Publicidade

Estado de Minas

Biodiversidade de Huilo Huilo é um dos atrativos a mais da região


postado em 29/08/2012 09:35

(foto: Renato Ferraz/CB/DA Press)
(foto: Renato Ferraz/CB/DA Press)


A reserva Huilo Huilo nasceu numa região pobre e ao mesmo tempo extraordinariamente rica — de onde sempre tirou madeira nativa sem dó ou remorso para se exportar. Hoje, um aspecto chama a atenção dos turistas: o envolvimento dos moradores com os hotéis, a partir dos benefícios dessas visitas, obviamente, e com a proteção ao meio ambiente.
Exemplo: todo fim de passeio, sempre organizados por guias locais, há uma parada para lanches (doces, mel, bolos, cafés...) em alguma casa de algum morador de Neltume ou no singelo ateliê daquele artesão que todo mundo conhece e que há anos faz a mesma coisa. A vila, aliás, é pavimentada e é repleta daquelas casinhas de madeira com cortinas de renda nas janelas e uma fina chaminé sempre fumaçando.
O serviço, no geral, não é de excelência, de qualidade superior — em arte, principalmente. Mas o cuidado e o carinho são tão intensos que você “perde” sua tarde como se estivesse literalmente em outro mundo, acolhido de alma e corpo àquele “mundo” dos nativos — e seus cães simpáticos, pica-paus exibidos, martin-pescador curioso, coelho perdido...
Lá, repete-se uma tendência global: o Estado fraco e inepto dá a alguém (empresário rico, geralmente) o direito de preservar determinado patrimônio natural e ganhar dinheiro com ele. Para a criançada, se lembra a todo instante que estão protegendo o Huemul, uma espécie de cervo típico da região que está sob risco de extinção. Detalhe: ele é tão querido pelos chilenos que está até no brasão nacional. Outro detalhe: só há sete exemplares na reserva.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade