Revista

Isolamento: como cuidar de pés ressecados e unhas encravadas em casa

Com o fechamento das clínicas de podologia, quem sofre com unhas encravadas tem passado por maus bocados. Saiba como se cuidar em casa para evitar dores e incômodos

Ailim Cabral
postado em 08/07/2020 08:00
Especialistas alertam para a importância de um especialista desencravar a unha: pessoa não deve fazer por conta própria

Para quem sofre com unhas encravadas e pés rachados, o período de isolamento se tornou mais um agravante. Em Brasília, as clínicas de podologia não estão liberadas para funcionar, pois são consideradas serviços de estética. E os que lidam com onicocriptose ; dores ou inflamações resultantes da unha, que fere a pele ; reclamam do problema recorrente.

A podóloga Francisca de Assis Paiva conta que, desde o fechamento do comércio, em março, recebe ligações e mensagens de clientes pedindo socorro nos cuidados com os pés. Atenta, principalmente aos que dependiam da podologia por questões de saúde, ela não deixa de orientar, mas é muito clara quando explica que a pessoa não deve, em hipótese alguma, usar alicates e palitos para mexer nos cantinhos das unhas.

Segundo Francisca, os problemas mais frequentes na sua clínica, a rede brasiliense ProntoPé, são as unhas encravadas e os calos, além das fissuras nos pés por ressecamento. No primeiro caso, as soluções caseiras são limitadas, uma vez que remover ou tratar unhas encravadas sem a devida experiência pode resultar em inflamações e infecções.

Maria de Lourdes Nascimento Pinheiro, podóloga e coordenadora técnica da Doctor Feet, explica que a remoção da pele morta ao redor da unha e o desencravamento dependem não só da experiência, mas também do ângulo pelo qual os profissionais acessam o pé. ;De frente, sabemos até onde podemos ir. Quando a própria pessoa mexe, acha que pode remover e perfurar até onde aguenta a dor, mas não é bem assim. Pode ferir, causar descolamento da unha e até pegar doenças por não ter como esterilizar adequadamente o material.;

Muitas vezes, o incômodo inicial até diminui, mas a unha pode quebrar, e pequenos pedaços ficarem dentro da pele. Isso pode ocasionar infecções e outras patologias. O aposentado Tadeu Miguel Osmala, 64 anos, estava acostumado a ir ao podólogo uma vez por mês para tratar a unha encravada. ;Já sofri muito. Só indo ao podólogo consigo um alívio.; Por finalmente ter encontrado a solução, não abre mão dos encontros com a especialista. Porém, com o isolamento, Tadeu está há quase três meses sem o tratamento.
[FOTO2]
Em casa, o aposentado passa a maior parte do tempo de sandália, sem apertar os pés. Tadeu acredita que a liberdade contribui para que a unha fique mais ;tranquila;. Com a necessidade apenas de cortar e lixar as unhas de vez em quando, ele conta com o auxílio da esposa e das dicas que a podóloga manda pelo WhatsApp.

Como cuidar em casa

  • O corte das unhas dos pés deve ser o mais reto possível.
  • Quem tiver dificuldades para cortar reto, pode apenas lixar as unhas.
  • Não corte os cantos ou remova a pele acumulada neles.
  • Para diminuir o incômodo causado pelas peles em excesso, deixe os pés de molho em água morna três vezes por semana para amolecer.
  • Com a pele amolecida, use um palitinho ou espátula para inserir um pequeno pedaço de algodão entre o cantinho da unha e da pele.
  • O algodão funcionará como um calço, e suspende a unha que está machucando a prega ungueal.
  • A medida é apenas paliativa para os que estiverem sofrendo com dor. Ameniza a situação até que se possa visitar o podólogo.
  • As profissionais ressaltam que a espátula ou o palito deve ser apenas para ajustar o algodão, não os use para empurrar a pele ou a unha.
  • Hidrate as unhas e cutículas com óleos de semente de uva, amêndoas ou cremes e óleos que tenha em casa.
  • A ingestão de vitamina C ajuda no fortalecimento das unhas.
  • Evite remover o excesso de cutícula, ela é uma barreira mecânica de proteção da unha e do organismo.
  • Para evitar calos, não use sapatos apertados.
  • Para evitar fissuras e rachaduras nos pés ressecados, hidrate-o bem. Passe cremes e óleos e use produtos próprios para o tratamento das fissuras.
  • Depois de lavar, seque bem o pé e entre os dedos para evitar micoses.

O escalda-pés

  • Em uma bacia, misture três litros de água quente, uma xícara de sal grosso e cinco gotas de óleo essencial de lavanda. Coloque os pés e deixe descansar por cerca de 20 minutos. O escalda-pés ativa a circulação sanguínea e linfática, ajuda a reduzir o inchaço e o acúmulo de líquidos no organismo. Não é recomendado para mulheres grávidas, hipertensos ou pessoas com metástases. Pode ser feito uma vez por semana ou a cada 15 dias. Ao terminar e secar bem os pés, finalize com uma boa hidratação.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação