Publicidade

Correio Braziliense

Decolagem número 100 do foguete europeu Ariane 5

O lançador espacial europeu Ariane 5 vai fazer sua decolagem número 100 nesta terça-feira da Guiana Francesa


postado em 24/09/2018 19:26

De hoje até sua aposentadoria em 2023, o Ariane 5 será lançado menos de 20 vezes(foto: AFP)
De hoje até sua aposentadoria em 2023, o Ariane 5 será lançado menos de 20 vezes (foto: AFP)
 
Paris, França - O lançador espacial europeu Ariane 5 vai fazer sua decolagem número 100 nesta terça-feira da Guiana Francesa, um momento simbólico para o foguete, que concorre com a empresa americana SpaceX.

Desta vez sua missão será colocar em órbita dois satélites de telecomunicações para três operadoras (a gigante Intelsat, a japonesa Sky Perfect JSAT e a empresa Azercosmos do Azerbaijão).

"Para seu voo número 100, o foguete trabalha completamente para o mercado não europeu. É simbólico sobre o papel do Ariane 5 em exportações e em satélites de telecomunicações", disse em entrevista à AFP Stéphane Israël, presidente executivo da Arianespace, responsável pelos lançamentos.

Também será o lançamento número 300 da Arianespace desde o primeiro voo de um foguete Ariane, em 1979. A empresa lançou também da Guiana Francesa o foguete russo Soyuz e o foguete leve europeu Vega.

Em serviço há 22 anos, Ariane 5 tem uma boa reputação. Mas entre 2020 e 2023 será substituído por Ariane 6, mais polivalente e barato.

Até hoje o Ariane 5 conseguiu fazer decolagens perfeitas em 94 de 99 ocasiões. Mas o começo não foi fácil: em seu voo inaugural em 1996, o foguete explodiu pouco depois do lançamento.

Sua versão pesada ECA também teve um grande fracasso no primeiro voo, em 2002. "Demoramos três anos para estar à altura", disse em entrevista à AFP Hervé Gilibert, atual diretor técnico do ArianeGroup. 

"Mas desde nosso retorno, nos transformamos em líderes mundiais no mercado comercial de satélites", com esse foguete que permite principalmente lançamentos duplos, disse.

O foguete europeu viveu uma era de ouro, enquanto os lançadores americanos se concentraram no mercado institucional doméstico.

Mas a criação da SpaceX, de Elon Musk, com voos institucionais e comerciais a bordo do Falcon 9, impôs uma grande concorrência para o Ariane, principalmente com relação aos preços.

A Europa reagiu desenvolvendo o Ariane 6, com preço de produção 40% menor que seu antecessor. Mas a SpaceX superou a Arianespace em número de lançamentos em 2017. 

De hoje até sua aposentadoria em 2023, o Ariane 5 será lançado menos de 20 vezes. "Acredito que vai superar por pouco o Ariane 4", que realizou 116 lançamentos, segundo Stéphane Israël.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade