Publicidade

Estado de Minas

Técnica utiliza luz solar e sal para tornar água própria para o consumo


postado em 04/05/2012 08:50

Para quem tem acesso a água potável, é difícil imaginar que, somente na África, 4 mil crianças morrem, diariamente, vítimas de diarreia, problema associado à má qualidade do saneamento. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% das doenças de países em desenvolvimento estão relacionadas à infecção intestinal. Agora, um método simples e praticamente sem custos desenvolvido no Centro Tecnológico da Universidade de Michigan promete salvar vidas, usando sol e sal para purificar a água imprópria para o consumo.

O trabalho é um aperfeiçoamento de uma tecnologia já existente: o método de desinfecção solar de água (Sodis), recomendado pela OMS. “Há anos, as pessoas têm buscado meios efetivos e baratos para tratar a água, e o mais apropriado é o Sodis. Você usa uma garrafa plástica limpa, enche três quartos do recipiente, sacode a garrafa e a expõe sob o sol durante seis horas”, conta Joshua Pearce, pesquisador da Universidade de Michigan, no Canadá. “A combinação da radiação UV com a radiação termal mata os agentes patógenos. Além do mais, cada família que utiliza o Sodis gasta, anualmente, apenas entre US$ 0,40 e US$ 3 com o método.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade