Publicidade

Correio Braziliense

Grandes empresas tecnológicas criam plano de 'portabilidade de dados'

O projeto pode fazer com que as pessoas se sintam ancoradas a um serviço ou aplicativo, sem perder fotos, contatos, publicações e outros dados acumulados


postado em 20/07/2018 17:51

(foto: Divulgação / Internet)
(foto: Divulgação / Internet)

San Francisco, Estados Unidos - Facebook, Google, Microsoft e Twitter anunciaram nesta sexta-feira (20/7) planos de tornar mais fácil para os usuários migrar dados pessoais de um serviço digital para outro. 

O Data Transfer Project (Projeto de Transferência de Dados) revelado pelas empresas responde às preocupações sobre a crescente influência dessas plataformas e à inquietação dos usuários sobre o controle de sua informação pessoais compartilhada on-line. 

"Os usuários devem ter controle de seus dados na web, parte disto é a capacidade de portar seus dados", disseram as empresas no site do projeto. 

A portabilidade de dados é o objetivo de muitos ativistas da privacidade e está consagrado em algumas normas nacionais, inclusive o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados Pessoais da Europa. 

Atualmente, as pessoas podem baixar seus dados de um serviço on-line, mas sem garantia de que será possível ou factível carregá-los em outra plataforma.  A situação pode fazer com que as pessoas se sintam ancoradas a um serviço ou aplicativo, sem perder fotos, contatos, publicações e outros dados acumulados. 

"Tornar mais fácil para as pessoas escolher entre os serviços facilita a concorrência, treina as pessoas para experimentar novos serviços e permite que escolham a oferta que melhor se adapte às suas necessidades", disse o projeto em seu site.

"Há muitos casos de uso por pessoas que transferem dados diretamente entre os serviços, alguns dos quais sabemos hoje e outros que ainda temos que descobrir". 

Os motivos para a recuperação de informações pessoais podem incluir abandonar um serviço anterior, tentar um novo serviço ou simplesmente fazer um backup para mantê-lo seguro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade