Publicidade

Correio Braziliense

Flamengo mantém oito pontos na marra

Time carioca sofre, mas mantém vantagem sobre o vice-líder Palmeiras em triunfo marcado por rivalidade excessiva dentro e fora de campo com o Botafogo. Derrota coloca alvinegro na zona de rebaixamento


postado em 08/11/2019 04:07 / atualizado em 08/11/2019 08:17

Lincoln fez dois gols neste Brasileirão, o outro foi contra a Chapecoense no primeiro turno(foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
Lincoln fez dois gols neste Brasileirão, o outro foi contra a Chapecoense no primeiro turno (foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
 
O Flamengo obteve uma de suas vitórias mais difíceis no Campeonato Brasileiro, ontem à noite, ao derrotar o Botafogo por 1 x 0, no Estádio Nilton Santos, em duelo válido pela 31ª rodada. Com o resultado, o time rubro-negro, que atuou 40 minutos com um jogador a mais, alcançou os 74 pontos, manteve oito de vantagem para o Palmeiras e ainda jogou o arquirrival carioca para a zona de rebaixamento, com apenas 33 pontos.

O primeiro tempo foi um dos mais difíceis da temporada. Com forte marcação, as equipes disputaram cada bola com grande intensidade, o que causou um alto número de faltas ríspidas, obrigando o árbitro Leandro Pedro Vuaden a mostrar cinco cartões amarelos.

Mais determinado, o Botafogo dominou boa parte dos primeiros 45 minutos e esteve esteve prestes a abrir o placar em pelo menos três oportunidades. Aos 10 minutos, Diego Alves impediu o gol de Igor Cássio. Léo Valência e Luiz Fernando também tiveram chance, mas falharam na finalização.

O Flamengo só foi equilibrar a disputa nos 10 minutos finais, quando o Botafogo pareceu cansar um pouco na marcação. Meio sem jeito, Bruno Henrique, em uma bola disputada com o goleiro Gatito, chegou a acertar o travessão, aos 39 minutos. Aos 41, Gabriel, anulado pela agressiva zaga botafoguense, surgiu apenas com um chute longa e para fora, aos 41 minutos.

No segundo tempo, o Flamengo voltou mais ligado, buscando colocar a bola no chão, fazer as jogadas e fugir da marcação intensa do Botafogo. Aos nove minutos, Luiz Fernando agarrou Bruno Henrique, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso.

O jogo, que já era nervoso, ficou ainda mais “pegado”, pois os jogadores do Botafogo passaram a tentar irritar os jogadores do Flamengo, principalmente Bruno Henrique, para que um jogador adversário também levasse o cartão vermelho.

Sem êxito nesse expediente, o Botafogo perdeu força pela queda de rendimento físico. O Flamengo “alugou” o meio-campo e passou a ter várias chances de gol. Pablo Marí, Gabriel e Vitinho perderam boas chances.

O clima, então, ficou ainda mais nervoso. Pablo Marí e o técnico Alberto Valentim discutiram à beira do gramado por causa da posse de bola e receberam o cartão amarelo. Os últimos quinze minutos foram marcados pelo desespero do Flamengo na busca de um gol, diante da catimba do Botafogo, feliz demais com o empate.

Mas, de tanto insistir, o Flamengo chegou ao gol aos 43 minutos. Everton Ribeiro escapou pela meia esquerda e lançou Bruno Henrique na ponta. O cruzamento saiu rápido e Lincoln apareceu como um raio para fazer o gol: 1 x 0.

Os minutos finais foram marcados pela euforia dos cerca de três mil flamenguistas, que que festejaram a 23ª vitória no Brasileiro e zombaram dos rivais com os gritos de “segunda divisão”.

Na saída de campo, Jorge Jesus, que levou o terceiro cartão amarelo, foi tripudiar em cima de Joel Carli e o zagueiro argentino quase agrediu o treinador. O Flamengo quebrou jejum de 10 anos sem vitória sobre o Botafogo como visitante no Brasileirão.



“Foi difícil jogar. O Botafogo só quis bater, só quis caçar, só quis fazer faltas”

Jorge Jesus,
técnico do Flamengo

“Jorge falou bobagem. Devia deixar a boquinha calada. Ninguém veio caçar ninguém”
Alberto Valentim,
técnico do Botafogo

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade