Publicidade

Correio Braziliense

Cidades litorâneas estão entre as que mais correm risco de sumir

No entanto, ainda há tempo para conhecer as maravilhas de Recife e as relíquias de Trindad, em Cuba


postado em 13/02/2013 10:19

Boa Viagem, uma das principais praias da área urbana de Recife e protegida pela barreira de corais: área pode ser inundada com o aumento do nível dos oceanos(foto: Arquivo/Secretaria de Turismo do Recife - 22/6/09)
Boa Viagem, uma das principais praias da área urbana de Recife e protegida pela barreira de corais: área pode ser inundada com o aumento do nível dos oceanos (foto: Arquivo/Secretaria de Turismo do Recife - 22/6/09)

Infelizmente, o Brasil não escapou da lista de locais ameaçados. Uma das cidades que têm gerado preocupação é Recife, a capital de Pernambuco. Além de se localizar no litoral, algumas regiões do município ficam abaixo do nível do mar e os arrecifes de corais, que funcionam como uma barreira natural, são vulneráveis a ciclones e outras mudanças climáticas. Com o aumento do volume de água nos oceanos, e levando-se em conta a presença de rios, como o Beberibe e o Capibaribe, que deságuam no mar, o risco de inundação é ainda maior. Por ser cercada por tanta água, formando ilhas e mangues, e atravessada por muitas pontes, a cidade é conhecida como a Veneza brasileira — o que, no contexto ambiental, não é necessariamente um elogio.

Um dos pontos turísticos que mais chamam a atenção é o Recife Antigo, bairro caracterizado pela charmosa arquitetura de época. O ideal é andar a pé pelas ruas de paralelepípedos para apreciar os edifícios. Na Rua do Bom Jesus, há galerias de arte, além de um casario holandês. O Observatório Cultural Torre Malakoff apresenta uma bela vista da cidade. Não deixe de fora, ainda, o Teatro Apolo (Rua do Apolo, 121), prédio neoclássico do século 19, que foi restaurado na década de 1980.

Leia mais notícias em Turismo

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade