Publicidade

Estado de Minas

Desertos, rios e montanhas conferem à Rota 66 paisagens inesquecíveis


postado em 11/07/2012 08:27 / atualizado em 11/07/2012 09:32

(foto: REUTERS/Robert Galbraith)
(foto: REUTERS/Robert Galbraith)


O segundo maior rio dos Estados Unidos, o Mississippi, é uma das atrações para os viajantes da Rota 66. É lá que se encontra a ponte de aço Chain of rocks, construída em 1929, que ligava os estados de Illinois e Missouri. Nos anos de 1930, abrigou um importante trecho da 66. Entretanto, o número de automóveis cresceu muito e a ponte ficou estreita. Hoje, a Chain of rocks é usada por pedestres e ciclistas, mas continua sendo um belo cartão-postal e vale a parada.

Uma atração à parte nas proximidades da Rota 66 é a visita a alguns dos principais parques nacionais dos Estados Unidos. Um deles é o Zion National Park, no qual os turistas podem apreciar a paisagem de dentro dos cânions. Outro atrativo é o Lake Powell, uma reserva natural que fica entre os estados de Arizona e Utah.

O mais conhecido entre todos é o Grand Canyon, considerado por muitos viajantes experientes como um dos lugares que toda pessoa deve conhecer antes de morrer. Fica a cerca de uma hora da Rota 66, entrando pela cidade de Williams, Arizona, sendo que o trajeto também pode ser feito de trem pela Grand Canyon Railway. Trata-se de um imenso vale (que se estende por 446km), moldado pelo vento, pelas chuvas e pela erosão ao longo do tempo.

O passeio básico consiste em percorrer as trilhas que margeiam a borda do despenhadeiro, enquanto o roteiro mais rústico é a descida até o fundo do cânion em mulas. Existe, ainda, uma passarela de vidro e aço no alto da encosta, inaugurada em 2007, a Grand Canyon Skywalk. Diversas outras montanhas podem ser observadas pelo caminho da Rota 66. Além de imensidões de desertos, como os de Mojave (Califórnia) e do Arizona.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade