Publicidade

Correio Braziliense

A vida do Brasil sem Talles

Mostramos como Guilherme Dalla Déa pode reinventar a Seleção para enfrentar a Itália nas quartas. Cortado após estiramento no bíceps femural, atacante do Vasco está fora do torneio


postado em 08/11/2019 04:06 / atualizado em 08/11/2019 08:23

Talles Magno retornou ao Rio para iniciar o tratamento com os médicos do Vasco: fim do Mundial Sub-17 e talvez até da temporada(foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
Talles Magno retornou ao Rio para iniciar o tratamento com os médicos do Vasco: fim do Mundial Sub-17 e talvez até da temporada (foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
 

Talles Magno e Reinier eram as duas estrelas da companhia canarinha convocadas para o Mundial Sub-17. Enquanto o meia do Flamengo conseguiu o afastamento e ficou no Rio de Janeiro, o atacante vascaíno jogou todos os minutos enquanto pôde. Com o estiramento no bíceps femural, detectado na madrugada de ontem, Talles não participará mais do Mundial. O atacante retornou ao Rio de Janeiro para iniciar o tratamento nas instalações do Vasco. Na segunda, o Brasil enfrentará a Itália, às 20h, no Estádio Olímpico, em Goiânia, pelas quartas de final. A Squadra Azzurra venceu o Equador por 1 x 0.  O Correio tenta desvendar como Brasil vai se virar sem Talles Magno.


Nos acréscimos das oitavas de final contra o Chile, a estrela brasileira sentiu uma fisgada na coxa direita. Caiu no gramado e foi às lágrimas. Após o apito final, os colegas carregaram o atacante, ainda em prantos, rumo ao vestiário. Durante a madrugada, após realizar exames no Hospital Home, na L2 Sul, foi detectado estiramento. Talles não estará recuperado até a final, no dia 17. Como ficará a Seleção? Quem será o substituto? O que perde o Brasil sem ele?
O atacante do Vasco anotou dois gols nas quatro partidas que disputou. Como  não deixou o gramado nem por um minuto, não teve um jogador que exerceu a função do jovem neste Munidal Sub-17. A seguir, confira quatro possibilidades de Dalla Déa se reinventar na falta do atacante:

Sem alterar o esquema tático
(4-2-3-1)

1ª opção:

Pedro Lucas, meia-atacante do Grêmio, ganharia a vaga de Talles e jogaria aberto pela esquerda. Sem muitas alterações na forma de jogar. Pedro Lucas foi convocado para o lugar de Reinier e tem velocidade e drible rápido para vencer o um contra um diante do lateral adversário.

Posicionamento

Kaio Jorge
Pedro Lucas     João Peglow     Veron



2ª opção:

Pedro Lucas entra como meia central, e João Peglow vai para a ponta-esquerda. No duelo contra o Chile, Pedro entrou na vaga de Peglow aos 5 minutos do segundo tempo e fez a função de ‘camisa 10’ do Brasil. Peglow também tem qualidade no drible e no arranque. Normalmente, cai pelo lado esquerdo quando está jogando numa posição centralizada.

Posicionamento
Kaio Jorge
João Peglow     Pedro Lucas     Veron



Alterarando o esquema tático
(4-3-3)

1ª opção (reforçando o meio campo):

Entra o meia Talles Costa para ser um terceiro homem de meio campo e formar uma trinca com Daniel Cabral e Diego Rosa. Neste caso, haveria um losango com João Peglow mais à frente. Talles começou como titular o Mundial, mas perdeu a vaga para Diego. A condução de bola rápida e o passe vertical são características fortes do meia do São Paulo. Transformando Veron em um segundo atacante, ao lado de Kaio Jorge.

Posicionamento

Veron          Kaio Jorge
João Peglow                                
Diego Rosa       Talles Costa
Daniel Cabral



2ª opção (mais defensiva):

Sandry entraria para fazer quase a mesma função de Talles Costa, na opção anterior. Porém, Sandry é mais marcador. O volante do Santos é especialista na roubada de bola e no início da construção. Seria uma alternativa mais defensiva do treinador Dalla Déa.

Posicionamento

Veron             Kaio Jorge
João Peglow                               
Diego Rosa                Sandry
Daniel Cabral

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade