Publicidade

Correio Braziliense

Painéis solares duplos são aposta da indústria para aumentar eficiência

As células solares de dupla face já estão permitindo que os painéis se posicionem verticalmente em terra ou nos telhados e até horizontalmente, mas não se sabe exatamente quanta eletricidade eles poderiam gerar ou o quanto economizariam


postado em 30/12/2019 06:00 / atualizado em 30/12/2019 06:54

Atualmente, a maioria dos equipamentos é monofacial, o que desperdiça o potencial da tecnologia(foto: Nico Chaves/Divulgação Origem Energia)
Atualmente, a maioria dos equipamentos é monofacial, o que desperdiça o potencial da tecnologia (foto: Nico Chaves/Divulgação Origem Energia)
A maioria dos painéis solares de hoje captura a luz solar e a converte em eletricidade apenas no lado voltado para o céu. Se a parte inferior escura de um painel também pudesse converter a luz solar refletida no solo, ainda mais eletricidade poderia ser gerada. As células solares de dupla face já estão permitindo que os painéis se posicionem verticalmente em terra ou nos telhados e até horizontalmente, mas não se sabe exatamente quanta eletricidade eles poderiam gerar ou o quanto economizariam.

Uma nova fórmula termodinâmica revela que as células bifaciais que compõem os painéis de dois lados geram em média 15% a 20% mais luz solar em eletricidade do que as monofaciais dos atuais painéis solares, levando em consideração terrenos diferentes, como grama, areia, concreto e sujeira. Desenvolvida por dois físicos da Universidade de Purdue, ela pode ser usada para calcular, em minutos, a maior quantidade de eletricidade que as células solares bifaciais poderiam gerar em uma variedade de ambientes, conforme definido por um limite termodinâmico.

Triângulo

“A fórmula envolve apenas um triângulo simples, mas a destilação do problema de física extremamente complicado para essa formulação elegantemente simples exigiu anos de modelagem e pesquisa”, conta Muhammad Ashraf Alam, professor de Engenharia Elétrica e Computação de Purdue. “Esse triângulo ajudará as empresas a tomar melhores decisões sobre investimentos em células solares da próxima geração e descobrir como projetá-lo para que sejam mais eficientes.”

Em um artigo publicado na revista Pnas, os pesquisadores usaram a fórmula para recomendar melhores designs bifaciais para painéis na agricultura e nas janelas de edifícios em cidades densamente povoadas. Painéis transparentes de dupla face permitem que a energia solar seja gerada em terras cultiváveis sem projetar sombras que bloqueariam a produção agrícola. Enquanto isso, a criação de janelas bifaciais para prédios ajudaria as cidades a usar mais energia renovável.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade