Revista

Coelhos, répteis, pássaros. Saiba como proteger as espécies de pet do frio

Apaixonados por animais precisam ter cuidados no inverno. Especialistas orientam como amparar os pets e deixá-los aquecidos na estação

Tayanne Silva*
postado em 10/07/2020 09:00
 (foto: Arquivo Pessoal
)
(foto: Arquivo Pessoal )
Criador de hamster, o fisioterapeuta Leonardo de Lima Dantas sempre põe serragem seca na gaiola para aquecer o bichinho

O inverno é a estação mais temida pelos donos dos animais de estimação. Expostos a baixas temperaturas, os cães ficam mais suscetíveis a doenças, como a gripe. Mas não só eles. Gatos, coelhos, hamsters e até aves podem sofrer com o frio e exigem cuidados especiais neste período. ;O frio propicia a dispersão de vírus e bactérias, então é necessário estar atento a cuidados veterinários, como a vacinação;, orienta o veterinário Andre Luiz B. Cezar.

Ele explica que a temperatura ideal do corpo humano é 36,5C;, mas em cães e gatos, ela fica entre 38C; e 39C;. ;Os primeiros sinais de que sentem frio são: coriza, secreção (no focinho e nos olhos), prostração, caminhar lento, longos períodos dormindo, rejeição à comida e espirros;, detalha Andre.

A sugestão dele é prestar atenção no dia a dia. ;O banho muito quente nem sempre é a melhor opção. A água em alta temperatura pode desidratar a pele do cachorro e até lesioná-lo;, explica o veterinário, que também é adestrador de animais. Uma solução é a roupinha, mas o atrito da peça com a pele pode embolar os pelos. ;Os fios costumam ficar mais compridos durante o inverno, o ideal é escovar constantemente.;

O veterinário Fábio Barreto reforça, ainda, que se deve evitar roupinhas com muitos detalhes. ;Essas peças podem incomodar e até machucar. Gatos não costumam tolerar bem. Só os deixem de roupas se notar que estão se sentindo bem;, detalha. Manter o lugar onde o animal dorme aquecido é uma ótima opção. ;Nos dias quentes, pode ser confortável para ele dormir diretamente no chão. Porém, nos meses mais frios, ele gosta mesmo é de uma cama bem quentinha;, observa.

De acordo com ele, que é especialista em clínica e cirurgia de pequenos animais e dono do Hospital Veterinário Arca de Noé, no Lago Sul, o ideal é que a cama do bichinho esteja forrada com cobertor e tecidos que mantenham o calor. ;Lembre-se de que as cobertas devem ser lavadas com frequência, pelo menos uma vez por semana;, sugere.Para quem tem hamster e coelho, durante a noite, o ideal é manter a gaiola ou cercado próximo a um calor artificial. ;Evite locais com corrente de vento direto. Procure deixar a gaiola coberta com um pano mais grosso e deixe sempre uma parte descoberta. Durante o dia, tente deixá-los perto do sol;, orienta Fábio Barreto. O veterinário observa que, com esses cuidados, aumenta-se a prevenção de doenças respiratórias, como traqueobronquites, asmas e pneumonias.

O fisioterapeuta Leonardo de Lima Dantas, 30 anos, cria hamster e calopsita. Ele conta que esses animais não são fãs do frio. ;O mais prejudicial são as correntes de ar. Para evitar essa situação, adotamos algumas medidas. No caso das calopsitas, nós fechamos as janelas e cobrimos com tecido ou lona as gaiolas;, afirma.

Para os hamsters, os cuidados são redobrados. ;Oferecemos uma forragem importada, além da maravalha (serragem seca), que ajuda na confecção do ninho. Pois o frio extremo pode levar o hamster à letargia, e ele acaba morrendo por não se alimentar nem se hidratar direito;, completa o criador.


A ação do inverno em cada espécie

Aves

Se você gosta de fazer carinho no passarinho, deve ter percebido que o corpo dele é mais quente. E essa não é apenas uma impressão. Estudos indicam que a temperatura corporal varia entre 39;C e 42;C. Ou seja, mais ou menos como a de um humano com febre alta.

Confira algumas dicas:
  • Proteção: coloque a gaiola em um ambiente fechado e longe das correntes de vento. O passarinho pode estranhar em um primeiro momento, mas logo se acostumará com o ambiente e estará protegido das baixas temperaturas.
  • Calor: o inverno não traz apenas temperaturas baixas, mas aquele solzinho também. A dica é aproveitar o calor dos raios solares. Caso não tenha sol, pode optar pelo aquecedor. Entretanto, antes de instalá-lo, consulte um veterinário para saber se a espécie pode aproveitá-lo sem problemas.
  • Alimentação: Coloque porções generosas para o passarinho, pois, no frio, ele gasta muita energia para se manter quentinho e precisa de uma alimentação mais reforçada.

Répteis

No caso desses animais, existe um agravante: eles regulam a temperatura interna a partir da externa. Enquanto uma temperatura incorreta acelera ou diminui o metabolismo, a umidade em excesso pode facilitar a proliferação de fungos e de bactérias na pele. Já a baixa pode levar ao ressecamento e à desidratação. Confira como ajudar seu pet:
  • O vidro dos terrários tem proteção contra raios solares, a recomendação é fazer uso de lâmpadas UV durante o ano todo.
  • Quase todos os répteis dependem da luz ultravioleta para a produção de vitamina D.


Coelho

A temperatura corporal varia entre 38;C e 40;C, e a ideal para o ambiente deve girar em torno de 18;C. Quando a temperatura cai rapidamente, você pode observar os seguintes sintomas no bicho:
  • Tremores
  • Rigidez muscular
  • Focinho e orelhas frias
  • Cãibras
  • Pele seca
  • Respiração mais lenta e dificuldade para respirar
  • Movimentos lentos e desajeitados

Proteção: envolva o coelho com um cobertor, para protegê-lo e transmitir calor. Você também pode colocá-lo nos braços, embrulhado no cobertor, em um lençol ou toalha seca por alguns minutos. Além de colocar o pano na gaiola.
*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação