Publicidade

Estado de Minas

Asas à imaginação: conheça o trabalho de Leonarda da Vinci na aviação

Perseguindo o sonho de voar, Leonardo desvendou conceitos da aerodinâmica ao estudar pássaros e morcegos e antecipou equipamentos como o avião e o helicóptero


postado em 26/12/2014 08:33

Entre todos os trabalhos de Leonardo da Vinci, os mais lembrados provavelmente são aqueles que nasceram de sua obsessão pelos pássaros. O mestre renascentista iniciou estudos de aerodinâmica na década de 1480, quando esteve pela primeira vez em Milão. Depois, ao longo da vida, produziu mais de uma centena de desenhos que mostravam suas teorias sobre o voo. Embora as imagens de protótipos mecânicos voadores tenham ficado mais marcadas na memória popular, algumas das maiores contribuições do gênio a essa área foram suas observações da natureza.

Sua obra-prima sobre o tema certamente foi o codex do voo dos pássaros, escrito em 1505 , no qual descreve com precisão inédita a forma como esses animais manipulavam o ar para ganhar os céus. “O que ele procurava eram as causas em comum que fundamentam (o voo), as causas matemáticas ou geométricas por trás de como as coisas naturais funcionam”, avalia o historiador Martin Kemp, considerado um dos maiores especialistas sobre o gênio renascentista e autor do livro Leonardo da Vinci — vida e obra.

Leia mais notícias em Tecnologia


Da Vinci também estudaria morcegos e observaria o comportamento do vento para compreender como recriar, em máquinas, os movimentos desses animais. Ao mesmo tempo, criava desenhos mecânicos que explicavam as leis naturais que desvendava. Em pleno século 15, o italiano dava os primeiros passos para a robótica bioinspirada, hoje uma das áreas da tecnologia que mais prometem avanços para a ciência.

“Ele não reconhecia as divisões que fazemos entre ciência, tecnologia e outras disciplinas. Não havia diferença na prática profissional, como no século 19, quando partes do conhecimento passaram a ser compartimentadas em diferentes instituições e tipos de pessoas. Ele teria dificuldade com definições rígidas do escopo dessas áreas variadas”, explica Kemp.

Antecipando o avião
A intenção do visionário era dar aos homens o mesmo talento dos pássaros, para ele um sonho real, como mostram seus cadernos. O famoso ornitóptero, um tipo de planador com asas acionadas pelo próprio piloto, é símbolo do complexo de Ícaro de Leonardo: o projeto nunca poderia sair do chão, pois não há ser humano com força suficiente para dar propulsão à máquina. “Isso foi um beco sem saída para Leonardo na tentativa de copiar a maneira como os pássaros voam”, conta Peter Jakab, curador do Museu do Ar e do Espaço do Instituto Smithsonian, nos Estados Unidos.

Da Vinci não foi capaz de reproduzir o movimento dos pássaros em seus projetos, mas a observação dos animais trouxe conceitos rudimentares da aerodinâmica que teriam papel no desenvolvimento do avião muitos séculos depois. Ele foi o primeiro a perceber, por exemplo, que o ar é um fluido e que um corpo se movendo por esse fluido gera força suficiente para se manter suspenso.


A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade