Publicidade

Correio Braziliense

Operário-MT desiste de contratar goleiro Bruno

O recuo nas negociações foi confirmado, ontem, por meio de nota oficial divulgada pela diretoria do clube


postado em 23/01/2020 04:35 / atualizado em 23/01/2020 09:03

Condenado por homicídio, Bruno cumpre pena no semiaberto(foto: Gilmar Garcia/TV Alterosa)
Condenado por homicídio, Bruno cumpre pena no semiaberto (foto: Gilmar Garcia/TV Alterosa)
O Operário de Várzea Grande (MT) desistiu de contratar o goleiro Bruno. O recuo nas negociações foi confirmado, ontem, por meio de nota oficial divulgada pela diretoria do clube, que decidiu rever a decisão de acertar a chegada do goleiro ao elenco.

Bruno, de 35 anos, foi condenado pela Justiça mineira a mais de 20 anos de prisão pelo sequestro, assassinato e ocultação de cadáver da amante e modelo Eliza Samudio, ocorrido em 2010. Neste momento, ele cumpre pena no regime semiaberto. Antes da condenação, havia defendido Atlético-MG e Flamengo.

A decisão da diretoria foi tomada após protestos que aconteceram na última terça-feira, em frente ao Estádio Municipal Dito Sousa, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. As manifestações ocorreram antes e durante a realização do jogo do Operário contra o Poconé, válido pelo Campeonato Mato-Grossense. O ato reuniu, segundo a Polícia Militar, 70 pessoas. De acordo com a organização do protesto, 400 manifestantes estavam no local.

O supervisor de futebol do clube, André Xela, explicou os motivos para a desistência. O primeiro, devido às manifestações dos torcedores que não queriam a presença do jogador no time. O outro, porque o clube estava perdendo patrocinadores.

“Os contrários à contratação estavam pressionando os patrocinadores e, por isso, desistimos”, disse. “Agora, vamos procurar outro goleiro”, continuou o dirigente do Operário, que, neste ano, além do Estadual, também participará da Copa do Brasil, da Copa Verde e da Série D do Campeonato Brasileiro.



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade