por vídeos de looks, pastas com inspirações no site Pinterest e tantos outros retornos positivos. Para ela, poder levar felicidade, incentivo ao amor próprio e saber que conseguiu influenciar uma pessoa que seja a construir hábitos positivos, é motivo de gratidão.

Nos looks, a digital influencer compartilha com o público seu estilo eclético, que transita do social ao street style dos anos 80 e 90. “O que é o forte em qualquer look é o gosto que tenho pela sensualidade, usando cetim, decotes, croppeds, mas sempre combinando com o local que frequentarei e buscando não me exceder. Gosto de me vestir conforme o feeling do meu dia”, explica.

Entre os itens indispensáveis estão os jeans, t-shirts, scarpins, blusas de alça, tênis branco e a peça que melhor a descreve: o blazer. “Ele acompanha dos looks mais esportivos aos mais sociais em alfaiataria. Creio que o blazer seja a peça mais eclética que existe. Dá um toque de requinte a qualquer look”. Na hora de escolher os acessórios, aposta nos brincos de argola, colares discretos e no relógio retrô da Casio. 
 

Criatividade ao se vestir


A funcionária pública Poliane Carvalho, 32, também se apaixonou quando criança. A mãe trabalhava na área, então, ela cresceu rodeada por tecidos, referências e lembra que vestia bonecas com retalhos de roupas, aos 8 anos. Atualmente, ela se identifica com o estilo criativo e gosta de acompanhar tendências, explorar cores, tecidos, modelos diferentes e sair do óbvio. “A hora de me vestir, sempre que possível, é o momento de exercitar minha criatividade”. Ela revela que suas inspirações são diversas e vem de pessoas que vê nas ruas, nas redes sociais ou em duas pesquisas em sites como o Pinterest.
(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

No dia a dia, sua base é short jeans e camiseta branca. Por cima disso, ela adiciona acessórios e uma terceira peça, como uma jaqueta. “Minha dica de estilo preferida é apostar na terceira peça, que é o complemento do look, aquilo que acrescentamos depois que vestimos uma parte de baixo e uma de cima”. Para o trabalho, as peças usadas costumam ser formais, como camisa, calça e um blazer moderno, uma de suas peças favoritas.

Nos calçados, a funcionária pública gosta de apostar em modelos diferentes e ousados quando combinados com uma roupa básica, para dar um up na produção. As sandálias de tiras finas, inclusive, estão na lista de itens que considera indispensáveis, junto com a camiseta branca, jeans clássico e blazer preto. Ao observar seu perfil no Instagram (@polycsouzaa), fica nítido que as cores também são protagonistas de suas produções. Looks quase completamente monocromáticos são arrematados por um sapato colorido ou uma única peça de tom diferente, que atrai a atenção. 

Defina seu estilo


Casual: looks mais simplificados e rápidos, na maioria das vezes, compostos por peças leves ou fáceis de combinar, como a calça jeans de lavagem simples. Cores mais neutras e tons claros ajudam a combinar com o restante do guarda-roupa. Listras, poás, pequenos desenhos são estampas que, com certeza, chamam sua atenção.

Dramático: composições com uma pegada street. O estilo tem um viés meio rocker e punk, mas não é regra. Abusam do preto e os detalhes em metal, tanto nas peças de roupas quanto nos acessórios, unhas e make.

Clássico: pode ser composto por peças mais alinhadas, estruturadas, discretas, com modelagens retas. Pessoas com esse estilo, apostam prioritariamente em cores claras, neutras e tons terrosos. Para estampas, costumam preferir risca de giz, escama de peixe e xadrez. clássico.

Contemporâneo: parecido com o estilo clássico, mas com um toque de tendência, que incluei modelagens, cores e tecidos diferentes. É mais livre e geralmente segue a cor ou estampa do momento. Aceita tanto tons neutros quanto os mais vibrantes, dependendo da mulher.

Criativo: os trajes são coloridos/estampados, despretensiosos, volumosos, assimétricos. Toda cor é bem-vinda. Não há medo!

Romântico: looks alinhados e discretos, porém com toque retrô, babados ou aplicações em pérolas. Use tons pastel e estampas divertidas (dentro da paleta).

Sexy: os trajes são mais justos, com recortes ou com caimento e modelagem que acentuam as curvas, que mostram um pouco de pele. Todas as cores caem bem, mas, em especial, preto e estampas animal print.

Vintage: vai à procura daquela peça única para marcar um pedaço de história, e abre caminho para aquele look da Audrey Hepburn, da Lauren Bacall ou da Marylin Monroe. As roupas vintage podem ser baratas e esplendidamente benfeitas, por isso duram bastante tempo.

Fontes: Fashion Revolution, movimento de transformação positiva da moda, e o e-book da Semana do look certo (manual).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade