Publicidade

Estado de Minas

Gastronomia mexicana é uma miscelânea de cores, sabores e texturas


postado em 07/03/2012 07:02 / atualizado em 07/03/2012 11:51

"Sem milho, não há país; sem feijão, tampouco": a faixa, exibida num protesto de agricultores, resume a importância desses ingredientes no México (foto: Johan Ordonez/AFP)

Nem só de tacos, burritos e guacamole — ícones dos restaurantes tex-mex — é feita a famosa culinária mexicana. Considerada patrimônio cultural imaterial da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Ciência, a Educação e a Cultura (Unesco), a tradição gastronômica do país é uma miscelânea de cores, sabores e texturas. O milho e o feijão ganham a companhia de outros vegetais, frutas, molhos exóticos e carnes, em composições coloridas, que enchem os olhos dos glutões. A terra do chocolate, onde o cacau brotou originalmente, guarda surpresas para os olhos e os ouvidos, sem deixar de lado o paladar.

Onipresente no prato dos mexicanos, o nopal é um cacto, semelhante à palma, vegetação encontrada no sertão brasileiro. Refogado com temperos, vira acompanhamento. O vegetal é usado até no preparo das massas de tortilhas, vendidas em qualquer esquina, sob generosas camadas de tomate, queijos e temperos típicos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade