Publicidade

Correio Braziliense

Um mar rubro-negro de paixão

Flamengo atravessa multidão de torcedores antes de embarcar para Lima. Polícia Militar usa gás para dispersar o público


postado em 21/11/2019 04:06 / atualizado em 21/11/2019 09:25

Desde as primeiras horas da manhã, uma aglomeração se formou na entrada do CT do clube(foto: Alexandre Vidal/Flamengo )
Desde as primeiras horas da manhã, uma aglomeração se formou na entrada do CT do clube (foto: Alexandre Vidal/Flamengo )

O planejamento da diretoria do Flamengo era de que o avião fretado com jogadores e comissão técnica decolasse ontem, às 15h30, do Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio, rumo a Lima, no Peru, onde jogará no sábado a decisão da Copa Libertadores contra o River Plate. Mas a aeronave só saiu do solo às 16h28. O motivo? A festa de milhares de torcedores que se aglomeraram desde o início da manhã no portão de entrada do Terminal de Cargas do aeroporto, por onde o ônibus do clube tinha de passar.

O dia do Flamengo começou no Ninho do Urubu. O técnico português Jorge Jesus comandou pela manhã o último treinamento em solo brasileiro antes da viagem ao Peru. Por volta de 12h30, a delegação embarcou no ônibus rumo ao aeroporto e logo no portão do CT uma multidão, fazendo muita festa, quase impediu que ele passasse pelas ruas do bairro na Zona Oeste do Rio.

Ultrapassada a barreira de torcedores, o ônibus pegou vias expressas da capital carioca, como a Linha Amarela e a Linha Vermelha, para chegar ao Galeão. Após cerca de 40 minutos de trajeto, o veículo se aproximou da entrada do Terminal de Cargas e teve de atravessar, bem devagar e com muita cautela, um “mar de torcedores” que se espremiam para tentar ficar perto do ônibus e dar algum aceno aos jogadores.

Integrante da torcida organizada Fla Manguaça, Leonardo Barbosa, de 27 anos, empunhava com empolgação uma bandeira do Flamengo, mas lamentou não assistir à partida in loco. “Acompanhei todos os jogos, fui até a Bolívia (na partida contra o Bolívar). A gente havia fechado três ônibus para Santiago, mas com a mudança da partida para Lima, ficou difícil”, contou.

Para percorrer cerca de 300 metros e entrar na área reservada do aeroporto, sem muita ajuda da Polícia Militar e das autoridades de trânsito, o ônibus gastou quase uma hora. Até um alambrado do local caiu com tantas pessoas em um pequeno espaço, mas não há informações sobre feridos.

Confusão

Depois da entrada do ônibus, uma confusão aconteceu no local onde estavam os torcedores. Policiais militares jogaram bombas de gás lacrimogêneo para tentar dispersar a multidão e muita correria foi vista, também sem notícia de pessoas feridas.

Nesta quinta-feira, em Lima, a delegação do Flamengo fará o primeiro treino no CT da seleção peruana. Amanhã, as atividades do dia serão o reconhecimento do gramado do Estádio Monumental, palco da decisão, e a entrevista coletiva do técnico português Jorge Jesus e de um jogador, ainda não definido. A partida no sábado terá início às 17h.


“Minha expectativa é de que o Flamengo vai ter um jogo muito duro, mas vai ganhar”

João Roberto, bancário aposentado e torcedor do Fla

 

Personagens de uma festa grandiosa

Na porta do CT Ninho do Urubu, o clima foi de festa, com muitas bandeiras, fogos de artifício e a torcida entoando sem descanso o hino do clube e outros hits da arquibancada do Maracanã. Uma aglomeração tornou difícil a movimentação no local. Personagens como Mickey, Batman, um “Gabigolzinho” e um sósia do técnico do Flamengo se destacavam na multidão de torcedores.

 

“Cheguei às 8h30 e vou seguir até o Galeão. Essa placa está comigo desde o primeiro jogo. Meu objetivo é fazer homenagem ao Jesus. É carreira solo: Jesus e eu. Minha expectativa é de que o Flamengo vai ter um jogo muito duro, mas vai ganhar”, disse o bancário aposentado João Roberto, de 64 anos, que encarnou o técnico e carrega o cartaz com os dizeres “Hoje tem Jesus no controle”.

 

Conhecido da torcida como “Gabigolzinho”, por se fantasiar com o cabelo e a barba do craque, o pequeno Emerson Rebello, de cinco anos, acompanhava a festa nos ombros do pai, Wallace Rebello. Vestindo a camisa que ganhou de presente do atacante, o menino fez com as mãos um 4 x 0 quando questionado sobre o palpite de placar para a final.

 

Rubro-negra fanática, Flávia Banca conseguiu arrastar o marido botafoguense com ela e os dois filhos, Yasmin e Yago, de 16 e 10 anos, respectivamente, para o Ninho do Urubu. “Eu o trouxe para ver se o convenço a virar flamenguista de uma vez. Vai ser 3 x 0: Gabigol, Arrascaeta e Bruno Henrique”, arriscou.

 

Viaturas e motocicletas da Polícia Militar fizeram a escolta do ônibus que levou o time e a equipe técnica até o Aeroporto Internacional do Galeão, saindo do Ninho do Urubu no início da tarde. O treino pela manhã contou com a equipe completa, sem desfalques. A imprensa pôde acompanhar apenas o aquecimento, por cerca de 10 minutos.

 

Frieza argentina


Ao contrário do que aconteceu nas ruas do Rio de Janeiro, os jogadores do River Plate tiveram uma festa tímida, ontem, em Buenos Aires. Apenas cerca de 40 pessoas compareceram para acompanhar a saída do time argentino rumo ao Peru.
Pela manhã, o elenco realizou o último treinamento em casa e, no início da tarde, deixou o Estádio Monumental de Nuñez em direção ao Aeroporto Internacional de Ezeiza. Na capital peruana, haverá um treino nesta quinta-feira, no estádio do Alianza Lima. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade