Superesportes

Sempre há um motivo para correr

Com 55 inscritos na Corrida de Reis, equipe do Grancursos une atletas profissionais e novatos na tradicional prova que será disputada amanhã

postado em 08/01/2010 08:31
Para os corredores de rua, o início do mês de janeiro significa o final da temporada de 2009. E para fechar o calendário de corridas mais de 6.500 competidores vão disputar, amanhã, a mais tradicional prova da cidade: a Corrida de Reis. Em sua 40; edição, a competição volta aos moldes da primeira vez, realizada em 6 de janeiro de 1971: será disputada à noite, com largada dos pelotões a partir das 19h. Além do diferencial do horário, a premiação e o desafio de percorrer um dos percursos mais difíceis e exaustivos de Brasília são os grandes atrativos do público.

Entre os participantes, 55 atletas formam a equipe do Grancursos, que neste ano promete subir o pódio. Composto por corredores que disputam o pelotão das principais corridas de rua, o grupo serve como exemplo e motivação para quem está começando.

Um dos exemplos na equipe é Damião Anselmo Souza. O corredor estabeleceu a segunda melhor marca Sul-Americana em 2009, com o tempo de 28min28seg nos 10 mil metros no Troféu Brasil. Um resultado ainda mais comemorado por ter sido a estreia dele em provas de pista, já que Damião costuma correr em provas de rua. ;Nunca tinha corrido em pista. Fiquei muito feliz. Agora é buscar um bom resultado no sábado;, planejou.

Além dele, Adelson Alves Rodrigues, o melhor da equipe Grancursos na Corrida de São Silvestre, com o 27; lugar, é uma das apostas. Natural de Barão de Grajaú, município do Maranhão, o corredor retorna à Corrida de Reis depois de um ano sem disputar a prova. ;Estou empolgado com o resultado da São Silvestre. Será uma motivação a mais para conseguir o resultado;, explicou. Além disso, ele vem de uma sequência de vitórias no Nordeste, onde em quatro corridas acumulou R$ 12 mil em prêmios. ;Eu venho para Brasília para treinar com a equipe e fazer algumas provas. Mas prefiro morar lá. Além de ter mais corridas, é perto do mar;, comparou.

Os treinos de Adelson também se estendem até o Rio de Janeiro, onde mora a técnica Domicina Gomes. Lá, aproveitam para trocar ideias e atualizar a planilha de treinamento. E para completar o roteiro de treinos ele planeja novas experiências com atletas internacionais. ;Em 2010, eu pretendo ir à Bolívia ou à Colômbia treinar. Vou fazer um treino específico para a Maratona de São Paulo;, adiantou o corredor, que prefere provas mais longas.

Já Antônio Júnior disputa a Corrida de Reis com motivos de sobra para comemorar. Depois de dois anos longe das corridas, ele retornou ao esporte em fevereiro de 2009 e conseguiu finalizar o ano melhor do que começou, apesar da inflamação na tíbia que o fez abandonar a São Silvestre. Ciente da dificuldade do percurso deste sábado, ele pretende fazer uma corrida de estratégia. ;É um sobe e desce terrível. É preciso administrar para concluir bem;, avisou.

Prêmio para todos
A Corrida de Reis vai distribuir R$ 58 mil. Na categoria elite, a premiação será de R$ 10 mil para o primeiro lugar, tanto no masculino como no feminino. Também haverá prêmios para as categorias cadeirantes e andantes. A Corrida Mirim vai entregar bicicletas para os vencedores.

Serviço

CORRIDA DE REIS
Amanhã
Local: largada no Estádio Mané Garrincha
Horário: 19h
Percursos: 6km e 10km

Nunca é tarde

Trabalhador do controle de entrada dos alunos do curso, Richard Rodrigues é um dos que começou a correr, há menos de um ano, com o objetivo de perder peso. Com 94kg, 14kg a menos do que quando começou a correr, ele admite que se sente ainda melhor quando pode competir ao lado de grandes atletas. ;É uma oportunidade muito legal poder correr ao lado deles;, afirmou.

Sem grandes intenções na disputa deste sábado, o corredor só pretende baixar o tempo dos 10km, que está em torno dos 44 minutos. Além disso, aproveita para torcer pelos companheiros de equipe. ;Essa turma é muito forte. Ainda estou aprendendo com eles. Acho que têm grandes chances;, apostou o corredor, que fez 16 provas em 2009.

Ex-atleta, Levy Serafin da Costa também se juntou ao grupo. Medalha de bronze no Sul Americano Universitário em 1999, Levy ficou mais de cinco anos afastado do esporte depois de machucar o joelho. Com 60kg a menos do que na fase em que permaneceu longe da corrida, ele recorda os bons momentos em que comemorou vitórias. ;Hoje, vejo como um incentivo competir ao lado de corredores tão experientes;, explicou. ;Eu rodava como eles fazem hoje. Mas, como estou voltando, vou competir na distância de 6km;, lembrou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação