Publicidade

Correio Braziliense

Página da Revista Bula no Facebook é alvo de ataque hacker

Fanpage tem mais de 2 milhões de curtidas e alcance de 20 milhões de usuários por mês; grupo árabe é suspeito de promover ataque hacker


postado em 02/09/2019 10:41 / atualizado em 02/09/2019 11:10

Página da Revista Bula com mais de 2 milhões de seguidores é hackeada por grupo árabe(foto: Reprodução)
Página da Revista Bula com mais de 2 milhões de seguidores é hackeada por grupo árabe (foto: Reprodução)

A página oficial da Revista Bula no Facebook foi alvo de hackers na noite de domingo, (1/9). No lugar do conteúdo do veículo de comunicação, estão sendo postados vídeos e memes em inglês.

 

Os hackers seriam um grupo estrangeiro que fez contato propondo uma parceria comercial. "Recebemos uma proposta de publicação de artigos instantâneos no Facebook, um parceiro comercial sugeriu que publicássemos artigos. Clicamos em um link do Facebook para aceitar a parceria e eles entraram na página", explica o editor do veículo, Carlos Willian Leite.


Hacker entrou em contato com editores da revista sugerindo parceria para publicação de artigos do Instant Articles no Facebook(foto: Reprodução)
Hacker entrou em contato com editores da revista sugerindo parceria para publicação de artigos do Instant Articles no Facebook (foto: Reprodução)
Em pouco tempo, os hackers excluíram os administradores oficiais e colocaram novos perfis para gerenciar o conteúdo. "Não sabemos ainda se foi um sequestro, se vão pedir dinheiro para devolver, ou se querem aproveitar o alcance da página para monetizar o conteúdo deles", comenta. A marca da revista também é registrada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi).

 

A página da Revista Bula existe desde 2011, é verificada e faz parte do Portal R7, da Rede Record. São mais de 2 milhões de curtidas e o alcance chega a 20 milhões de pessoas por mês. O incidente será registrado na Delegacia de Crimes Cibernéticos ainda nesta segunda-feira. 

Suporte do Facebook


O Facebook ainda não ofereceu suporte para o roubo da página da revista, mas orienta que em casos como esse os usuários acessem a Central de Ajuda do próprio serviço, que dá algumas recomendações gerais de segurança. Um dos links indicados é o facebook.com/hacked, que sugere ações como mudança de senha e a criação de autenticações de segurança por celular e/ou através de amigos de confiança.

 

"Por enquanto, não tem muito o que fazer. Vamos à polícia, pois o suporte que o Facebook oferece para isso são robôs", lamenta o editor.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade