Publicidade

Correio Braziliense

Chance de vingar a geração de Diego

Brasil jamais venceu a França no torneio. Eliminada pelo carrasco em 2001, Seleção terá pela frente nesta quinta, no Gama, o ataque mais positivo, defesa menos vazada e o melhor garçom


postado em 12/11/2019 04:15 / atualizado em 12/11/2019 08:14

O meia Tales Costa em momento de fé após a vitória por 2 x 0 enquanto os italianos vão à lona, em Goiânia(foto: Alexandre Loureiro/CBF)
O meia Tales Costa em momento de fé após a vitória por 2 x 0 enquanto os italianos vão à lona, em Goiânia (foto: Alexandre Loureiro/CBF)

A fama da França de carrasco do Brasil não se limita aos duelos entre as duas seleções principais nas edições de 1986, 1998 e 2006 da Copa do Mundo. O próximo adversário dos adolescentes liderados por Guilherme Dalla Déa nas semifinais do Mundial Sub-17 nesta quinta-feira, às 20h, no Estádio Bezerrão, jamais perdeu para a esquadra canarinho na história da competição “teen”. Embalados pela vitória por 2 x 0 sobre a atual vice-campeã europeia Itália, ontem, em Goiânia, com gols de Patrick e João Peglow, os tricampeões retornam hoje a Brasília com a missão de quebrar o tabu. Na preliminar, a França despachou a Espanha por 6 x 1.


Em 1987, a geração do goleiro Carlos Germano, do volante Pintado, do atacante Paulo Nunes, do centroavante Bentinho e do camisa 10 Roberto Assis, irmão de Ronaldinho Gaúcho, estreou empatando por 0 x 0 com a França, do então jovem Emmanuel Petit, no Mundial Sub-17 do Canadá. Nas quartas de final de 2001, a França arrancou rumo ao título, em Trinidad e Tobago, após desbancar a geração de Diego Ribas do Flamengo por 2 x 1. O elenco também contava com o volante Marcelo Mattos e com o goleiro Felipe, ex-Corinthians e Flamengo.


O Brasil está nas semifinais do Mundial Sub-17 pela segunda edição consecutiva. Há dois anos, deu adeus contra a Inglaterra, na Índia. Independentemente do resultado diante da França na quinta-feira, a Seleção atual conseguiu uma superação incrível. Para início de conversa, nem deveria disputar o torneio. Vale lembrar que o país foi eliminado na fase de grupos do Sul-Americano. Nem sequer disputou o hexagonal final que apontou os quatro qualificados para o Mundial. Como o Peru perdeu o direito de receber o torneio, o Brasil virou anfitrião por acaso.


Os problemas continuaram na convocação. Guilherme Dalla Déa perdeu o camisa 10. O Flamengo não liberou Reinier. Nas oitavas de final, Talles Magno se machucou, foi cortado e devolvido ao Vasco. Ontem, o time se reinventou. Configurado no 4-1-4-1 do Tite, resolveu a partida no primeiro tempo. Gabriel Verón e João Peglow se revezavam pelas pontas, Pedro Lucas e Talles Costa davam suporte por dentro acionando os pontas.


A movimentação confundiu a Itália. Em vez de Peglow, o lateral-esquerdo Patrych surgiu na cara do gol para abrir o placar. Encheu a perna canhota e estufou a rede. No segundo, quem esperava ver Gabriel Veron aberto na direita viu João Peglow receber a bola na extrema direita da grande área, finalizar e contar com um toque no rodapé da trave para consolidar a classificação verde-amarela.

Parça do Neymar

Com a classificação do Brasil, o Mundial Sub-17 virou uma espécie de Copa Euroamericana. A outra semifinal opõe Holanda e México, às 16h30, no Bezerrão. Adversária da Seleção, a França tem o melhor ataque com 16 gols, a melhor defesa com dois sofridos, e o melhor garçom do torneio.

 


Parceiro de Neymar e Mbappé no elenco principal do PSG, Adil Aouchiche mostra outra faceta neste torneio. Artilheiro da Euro Sub-17 com nove gols, ele agora é o campeão de assistências com seis passes para gol. Aouchiche é arco e flecha. Um camisa 10 que veste a 11. Tem facilidade para atuar por dentro, nas extremidades ou no papel de referência do ataque. E há os jogadores de ascendência africana. Agoume, Ahamada, Soppy, Kouassi e Mbuku tornam a seleção gaulesa muito forte fisicamente, alta e equilibrada.

 

Quartas de final

Domingo
Holanda 4 x 1 Paraguai
Coreia do Sul 0 x 1 México
Ontem
Espanha 1 x 6 França
Itália 0 x 2 Brasil

 

Semifinal

Quinta (Bezerrão)
16h30 México x Holanda
20h Brasil x França

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade