Superesportes

Platini, presidente da Uefa, critica City e quer frear gastos exagerados

;

postado em 06/02/2009 10:58
'Novo rico' do futebol mundial, o Manchester City pode sofrer uma inédita punição justamente por gastar demais. Em entrevista ao The Sun, o presidente da Uefa, Michel Platini, mostrou-se inconformado com a oferta de cerca de R$ 450 milhões feita pelo time inglês para tirar Kaká do Milan. E prometeu tomar uma atitude. "Como um jogador pode custar 150 milhões de euros? Na minha opinião, isto é ridículo. Todo esse dinheiro por um jogador de futebol? Isso não é possível. Está na hora de fazermos alguma coisa", bradou o ex-craque da seleção francesa. Michel Platini ameaçou o time de Robinho e Elano de punição caso fique comprovado que os gastos dos donos do Manchester City poderão deixar o clube administrativamente inviável futuramente. "Eu estou procurando um sistema no qual você só pode gastar o que você tem. Se um shaike traz 150 milhões de euros para Kaká, então você tem de colocar o salário dele como o mais alto também", argumentou. "Se um clube não conseguir lidar com essas cifras milionárias, então ele poderá ser banido das competições. Isso não é pra bagunçar o futebol, mas sim para proteger. Alguns donos de clube já me pediram isso e como presidente da UEFA essa é minha obrigação", pontuou. Mais críticas Michel Platini também bateu duro nos atuais moldes adotados no empréstimo de jogadores, apesar de frisar que as críticas não estão diretamente direcionadas à novela envolvendo Beckham, Milan e Los Angeles Galaxy, o presidente da Uefa deixou clara sua impressão sobre o caso. "Meu problema não é o Beckham, e sim o Milan adquirir um jogador por três meses. O que virá depois? Jogadores contratados apenas para um jogo? Para a final da Champions League? Essa é uma situação que precisa ser analisada", pediu, disposto a mudar a lei que permite contratos de empréstimo por três meses.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação