Publicidade

Estado de Minas

Não acabou ainda: meme 'Já Acabou, Jéssica' vira jogo para Android

Estúdio independente de Uberlândia levou a nova heroína da internet para o mundo dos games


postado em 19/11/2015 16:07 / atualizado em 19/11/2015 19:06

(foto: Google Play/Reprodução)
(foto: Google Play/Reprodução)


Duas meninas são gravadas trocando tapas, socos e pontapés nas proximidades de uma escola, em Alto Jequitibá, Minas Gerais. Apesar da violência e da situação triste, o vídeo viraliza e se transforma em sucesso após uma das garotas levantar do chão, olhar para a rival e, com um semblante desafiador, perguntar: “Já acabou, Jéssica?”


Após o vídeo de pouco mais de 15 segundos viralizar, a jovem mineira se transformou em meme e ficou no topo dos treending topics - os assuntos mais comentados do Twitter. E parece que o sucesso ainda não acabou: a pontobarraGAME, um estúdio independente de Uberlândia, lançou um game inspirado no combate.


Desenvolvedores de jogos e responsáveis pela pontobarra, Filipe Barbosa, 22 anos e Guilherme Castilho, 23, contam que o game já estava praticamente pronto e que eles só precisaram adaptar para um novo contexto. “O jogo original utilizava o folclore brasileiro como tema. O protagonista se chamava Natan e ele tinha que enfrentar seres mitológicos, como a sereia Yara. Quando o meme surgiu, na segunda (16), a gente viu uma oportunidade de fazer uma adaptação e, depois de uma noite sem dormir, lançamos na Google Play”, relatam.


O desenvolvedores deixam claro que apesar da violência do vídeo, o game não faz nenhum tipo de apologia a pancadaria trocada pelas estudantes. A mais nova diva da internet deve pular obstáculos e fugir dos socos de Jéssica, a vilã. Ao completar a fase (objetivo que o Tecnologia ainda não conseguiu concluir), o jogador ganha um equipamento conhecido dos internautas: o óculos do “deal with it”, outro meme muito famoso.


Além dos obstáculos, a heroína deve desviar dos socos de Jéssica(foto: Google Play/Reprodução)
Além dos obstáculos, a heroína deve desviar dos socos de Jéssica (foto: Google Play/Reprodução)


Sucesso
Filipe e Guilherme contam que em apenas 24 horas, o jogo já conta com aproximadamente 50 mil downloads. “De 9546 avaliações, 8224 são cinco estrelas. O retorno do público foi inesperado. A gente fica o dia inteiro vendo a repercussão no Twitter e no Facebook. Tem até gente fazendo gameplay. A gente ainda não entendeu direito o que está acontecendo”, brincam.


As milhares de avaliações positivas renderam ao game algumas posições de destaque na loja de aplicativos do Android. Até o fechamento desta matéria, Já Acabou, Jéssica? ocupava a sexta posição na aba de destaques nacionais, a 22° na “Top Gratuítos” internacional e era um dos mais baixados da categoria “Tendências”.

 

(foto: Google Play/Reprodução)
(foto: Google Play/Reprodução)
 


A dupla de amigos também está recebendo mensagens positivos por meio da página da pontobarraGAME no Facebook. “Enquanto algumas pessoas disseram que é proibido usar modinha para fazer jogo, outras apoiaram a ideia e falaram que o game é muito legal. Quando nós resolvemos criar a pontobarra, eu e o Guilherme queríamos ser uma espécie de incentivo; mostrar que o Brasil também pode criar um conteúdo bacana que fortaleça a indústria de games.”



Incentivo
Além da produção de jogos independentes, os desenvolvedores também mantêm um canal no Youtube onde relatam um pouco da vida e dos desafios enfrentados por profissionais independentes. Criado há aproximadamente 18 meses, o perfil conta com 750 seguidores. “As pessoas perguntam como a gente fez o game. No canal, tem tudo explicadinho. Inclusive, em alguns vídeos, a gente ensina a mexer na engine Corona, que é a mesma que nós utilizamos para o jogo da Jéssica", contam.

 

Com informações de Álef Calado. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade