Superesportes

Algoz atleticano ganha bolada

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 28/02/2020 04:16
Afogados da Ingazeira fez história ao bater o Atlético-MG nos pênaltis

Pequeno clube do Sertão do Pajeú, o algoz do Atlético-MG na Copa do Brasil, em jogo disputado na última quarta-feira, foi fundado em 18 de dezembro de 2013. O Afogados da Ingazeira, por eliminar nos pênaltis o favorito gigante de Minas, receberá da CBF R$ 1,5 milhão, valor capaz de bancar vários meses da modesta folha salarial.

A cidade de Afogados da Ingazeira fica a quase 400km da capital Recife e tem a história marcada por ser a terra natal de uma medalhista olímpica do Brasil. A pentatleta Yane Marques faturou o bronze nos Jogos de Londres, em 2012, além de ter dois ouros em Jogos Pan-Americanos.

O empate por 2 x 2 com o Atlético-MG seguido por vitória nos pênaltis por 7 x 6 teve como herói o goleiro Wallef, que defendeu duas cobranças. O nome do jogador foi bastante comentado nas redes sociais. ;A gente sabia que sofreria. Mas soubemos suportar. Merecemos a vaga por tudo que jogamos. A rapaziada esta de parabéns;, disse Wallef.

O Afogados começou a caminhada no futebol em 2014, na segunda divisão do Estado. O time subiu para a elite pernambucana após ser vice-campeão em 2016. No ano passado, passou pelo Santa Cruz para chegar à semifinal e conseguir a vaga na Copa do Brasil. Em 2020, a equipe disputará ainda o Brasileiro da Série D.

O estádio do time é o Vianão, um local pequeno e com capacidade para cerca de 1,5 mil pessoas. No jogo com o Atlético-MG, havia 2 mil torcedores em função do uso de arquibancadas provisórias.




R$ 1,5 milhão

Prêmio pago pela CBF ao Afogados pela classificação na Copa do Brasil



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação