Publicidade

Correio Braziliense

Sony lança um 'robocão' de guarda residencial

A Sony está lançando um modelo de seu cão robô aibo agora equipado com câmeras, inteligência artificial e acesso à internet


postado em 23/01/2019 18:02 / atualizado em 23/01/2019 18:24

O novo robô não é barato: custa cerca de US$ 3.000 para um pacote de três anos(foto: Kazuhiro NOGI / AFP)
O novo robô não é barato: custa cerca de US$ 3.000 para um pacote de três anos (foto: Kazuhiro NOGI / AFP)

A Sony está lançando um modelo de seu cão robô aibo agora equipado com câmeras, inteligência artificial e acesso à internet, para acompanhar remotamente membros da família, crianças ou mesmo animais de estimação, disse a gigante japonesa da eletrônica nesta quarta-feira. 

O robô de 30 centímetros com olhos de LED vai andar pela casa em horários pré-designados à procura de membros da família. 

O novo robô não é barato: custa cerca de US$ 3.000 para um pacote de três anos, incluindo serviços de software, como armazenamento de dados. 

O proprietário receberá relatórios de progresso via smartphone no serviço, oferecido a partir do próximo mês em conjunto com a empresa de segurança residencial Secom. 

"Você poderá verificar como os membros da família sem mobilidade estão ou o que as crianças estão fazendo quando chegam em casa", disse Izumi Kawanishi, chefe do projeto, a repórteres na sede da Sony em Tóquio. 

"Nosso objetivo é fazer com que você se sinta um pouco mais seguro vivendo com aibo e se divertindo", acrescentou Kawanishi. 
 
 
Ver galeria . 12 Fotos KAZUHIRO NOGI / AFP
(foto: KAZUHIRO NOGI / AFP )
 
O robô também será capaz de cuidar de animais de estimação reais no futuro, graças ao reconhecimento de imagens e capacidades de aprendizagem, disse.  

O último modelo do aibo, que também pode exibir "emoções", foi lançado em janeiro do ano passado e as vendas atingiram 20 mil unidades nos primeiros seis meses, de acordo com a Sony. 

Na era da Internet das Coisas e enfrentando o rápido envelhecimento da população, o Japão habilitou panelas de arroz, panelas elétricas e outros dispositivos domésticos para monitorar os idosos que vivem sozinhos. 

Eles transmitem dados de quantas vezes foram usados para as famílias que moram longe. Se não foram usados há algum tempo, isso poderia ser um sinal negativo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade