Publicidade

Correio Braziliense

No gramado em que a luta o aguarda

Palmeiras vai ao Rio, interrompe férias de Jorge Sampaoli e formaliza proposta para contratar o treinador argentino vice-campeão brasileiro. Diretoria alviverde espera resposta para fazer o anúncio oficial


postado em 13/12/2019 04:15 / atualizado em 13/12/2019 08:12

(foto: Martin Bernetti/AFP - 21/6/18)
(foto: Martin Bernetti/AFP - 21/6/18)

O Palmeiras chegou a um acordo com o técnico Jorge Sampaoli. O presidente do clube, Mauricio Galiotte, se reuniu com o treinador ontem, no Rio de Janeiro. Sampaoli aceitou reduzir a pedida salarial, e os valores serão compensados com bônus por metas alcançadas. Com o acerto entre as partes, os advogados analisam o contrato, e o técnico pode ser anunciado nos próximos dias. O Atlético-MG ainda corre por fora na tentativa de contar com o argentino.

Sampaoli havia pedido R$ 2 milhões mensais de salário, contando os pagamentos para cinco auxiliares. O Palmeiras achou o valor alto e realizou uma contraproposta ao treinador.

A oficialização do técnico argentino pode ocorrer a qualquer momento, e a principal pendência é a rescisão de contrato do treinador com o Santos. Sampaoli e o clube alvinegro entraram em conflito sobre o pagamento da multa de 2,5 milhões de euros (R$ 11,4 milhões). Ele tinha vínculo com o Santos até o fim de 2020.

Os advogados do Palmeiras e de Sampaoli tratam sobre os detalhes do contrato que será firmado. O clube alviverde tem pressa para acertar com o técnico e avançar no planejamento para a temporada 2020. O time está sem treinador desde a saída de Mano Menezes em 1º de dezembro.

Sampaoli teve a primeira experiência no futebol brasileiro neste ano, no comando do Santos. Em 65 jogos, o treinador obteve 35 vitórias, 15 empates e 15 derrotas, com 61,5% de aproveitamento. O time alvinegro terminou o Campeonato Brasileiro na segunda colocação, mas fracassou nos torneios de mata-mata: caiu na primeira fase da Copa Sul-Americana, nas oitavas de final da Copa do Brasil e na semifinal do Paulistão.

Ontem, o Palmeiras oficializou a chegada do novo diretor de futebol, Anderson Barros, que assinou contrato por duas temporadas após deixar o cargo de gerente de futebol no Botafogo. Ele vai ocupar a função que era de Alexandre Mattos, demitido também em 1º de dezembro.

No Palmeiras, se aceitar a proposta, Sampaoli terá poder financeiro para montar um elenco em condições de ser protagonista e brigar por títulos, algo de que sentia falta no Santos. Por outro lado, enfrentará um ambiente de maior cobrança e sem a mesma estabilidade que desfrutava no litoral.

Santos

O Peixe repetirá a estratégia utilizada em 2018 para buscar o substituto para o técnico Jorge Sampaoli: iniciar mais de uma negociação, sem descartar alguém “maior”, uma unanimidade. O clube tem três alvos, todos estrangeiros, com vocação ofensiva e histórico de utilização das categorias de base.

O Comitê de Gestão se reuniu para longa reunião na última quarta-feira, em São Paulo, e falou sobre Ariel Holan e Sebastián Beccacece, sem clubes, e Miguel Ángel Ramírez, do Independiente del Valle (EQU).

O presidente José Carlos Peres e o diretor William Thomas iniciaram os contatos ontem. A parte financeira não é o maior problema: todos recebem menos da metade em relação a Sampaoli. A direção santista avaliará os prós e contras.


R$ 2 milhões

Pedido inicial de salários da equipe de Sampaoli. O argentino, no entanto, deve recuar no valor


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade