Publicidade

Estado de Minas

Pesquisadores criam sensor que identifica insetos pelo bater das asas

Dispositivo pode ser usado no monitoramento de lavouras e de áreas populacionais sob ameaça de doenças tropicais causadas por mosquitos, como a dengue e a febre amarela


postado em 16/07/2014 09:39

Malária, dengue e outras doenças tropicais podem se tornar epidemias e acometer milhões de pessoas. Na maioria dos casos, os patógenos causadores dessas enfermidades são transmitidos por insetos. Como não há vacina para boa parte delas, combater os mosquitos transmissores é imprescindível. Um avanço tecnológico promete ajudar os serviços de vigilância à saúde de países que enfrentam o problema, como o Brasil, nessa empreitada. Trata-se de um sensor capaz de identificar focos desses insetos pela forma como eles batem as asas.

A tecnologia foi criada por um grupo de pesquisadores do Laboratório de Inteligência Computacional do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP). Eles contaram com a parceria do Bourns College of Engineering da University of California Riverside (UCR), nos Estados Unidos. Segundo Gustavo Enrique de Almeida Prado Alves Batista, professor do ICMC e coordenador do projeto, o grande destaque do dispositivo é monitorar os insetos de uma maneira mais rápida, precisa e inteligente.

Leia mais notícias em Tecnologia

“Em vez de pulverizar inseticida sobre toda uma região em que se estima que uma determinada espécie de inseto voador nocivo à saúde ou às lavouras esteja presente, é possível aplicá-lo somente nas áreas identificadas como focos do inseto pelo sensor”, explica. Outra vantagem do dispositivo é o baixo custo de produção: menos de R$ 30. Por isso, os pesquisadores estimam que o equipamento, que pode ser alimentado por energia solar ou uma bateria, tem potencial para ser amplamente utilizado.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade