Superesportes

Deco: "Hoje o Brasil me vê de um jeito diferente"

;

postado em 20/10/2008 11:13
O meia brasileiro naturalizado português Deco só ganhou notoriedade no seu país natal quando o técnico Luiz Felipe Scolari surpreendentemente o convocou para a seleção lusa, em 2003. Sem chances no Brasil, onde teve uma rápida passagem pelo Corinthians, o jogador, hoje no Chelsea, diz não guardar mágoas por não ter tido chances. ;Na verdade isso não me preocupa. É natural que em um país com tantos grandes talentos, como o Brasil, as pessoas reajam com desconfiança quando o nome de algum desconhecido é mencionado. Não foi algo que me incomodou, mas é evidente que hoje no Brasil me vêem de uma forma diferente, sobretudo após minhas conquistas no Barcelona;, comentou. Em entrevista ao site oficial da Fifa, Deco relembrou que chegou a Portugal ainda jovem, com 20 anos, e foi bem acolhido, o que pesou na hora de se naturalizar e aceitar a convocação de Felipão, mesmo com as desconfianças no Brasil e no país ibérico. ;Foi a minha forma de mostrar reconhecimento pelo país que me recebeu e onde vivia;, explicou. O luso-brasileiro crê que o título da Copa dos Campeões com o Porto, na temporada 2003/2004, sob o comando de José Mourinho, foi o momento de confirmação na sua carreira. Além do português, hoje na Inter de Milão, o meio-campista trabalhou com outros técnicos renomados, como o próprio Felipão e Frank Rijkaard, do Barcelona. E, apesar de não economizar nos elogios ao brasileiro, que o levou à seleção portuguesa e ao Chelsea, Deco não esconde a admiração pelo trabalho de Mourinho. ;O estilo holandês que o Rijkaard trouxe encaixou-se perfeitamente no Barcelona, que é um clube que adora jogar bom futebol. Quanto ao Scolari, ele trás uma aproximação mais típica da América do Sul. São muito diferentes, mas têm em comum o fato de conseguirem uma grande união na equipe. Por ser mais espontâneo e animado, Scolari é ainda melhor neste aspecto. Já o Mourinho é um estudioso, sempre atento a tudo, não só aos aspectos do jogo. É um treinador ideal, muito inteligente;, analisou. Deco ainda traçou um paralelo entre os campeonatos da Espanha e da Inglaterra e disse considerar o que disputa atualmente mais difícil. ;A grande diferença da Inglaterra para outros países é a intensidade. É verdade que por vezes pode faltar a qualidade técnica que existe em outros países, mas em termos de empenho e preparação, está em outro nível;, destacou. ;Na Espanha, por exemplo, até os clubes menores têm jogadores muito dotados tecnicamente e que podem fazer a diferença nos encontros. Mas na Inglaterra, as equipes pequenas têm jogadores muito atléticos, por isso acredito que esta é a liga mais difícil;, concluiu o jogador dos Blues.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação