Publicidade

Estado de Minas

Variedade de modelos posiciona tablets como a categoria do futuro

O lançamento mais expressivo da última semana ficou por conta do novo iPad Air 2, da Apple


postado em 21/10/2014 09:50 / atualizado em 21/10/2014 09:45

Os novos tablets da Apple e da Google comprovam: esses aparelhos, que, em pouco tempo, invadiram o cotidiano dos usuários, podem ser máquinas poderosas. Custando o mesmo que PCs médios e sem deixar nada devendo no quesito funcionalidade, os gadgets se mostram boas opções para quem gosta de itens rebuscados.

O primeiro trimestre desse ano registrou uma queda de 2% na venda de tablets ao redor do mundo, comparado ao mesmo período no ano passado, segundo uma pesquisa da empresa especializada NPD. A diminuição é normal para o diretor da divisão de produtos móveis da Samsung, Roberto Soboll. “O tablet não é um produto de primeira necessidade, como é o celular. Se você perdê-lo, não vai comprar um novo no dia seguinte. Além disso, o usuário deixa o aparelho em casa, não usa o tempo todo. Isso faz com que o tempo de vida útil seja maior”, explica.

Entretanto, só no Brasil, as vendas aumentaram 103% de janeiro a julho deste ano, de acordo com uma pesquisa da GfK. “As pessoas perguntam se, com o aumento da tela dos celulares, o tablet perderia demanda. Talvez em um mercado desenvolvido. Mas, no Brasil, esta ainda é uma categoria que está amadurecendo e tem espaço para crescer”, garante Soboll.

O lançamento mais expressivo da última semana ficou por conta do novo aparelho da Apple. O iPad Air 2 é o tablet mais fino do mundo, com 6,1 milímetros, 18% a menos que a versão anterior. A fins de comparação, se dois aparelhos forem colocados um sobre o outro, ainda assim, são menos espessos que o primeiro iPad, lançado em 2010.

O novo modelo mantém as 9,7 polegadas — com uma tela que reduz 56% dos reflexos — e ganhou a cor dourada (combinando com o Apple Watch e com o iPhone 6). O processador A8X de 64 bits promete ser 40% mais rápido que o modelo anterior, com autonomia da bateria de 10 horas. A câmera tem 8MP e filma em 1.080p — a empresa ainda não comprou a ideia do 4K. A tecnologia de reconhecimento de impressões digitais, o TouchID, também chegou ao tablet. A versão mais básica, de 16GB e sem 4G, vai custar US$ 500.

Lollipop
A rival Google também chamou atenção ao anunciar, na última semana, o Nexus 9, produzido pela fabricante HTC. A tela de 8,9 polegadas possui resolução de 2.048 x 1.536 pixels. O hardware conta com um processador Nvidia Tegra K1 de 2,3GHz, 2GB de memória RAM e 16GB ou 32GB de armazenamento interno, dependendo da versão.

(foto: Google/Divulgação)
(foto: Google/Divulgação)


O sistema operacional é o novo Android 5.0 (Lollipop). A principal novidade fica por conta da capa que protege o tablet, vendida separadamente, que funciona também como um teclado físico. O aparelho chegará às lojas com preços a partir de US$ 399 na versão de 16GB. Não há previsão de venda no Brasil — a fabricante HTC não opera por aqui.

O Galaxy Tab S também entra na lista dos poderosos lançados recentemente. As telas de 8,4 e 10,5 polegadas fazem bonito com a resolução de 2.560 x 1.600 pixels. Chama a atenção o processador octa-core, com quatro núcleos de 1,9GHz e quatro de 1,3GHz, que, aliado a uma memória de 3GB, permitem um bom desempenho, inclusive para jogos.

Os botões sugerem um uso na horizontal, ideal para quem vê filmes no tablet — contudo, é fácil esbarrar neles quando o aparelho é usado na vertical, alterando o volume ou mesmo desligando a tela. O Galaxy Tab S conta com um leitor de impressão digital para desbloquear a tela, assim como o Galaxy S5, da mesma fabricante.

Entram na lista, ainda, o Xperia Z2 (veja o teste na página 4), o Think Pad 8 e o LG G Pad, entre outros. Confira os tablets mais potentes do mercado na Vitrine.

(foto: Samsung/Divulgação)
(foto: Samsung/Divulgação)

Galaxy Tab S 10,5

Processador: octa-core Exynos 5, 1,9GHz
Memória: 3GB de memória RAM
Armazenamento: 16GB, expansíveis para 128GB com cartão microSD
Dimensões (A x L x E em cm): 21,28 x 12,56 x 0,66
Tela: 10,5 polegadas (2.560 x 1.600 pixels)
Sistema operacional: Android 4.4 KitKat
Peso: 476g
Resolução das câmeras: frontal de 2,1MP e traseira de 8MP
Conectividade: wi-fi, Bluetooth, microUSB
Preço: R$ 1,6 mil

(foto: Dell/Divulgação )
(foto: Dell/Divulgação )

Dell Venue 11 Pro

Processador: Intel Atom
Memória: 2GB de memória RAM
Armazenamento: 64GB
Dimensões (A x L x E em cm): 28 x 17,7 x 1
Tela: 10,8 polegadas (1.920 x 1.080 pixels)
Sistema operacional: Windows 8.1
Peso: 770g
Resolução das câmeras: frontal de 2MP e traseira de 8MP
Conectividade: wi-fi, Bluetooth, microUSB
Preço: R$ 2,3 mil

(foto: Apple/Divulgação)
(foto: Apple/Divulgação)

iPad Air 2

Processador: A8X de 64 bits quad-core
Memória: 2GB de memória RAM
Armazenamento: 16GB, 64GB ou 128GB
Dimensões (A x L x E em cm): 24 x 16,95 x 0,61
Tela: 9,7 polegadas (2.048 x 1.536 pixels)
Sistema operacional: iOS 8.1
Peso: 435g
Resolução das câmeras: frontal de 1,2MP e traseira de 8MP
Conectividade: wi-fi e Bluetooth
Preço: US$ 629 (16GB), US$ 729 (64GB) e US$ 829 (128GB)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade