Publicidade

Correio Braziliense

Pro Players: Jovens brasilienses recebem R$ 205 mil de premiação em game

Gustavo 'Gustavox8' Lossio, 15 anos e Caio 'WisheyDP' Rios, 14 anos representaram o Brasil na fase final da Copa do Mundo de Fortnite


postado em 14/09/2019 12:00 / atualizado em 13/09/2019 17:24

Gustavo (E) e Caio durante a etapa final da Copa do Mundo de Fornite(foto: Arquivo Pessoal)
Gustavo (E) e Caio durante a etapa final da Copa do Mundo de Fornite (foto: Arquivo Pessoal)
Grande parte dos jovens e adolescentes sonha em ganhar a vida jogando videogames. Para dois estudantes brasilienses, no entanto, está bem perto de virar realidade.  Os amigos de infância Gustavo Lossio, 15 anos, e Caio Rios, 14 anos, conhecidos no mundo dos games como Gustavox8 e WisheyDP, respectivamente, receberam uma premiação de US$ 50 mil (cerca de R$ 205 mil) por participarem da Copa do Mundo de Fortnite, disputada em julho nos Estados Unidos.

Jogando na modalidade de duplas, os brasilienses representaram o Brasil e conseguiram a vaga na principal competição do jogo após passar por 10 semanas de disputas classificatórias. O evento final, com a participação de 50 duplas, ocorreu em Nova York e reuniu os melhores jogadores do mundo. No total, o torneio distribuiu US$ 100 milhões em premiações.

Gustavo e Caio começaram a jogar Fortnite no início de 2018. Eles se conhecem desde os 3 anos e tentam transformar a amizade em entrosamento dentro do jogo.

Sobre a Copa do Mundo, Gustavo conta que o principal ganho foi dentro do jogo . “A experiência foi muito boa. Só de estar na sala com os melhores do mundo, ter contato, conversar e até mesmo treinar com eles nos deu muito aprendizado para aperfeiçoar o nosso estilo de jogo”.

“Eu não imaginava chegar no nível de jogador profissional. Mas, desde o início do jogo,  eu o Caio estávamos sempre jogando juntos, treinando e disputando campeonatos pequenos, sempre no topo. E foi assim que conseguimos a vaga na fase final do mundial”, disse Gustavo.

Já para Caio, poder encontrar ídolos e amigos da internet foi muito importante. "Conhecer as pessoas que eu sempre conversei só pela internet foi muito legal para ganhar conhecimento tanto dentro quanto fora de de jogo", contou.
 
A primeira edição da Copa do Mundo de Fortnite ocorreu entre 26 e 28 de julho(foto: Arquivo Pessoal)
A primeira edição da Copa do Mundo de Fortnite ocorreu entre 26 e 28 de julho (foto: Arquivo Pessoal)
  


Apoio na escola


O fato de os meninos se conhecerem desde a pré-escola fez com que as famílias deles ficassem muito próximas também. As mães acompanharam a viagem para a disputa da fase final do torneio.

Lúcia Lossio, mãe do Gustavo, conta que a ida à competição foi uma surpresa para ela. “Quando eles se classificaram para a final, a empresa do jogo entrou em contato com a gente. Foi aí que eu vi que era uma coisa séria. Mesmo jogando por diversão, ele sempre me falava 'mãe, eu vou ganhar dinheiro, você vai ver', mas eu não imaginava a grandiosidade de tudo isso. Foi uma experiência maravilhosa para ele e para mim também”, revela.

Mãe do Caio, Christiane Rios diz que apesar do filho ser muito envolvido com o mundo dos games, ele sempre conseguiu conciliar com suas ocupações . “Ele joga desde pequeno, seja no computador ou no videogame, mas sempre continuou com as obrigações e estudos em dia. No início, eu implicava um pouco, agora eu e meu marido apoiamos demais”, afirmou.

“A minha ficha de que o Caio era um jogador profissional só caiu quando o dinheiro apareceu na conta. Só fui ter noção da importância do evento quando nós chegamos lá. Uma coisa extremamente profissional, com estrutura para treinar, telões e uma arena grandiosa. Foi um show.”, continuou Christiane.

Em relação à carreira de Caio e Gustavo, as mães são bem cautelosas. A dupla disputou toda a qualificatória e a fase final sem representar nenhuma equipe, o que não é tão habitual. "Tivemos proposta de uma equipe da Califórnia, mas decidimos não fechar nada porque eles já tinham jogado toda a fase qualificatória sem time. Mas agora que vimos que se tornou algo sério, estamos estudando as propostas para escolher a melhor”, relatou Christiane.

O coordenador pedagógico Wagih Rassi, do Colégio Seriös, escola em que Gustavo estuda, avalia que o papel da escola em casos como este, de o aluno ter atividades extracurriculares importantes, é tentar mostrar o caminho certo. “O que está ocorrendo é que ele tá está tendo uma profissão e está se dedicando. Com isso, ele teve desenvolvimento em algumas áreas e terá dificuldades em outras, isso é normal. Nós temos que apoiar os alunos a seguirem o caminho que eles desejam, mas sem deixar de dar continuidade nos estudos”, afirmou.


Epic Games


Fortnite é um jogo do estilo battle-royale (uma mistura de estratégia, guerra e sobrevivência), em que até 100 jogadores são colocados em um mapa para batalhar e o último jogador ou time a sobreviver é o grande vencedor. O jogo pode ser disputado nos modos: solo (sozinho, um verdadeiro cada um por si), duplas ou grupos de até quatro pessoas.

Em março deste ano, a Epic Games, empresa desenvolvedora do game, anunciou que o jogo alcançou a marca de 250 milhões de jogadores registrados, ficando apenas atrás de Minecraft. O jogo foi oficialmente lançado em 2017 e de lá pra cá se tornou uma febre mundial entre os gamers.
 
Em 2019, após a final da Copa do Mundo, o jogo se tornou o terceiro que mais premiou na história dos esportes eletrônicos, distribuindo, no total, US$ 71 milhões (aproximadamente R$ 268 milhões) em premiações desde a primeira competição. Apenas os jogos Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) e DotA 2 permanecem à frente de Fornite em premiações. Vale ressaltar que os torneios profissionais de Fortnite começaram oficialmente apenas em 2018, quando os de outros jogos existem desde 2011.

* Estagiário sob a supervisão de Roberto Fonseca

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade